Atos 14.21-28 | O QUE A IGREJA DEVE FAZER 

ATOS 14.21-28 

21 E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, 

22 Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus. 

23 E, havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido. 

24 Passando depois por Pisídia, dirigiram-se a Panfília. 

25 E, tendo anunciado a palavra em Perge, desceram a Atália. 

26 E dali navegaram para Antioquia, de onde tinham sido encomendados à graça de Deus para a obra que já haviam cumprido. 

27 E, quando chegaram e reuniram a igreja, relataram quão grandes coisas Deus fizera por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé. 

28 E ficaram ali não pouco tempo com os discípulos. 

GRANDE IDEIA: O trabalho da igreja inclui evangelização, discipulado e encorajamento, organização e liderança, e comunhão/prestação de contas. 

INTRODUÇÃO: 

O que é necessário para que a igreja cresça? Nos nossos dias e nos últimos anos tem-se buscado estratégias diversificadas para que a igreja cresça numericamente. Nesta busca, nomes novos são inventados a cada época para justificar que aquele é um novo método, uma nova estratégia.  

Mas a igreja de Jesus não se firma em estratégias humanas para crescer. Ela cresce naturalmente e os princípios ou métodos para seu crescimento não precisam vir de outros livros, senão da própria Escritura, a Bíblia Sagrada. 

Nesta conclusão da primeira viagem missionária de Paulo e Barnabé, Lucas deixa registrado o trabalho dos apóstolos e cita alguns fatos que sempre funcionaram para o crescimento de uma igreja bíblica saudável. Vamos a eles? 

  1. EVANGELIZAÇÃO PARA TODOS EM TODO LUGAR. 

21 E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, 

Paulo e Barnabé saíram de Antioquia da Síria, foram a Creta, passaram por Antioquia da Pisídia, Icônio, Listra, Derbe e vários outros lugares. Eram cidades grandes, com forte comércio, cidades principais e estratégicas. Destas cidades, o Evangelho poderia chegar a outros lugares menores pelo trabalho dos novos crentes e das igrejas plantadas ali. 

O verso 20 afirma que Paulo e Barnabé estavam em Derbe, a última cidade daquela viagem, e também afirma que nesta cidade o evangelho foi pregado e muitos pessoas creram em Jesus e se tornaram discípulos de Cristo. Aqui não é dito se houve alguma perseguição ou problema, mas apenas o registro de que muita gente se converteu. Então os apóstolos voltaram pelas mesmas cidades de antes, mesmo depois de terem sido expulsos delas. De alguma maneira, Deus agora não permitiu que as situações de antes se repetissem.  

Mas fica o destaque de que, por onde passaram com ou sem riscos de morrer ou de sofrerem, esses homens evangelizaram e muitos se converteram. 

O desafio de evangelizar pessoas continua dado à igreja em nossos dias. Nos perdemos tanto em atividades de entretenimento que muitas vezes, nos esquecemos que a única atividade da igreja que não poderá ser continuada no céu é a evangelização. Pois no céu não entrará pessoas que não sido regeneradas, nascidas de novo, pela fé em Jesus como Salvador e Senhor.  

Uma das igrejas que pastoreei e que mais vi crescer foi a igreja da cidade de Almas, no sul do Tocantins. Cada membro daquela igreja era um evangelista. Cada um deles compartilhava de Jesus toda semana. E Deus foi trazendo à igreja os que iam sendo salvos. As pessoas eram convidadas para os cultos. Elas tinham prazer em compartilhar sua fé durante a semana e traziam seus convidados para que a Palavra de Deus lhes fosse ensinada e estes fossem batizados. Muitos já chegavam ao templo convertidos a Cristo. 

Se queremos ver a igreja crescer, precisaremos evangelizar. Você tem essa missão de falar de Jesus para alguém! É seu trabalho! 

Outro fato marcante que garantiu o crescimento da igreja foi: 

  1. DISCIPULADO E ENCORAJAMENTO PARA OS CRENTES. 

22 Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.  

Após terminar a tarefa de evangelização dentro da rota de viagem que havia sido programada, Paulo e Barnabé refizeram o mesmo percurso. E agora estão reunindo as pessoas convertidas das cidades por onde passaram. Em cada cidade, esses irmãos foram reunidos e Paulo e Barnabé lhes ensinaram a Palavra de Deus. Eles trabalharam em 2 fundamentos: 

  1. Confirmar os ânimos/fortalecer a alma. A ideia era dar bases bíblicas sólidas aos crentes, para que não desistissem da fé abraçada. Paulo e Barnabé ajudaram aqueles irmãos manterem firme a confiança em Cristo sem desânimo, aprendendo as Escrituras e aplicando-as à vida. 
  1. Exortar a permanecer na fé. O evangelho naquelas cidades chegou debaixo de lutas, ameaças e perseguições. Essa realidade poderia fazer com que muitos desistissem. Paulo e barnabé encoraja os irmãos a permanecerem na fé, explicando que não se entra no reino de Deus sem que haja provações, sofrimentos, tribulações diversas e no meio destas coisas, os crentes sejam provados e aprovados por Deus. Os problemas não eram para desanimar, mas si aperfeiçoar a fé. 

Hoje, movidos por um desvio das Escrituras e dando lugar à conceitos filosóficos e à psicologia, muitos pregadores vendem um evangelho barato, falso, vazio de poder e significado. Um evangelho apenas focado nesta vida, um evangelho que oferece fuga do sofrimento, quando a Bíblia ensina o oposto. Os problemas, as crises, as adversidades, até mesmo a realidade da morte, são oportunidades de exercermos a fé e crescermos no conhecimento do nosso Deus, de sua graça e poder. Sofrimento é um meio de aperfeiçoar o crente em Cristo e forjar nele um caráter humilde e dependente da graça. 

