Atos 14.7-20 | O EVANGELHO AVANÇA, AINDA QUE SEJA ATACADO!

ATOS 14:5-20 

5 Formou-se uma conspiração de gentios e judeus, juntamente com os seus líderes, para maltratá-los e apedrejá-los. 

6 Quando eles souberam disso, fugiram para as cidades licaônicas de Listra e Derbe, e seus arredores, 

7 onde continuaram a pregar as boas novas. 

8 Em Listra havia um homem paralítico dos pés, aleijado desde o nascimento, que vivia ali sentado e nunca tinha andado. 

9 Ele ouvira Paulo falar. Quando Paulo olhou diretamente para ele e viu que o homem tinha fé para ser curado, 

10 disse em alta voz: “Levante-se! Fique de pé! ” Com isso, o homem deu um salto e começou a andar. 

11 Ao ver o que Paulo fizera, a multidão começou a gritar em língua licaônica: “Os deuses desceram até nós em forma humana! ” 

12 A Barnabé chamavam Zeus e a Paulo Hermes, porque era ele quem trazia a palavra. 

13 O sacerdote de Zeus, cujo templo ficava diante da cidade, trouxe bois e coroas de flores à porta da cidade, porque ele e a multidão queriam oferecer-lhes sacrifícios. 

14 Ouvindo isso, os apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as roupas e correram para o meio da multidão, gritando: 

15 “Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. 

16 No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. 

17 Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações”. 

18 Apesar dessas palavras, eles tiveram dificuldade para impedir que a multidão lhes oferecesse sacrifícios. 

19 Então alguns judeus chegaram de Antioquia e de Icônio e mudaram o ânimo das multidões. Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto. 

20 Mas quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e voltou à cidade. No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe. 

Grande ideia: Pregação e poder de Deus geram um contra-ataque diabólico, que não impede o crescimento da igreja do Senhor. 

INTRODUÇÃO: 

Em novembro de 1995 assumi o pastorado da Igreja Batista Nova Betel na cidade de Almas, no sul do Estado do Tocantins. Era o meu primeiro pastorado, numa igreja com cerca de 12 irmãos frequentando. Começamos a pregar o Evangelho naquela cidade e não demorou muito para que alguns irmãos, me procurassem, assustados, pelo fato de uma liderança religiosa da cidade incentivasse a população por meio da rádio, para que as pessoas da comunidade rejeitassem nossa presença, visita, e, segundo me disseram, havia ainda o incentivo para que fossemos agredidos caso aparecêssemos pregando o Evangelho.  Deus foi misericordioso conosco. Não sofremos nenhuma agressão física, e Deus usou aquela fala para que a população se indignasse com aquele líder e abrisse portas para a nossa entrada com a pregação do Evangelho. Ali a igreja cresceu muito em pouco tempo. Mas essa realidade nem sempre é a encontrada. 

Desde o início da igreja, a pregação do Evangelho gerou muitos discípulos para Jesus. Em Atos, no meio judeu, gente acostumada com as Escrituras e que já acreditavam no Deus da Bíblia, houve alguma resistência sobre o ensino do Evangelho que conseguia apontar todo o Velho Testamento para Jesus, ao ponto de, depois de algum tempo prenderem os apóstolos e até matarem a Estevão a pedradas.  

Na passagem bíblica de hoje, os missionários Paulo e Barnabé estão, agora, fora do ambiente judaico. Nosso texto, afirma que eles estavam fugindo de uma conspiração para maltratá-los. Em fuga, chegaram na cidade de Listra, onde eles estão, agora, diante de pessoas que não possuem qualquer tipo de base bíblica, gente que desde a infância é voltada para a idolatria de deuses falsos da mitologia greco-romana. Nosso texto fala dos deuses romanos Júpiter (que é o mesmo Zeus, na mitologia grega) e Mercúrio (que é o deus Hermes, na mitologia grega, e filho de Zeus). 

Paulo e Barnabé estão lidando com idólatras, adoradores de deuses falsos, mas ainda assim, é preciso lhes pregar o Evangelho de Jesus, o Cristo. 

Essa passagem nos traz lições que devem ser observadas por todos nós. 

  1. O EVANGELHO, PODER DE DEUS, É PREGADO E GERA CURA. 

7 onde continuaram a pregar as boas novas. 

8 Em Listra havia um homem paralítico dos pés, aleijado desde o nascimento, que vivia ali sentado e nunca tinha andado. 

9 Ele ouvira Paulo falar. Quando Paulo olhou diretamente para ele e viu que o homem tinha fé para ser curado, 

10 disse em alta voz: “Levante-se! Fique de pé! ” Com isso, o homem deu um salto e começou a andar. 