A existência de tribulações gera a perseverança. E esta deve ser a resposta de todos nós! Como bem ensinou Paulo em Rm 5.3-5 “3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança, 4 a perseverança produz experiência e a experiência produz esperança. 5 Ora, a esperança não nos deixa decepcionados, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi dado.” 

Enfrente as tribulações com perseverança e esperança, porque o amor de Deus está na sua vida pela ação do Espírito Santo. Confie. 

Outro fato marcante que garantiu o crescimento da igreja foi: 

  1. ORGANIZAÇÃO E LIDERANÇA PARA PASTOREIO DA IGREJA 

23 E, havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido. 

Depois de encorajar e fortalecer os irmãos na fé e no conhecimento das escrituras, Paulo e Barnabé reúnem os irmãos em cada uma das cidades e organiza as igrejas, escolhendo sua liderança.  

Essa versão que escolhi é corrigida e fiel, ela traduziu a palavra presbíteros como anciãos. Outras versões traduzem para presbíteros. A ideia aqui é a de líderes pastores, gente com mais conhecimento na fé, que pudesse ensinar a outros, liderando assim a igreja na obediência a Cristo. 

Observe os passos para a escolha dos presbíteros/anciãos/pastores:  

  1. Comum consentimento: ou seja, todos participaram da escolha, não sendo uma imposição de Paulo e Barnabé. 
  1. Eleito: Foi uma escolha feita pela igreja, presidida pelos missionários. 
  1. Orando com jejuns, os encomendaram. Ou seja, eles promoveram a consagração destes pastores, orando por eles. 

Essa é uma boa base bíblica para o processo de escolha e consagração de pastores para as igrejas atuais. Também é uma base bíblica importante para nos ensinar que toda igreja precisa de obreiros dedicados, consagrados ao Senhor para exercer liderança e ensino das igrejas. 

A Bíblia nos dá base para que as igrejas tenham líderes fiéis à Cristo e sua Palavra e estabelece sua importância.  

Outro fato marcante que garantiu o crescimento da igreja foi: 

  1.  COMUNHÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS 

24 Passando depois por Pisídia, dirigiram-se a Panfília. 

25 E, tendo anunciado a palavra em Perge, desceram a Atália. 

26 E dali navegaram para Antioquia, de onde tinham sido encomendados à graça de Deus para a obra que já haviam cumprido. 

27 E, quando chegaram e reuniram a igreja, relataram quão grandes coisas Deus fizera por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé. 

28 E ficaram ali não pouco tempo com os discípulos. 

À partir do verso 24 temos o retorno dos apóstolos para sua igreja de origem em Antioquia da Síria. Nosso texto continua dizendo que por onde esses homens passam, o evangelho é pregado.  

Na volta para casa, a igreja é reunida. Existe um encontro de comunhão e louvor a Deus pela obra que Ele estava realizando. As pessoas tinham alegria de ouvir o relato dos missionários de como Deus estava salvando vidas, bem como suas experiências e lutas.  

Talvez esse tenha sido o primeiro congresso missionário da história da igreja. E, com certeza, Paulo e Barnabé tinham muitas histórias para contar. O investimento da igreja de Antioquia da Siria naqueles missionários não havia sido em vão, valeu a pena, muitas pessoas foram convertidas a Cristo. 

Ali estavam Paulo e Barnabé prestando contas e deixando a igreja muito feliz com o resultado da obra missionária. 

Certa vez, vi um amigo pastor entristecido, pois havia tido celebração de batismos num rio perto de sua cidade, e poucos irmãos haviam se esforçado para ir. Então ele me disse: “Esse deveria ser o momento mais feliz da igreja, momento em que todos deviam estar aqui, celebrando a Cristo, por ele ter salvo estas pessoas e elas, em obediência, desejarem se filiar à nossa igreja”. Será que a salvação de alguém tem alegrado seu coração? 

APLICAÇÕES: 

Evangelização, discipulado, encorajamento, organização e consagração de pastores e obreiros, comunhão e prestação de contas.  

O que falta você fazer para cumprir estas tarefas? Para quem você tem compartilhado Jesus? Com quem você tem sentado para orar e encorajar a ficar firme na fé, mesmo em meio aos sofrimentos e às tribulações? 

Tem orado para que Deus sustente os pastores e líderes da sua igreja? Tem orado pedindo ao Senhor que levante mais pastores e missionários para sua obra? 

Tem se alegrado em reunir-se com sua igreja para ouvir a Palavra de Deus? 

Você se alegra quando sabe de pessoas se convertendo, ou seu coração está tão endurecido que isso não te importa? 

O evangelho salva vidas, uma vida/alma vale mais que o mundo inteiro, devemos nos alegrar pela salvação de alguém, mas ainda, devemos ser os instrumentos para que alguém se arrependa e confie em Jesus para sua fé. 

Se você não é crente ainda.  Não rejeite a Cristo mais, ficando debaixo de condenação. Mas livre-se da condenação que o pecado te colocou, livre-se da ira de Deus, creia na morte e ressurreição de Jesus em seu lugar, arrependa-se e confie em Jesus para sua salvação. Ele te dará a vida eterna. Ainda que neste mundo a vida seja difícil, você terá forças para continuar até desfrutar da eternidade em paz com Deus. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.