Uma das coisas mais interessantes aqui no texto é que em vários momentos você encontra frases que deixam claro que, mesmo diante das perseguições, do perigo de morte, Paulo e Barnabé não deixaram de pregar o Evangelho. Eles fazem isso o tempo todo. Na cidade de Icônio, eles pregaram num templo da sinagoga, mas agora, na cidade de Listra, eles estão nas ruas. O evangelho está sendo pregado no contexto de conversas pessoais nas ruas ou mesmo falando a grupos. 

O texto afirma que havia um paralítico dos pés que estava assim desde seu nascimento e que nunca tinha andado, uma informação importante feita por Lucas, o autor do livro, que era médico, para tirar qualquer dúvida sobre ser uma ação medicamentosa para uma doença simples, mas afirmar ser uma manifestação miraculosa de Deus, em confirmação à mensagem pregada.  

Mas observe o início do verso 9. “Este homem ouviu falar Paulo, ou, ouviu as palavras de Paulo”. Não tenho dúvidas de que este homem ouviu Paulo falar de Cristo, da sua vida, de seus milagres, de sua morte e ressurreição, ou seja, das boas novas do Evangelho. Paulo afirmou em Rm 10.17 que a fé vem pelo ouvir, e ouvir a Palavra de Deus. Penso que foi isso que aconteceu aqui. Após ouvir o Evangelho, seja como pregação ou mesmo como conversa feita por Paulo para com as pessoas na rua, o paralítico creu, a fé foi gerada em seu coração. Paulo percebeu isso e deu o comando. “levante-se! Fique de pé!” E o homem, deu um salto e estava curado, provando isso ao começar a andar. 

Deus é gracioso! E ele faz seus milagres de forma diversa, onde ele quer, para quem ele deseja, visando confirmar seu poder e graça, através da salvação em Jesus Cristo. 

Não podemos afirmar que Deus fará com qualquer pessoa hoje uma cura miraculosa, mas podemos afirmar que Deus é o mesmo Deus do passado e que tem a mesma graça e misericórdia, o mesmo poder transformador, que ele pode manifestar seu poder para curar miraculosamente alguém, mas que, acima de tudo e mais importante, ele deseja que pessoas se arrependam de seus pecados ao ouvirem a pregação da Palavra e creiam em Jesus como seu salvador e senhor. 

Por isso, a pregação do Evangelho vem antes de tudo. É a Palavra de Deus que deve causar fé, de que deve ser pregada e crida. 

  1. UM MILAGRE COM A RECUSA DO EVANGELHO GERA CONFUSÃO.  

11 Ao ver o que Paulo fizera, a multidão começou a gritar em língua licaônica: “Os deuses desceram até nós em forma humana! “ 

12 A Barnabé chamavam Zeus e a Paulo Hermes, porque era ele quem trazia a palavra. 

13 O sacerdote de Zeus, cujo templo ficava diante da cidade, trouxe bois e coroas de flores à porta da cidade, porque ele e a multidão queriam oferecer-lhes sacrifícios. 

14 Ouvindo isso, os apóstolos Barnabé e Paulo rasgaram as roupas e correram para o meio da multidão, gritando: 

15 “Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há. 

16 No passado ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. 

17 Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações”. 

18 Apesar dessas palavras, eles tiveram dificuldade para impedir que a multidão lhes oferecesse sacrifícios. 

Multidão nas ruas de Listra viram o milagre de um paralítico de nascimento que voltou a andar, mas diferente do homem curado pela fé em Cristo, não ouviram o Evangelho pregado por Paulo. Sem o Evangelho, começaram a gritar que Paulo e Barnabé eram os seus deuses que haviam descido na terra. Júpiter (romano) e Zeus (grego) são dois nomes para a mesma divindade. O mesmo acontece com Mercurio (romano) e Hermes (grego). Chamaram Barnabé de Zeus/Júpiter e chamaram Paulo de Mercúrio/Hermes. A idolatria do povo de Listra, que não ouviu o evangelho, os conduziu para mais idolatria e à adoração do homem ao invés de adoração a Deus. 

Guiados pelo sacerdote de Zeus, o povo começou a oferecer sacrifícios a Paulo e Barnabé. Uma decepção tremenda para estes missionários, que imediatamente, rasgaram suas roupas em sinal de humildade e começaram a pregar ao povo, conforme lemos nos versos “15 “Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês.” Observem que Paulo deseja barrar o entendimento errado dos fatos. Mas a narrativa falsa já havia dominado o povo. Paulo continuou: “Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há.” Correndo risco de vida, mas cheio de fé e ousadia, Paulo os informa que aquelas práticas eram coisas vãs, inúteis. Um pecado diante do Deus da Bíblia. Paulo segue afirmando: “16 No passado (Deus) ele permitiu que todas as nações seguissem os seus próprios caminhos. 17 Contudo, não ficou sem testemunho: mostrou sua bondade, dando-lhes chuva do céu e colheitas no tempo certo, concedendo-lhes sustento com fartura e enchendo de alegria os seus corações”. Paulo apelou para a revelação natural de Deus, a graça comum. Deus agindo em todos os povos com paciência, dando-lhes demonstração de seu poder e bondade, para que fossem preservados e cressem no seu filho, Jesus Cristo, como salvador e senhor de suas vidas. 

O verso 18 afirma que a confusão já estava instaurada e o povo continuava a oferecer sacrifícios a eles em plena rua. O diabo agiu para desvirtuar a mensagem de Cristo e tirar a glória dele para colocá-la no homem. 

Infelizmente ainda hoje temos multidões que se encantam com milagres, mas insistem em não glorificar ao Senhor. Se de um lado temos o povo que confunde as coisas e continuam a dar glória e cultuar a homens ao invés de adorarem apenas a Deus, por meio da fé em Cristo, porque se recusam a ouvir a Bíblia e a obedecê-la, de outro lado, há os pregadores que na verdade são mercadores da fé, vendem milagres em nome de Jesus para auferirem vantagens financeiras, aceitam a glória para si mesmos, enriquecem pregando um falso evangelho que traz muito mais glória para eles do que para Jesus Cristo. 

Paulo e Barnabé não aceitaram culto a eles, não aceitaram glorificação pessoal, pelo contrário, eles se humilharem e insistiram na pregação pura e simples do Evangelho conforme as Escrituras. 

A glória é sempre dada a Deus por meio de Cristo. O nome a ser honrado, adorado, proclamado é o nome poderoso e santo de Jesus. 

Que você não seja alguém focado em milagre, mas alguém que reconhece seus pecados e crê em Jesus. Alguém que ouve com atenção a pregação do Evangelho e crendo em Cristo, desfrute da sua graça e sua misericórdia. 

  1. A IGREJA QUE CONHECE E VIVE O VERDADEIRO EVANGELHO NÃO PODE SER PARADA, ELA CONTINUARÁ CRESCENDO. 

19 Então alguns judeus chegaram de Antioquia e de Icônio e mudaram o ânimo das multidões. Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto. 

20 Mas quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e voltou à cidade. No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe. 

Judeus de Antioquia de Pisídia e de Icônio, que atrapalharam Paulo e Barnabé naquelas duas cidades e causaram a expulsão deles, agora estão perseguindo os missionários. Eles foram atrás de Paulo e Barnabé até a cidade de Listra e mudaram a opinião das multidões para algo pior. Eles falaram contra Paulo e Barnabé, e conseguiram que aquela multidão que agora a pouco fazia sacrifícios a eles, como se fossem deuses, agora os apedrejassem como se fossem criminosos. 

Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade. Pensavam que ele havia morrido. Não sabemos o que aconteceu com Barnabé, talvez tenha conseguido fugir em meio à confusão. Após abandonarem Paulo em algum lugar, os homens que o apedrejaram foram embora e ficaram ali apenas os discípulos, ou seja, aqueles que haviam se convertido a Cristo, a igreja que havia começado a existir em Listra. Eles também devem ter se reunido próximo a Paulo, pensando que estava morto. Quando apenas os discípulos estavam ali, Paulo se levantou. Desta vez não fugiu da cidade, mas voltou para ela, para onde estava hospedado e saiu para a cidade de Derbe na manhã seguinte, acompanhado de Barnabé. 

Imagine que não existisse igrejas em nossa comunidade e que uma pessoa aparecesse pregando o Evangelho aqui, e vocês, que estão me ouvindo se convertessem. Vocês acabaram de crer em Jesus, de receberem a salvação. Imaginem agora, que esta pessoa que lhe ajudou a conhecer a Cristo é apedrejado na sua frente por uma multidão de pessoas da comunidade. Gente que você conhece, gente que você ama, maltratando aqueles que lhe anunciaram o evangelho. Eles o deixam como morto na rua. O que você faria? Os que estavam em Listra ficaram firmes. Era de se esperar que os discípulos desistissem da fé abraçada. Era de se esperar que eles abandonassem Cristo e os pregadores. No entanto, eles foram ajudar Paulo. Eles continuaram na fé. A experiência da sua conversão era uma realidade que os tornaram ousados, corajosos. Eles não desistiram. Estavam dispostos a tudo por Cristo. 

E você? Teria desistido? Sua fé em Jesus lhe daria ousadia e coragem para continuar falando de Jesus e seguindo firme na fé? 

Conclusão:  

 Pregação e poder de Deus geram um contra-ataque diabólico, que não impede o crescimento da igreja do Senhor. 

O Evangelho deve ser pregado e vivido conforme as Escrituras. Se satanás levantar homens e mulheres que nos persigam, que confunda pessoas, que tentem nos retirar do serviço a Cristo, precisamos ser fiéis à Palavra, fiéis a Cristo e cuidadosos uns dos outros, não desanimando da igreja, não abandonando a fé, não servindo apenas de aparência.  

A verdadeira igreja vai continuar aconteça o que acontecer.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.