Atos 13.44-52 | OPOSIÇÃO NÃO IMPEDE A PREGAÇÃO. 

ATOS 13.44-52 

44 No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra do Senhor. 

45 Quando os judeus viram a multidão, ficaram cheios de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo estava dizendo. 

46 Então Paulo e Barnabé lhes responderam corajosamente: “Era necessário anunciar primeiro a vocês a palavra de Deus; uma vez que a rejeitam e não se julgam dignos da vida eterna, agora nos voltamos para os gentios. 

47 Pois assim o Senhor nos ordenou: ‘Eu fiz de você luz para os gentios, para que você leve a salvação até aos confins da terra’ “. 

48 Ouvindo isso, os gentios alegraram-se e bendisseram a palavra do Senhor; e creram todos os que haviam sido designados para a vida eterna. 

49 A palavra do Senhor se espalhava por toda a região. 

50 Mas os judeus incitaram as mulheres piedosas de elevada posição e os principais da cidade. E, provocando perseguição contra Paulo e Barnabé, os expulsaram do seu território. 

51 Estes sacudiram o pó dos seus pés em protesto contra eles e foram para Icônio. 

52 Os discípulos continuavam cheios de alegria e do Espírito Santo. 

GRANDE IDEIA: A OPOSIÇÃO À PALAVRA DE DEUS NÃO IMPEDE A PREGAÇÃO NEM A FÉ NO CORAÇÃO, MAS GERA PERSEGUIÇÃO. 

INTRODUÇÃO: 

A História da Igreja é marcada por oposição desde o seu início. Se você buscar informações sobre a plantação das primeiras igrejas em algumas cidades do nosso Estado, descobrirá o quanto nossos irmãos sofreram ataques violentos de pessoas que se opunham ao Evangelho de Jesus, conforme a Bíblia. Sangue foi derramado quando os primeiros batistas começaram a compartilhar a fé somente em Jesus Cristo para salvação, mas eles seguiram firmes, lembrando-se que, desde o início da igreja no mundo as perseguições sempre aconteceram. O relato bíblico de hoje nos serve de motivação para continuar. Haverá oposição ao Evangelho sempre, mas Deus terá sempre seus fiéis compartilhando o Evangelho de Jesus. 

Há quatro situações que merecem destaque no texto de hoje: 

  1. A REALIDADE DA OPOSIÇÃO À PALAVRA. 

44 No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra do Senhor. 

45 Quando os judeus viram a multidão, ficaram cheios de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo estava dizendo. 

Nosso contexto nos informa que Paulo e Barnabé estavam numa sinagoga na cidade de Antioquia da Pisídia. Paulo havia pregado a Palavra de Deus ali na semana anterior e muita gente, principalmente os gentios, ficaram impactados com mensagem, alguns pareceram estarem interessados na fé e o resultado é que pediram que os pregadores voltassem no sábado seguinte. Esse dia chegou e, para alegria de Paulo e Barnabé, as pessoas que haviam escutado a pregação anterior se encarregaram de convidar toda a cidade para ouvir a pregação. O verso 44 afirma que quase toda a cidade estava reunida para ouvir a Palavra do Senhor.  

Aqui cabe uma questão importante. O trabalho de convidar pessoas para ouvir a mensagem do Evangelho tem sido deixado de lado pela maioria dos nossos irmãos. As pessoas convidam para um evento, mas não para que seus amigos e conhecidos venham ouvir a Palavra de Deus. É triste perceber que nem os frequentam as igrejas tem colocado esperança e fé na suficiência das Escrituras. Para alguns as pessoas devem vir aos templos para assistir algum entretenimento (um cantor ou grupo musical famoso); um grupo de teatro, entre outras coisas. Mas a Bíblia nos mostra pessoas convidando outras para ouvirem o puro e simples evangelho, a pregação bíblica.  

Talvez você use a desculpa de que é preciso um evento para trazer pessoas à igreja, mas na realidade, você pensa assim, porque não confia 100% no poder de Deus e de Sua Palavra, não ora por salvação de vidas, e não projeta nas pessoas aquilo do qual seu coração está cheio, ou seja, apenas o desejo de entretenimento. Precisamos nos mover para a oração pela salvação de vidas e manifestação do poder do Espírito Santo de Deus por meio da pregação de sua Palavra. 

O verso 45 afirma que os judeus da sinagoga viram a multidão. Essa multidão não foi convidada por eles. Os de fora fizeram o trabalho que eles deveriam ter feito. Ao invés de se alegrarem, eles ficaram cheios de inveja, de ódio. A inveja é um desgosto pelo sucesso do outro aliado a um desejo de ter o que o outro tem. A inveja é contrária a todo o ensinamento bíblico. Estavam tão enfurecidos que fizeram que começaram a trabalhar contra o Evangelho. Eles blasfemavam, ou seja, eles insultavam, falando de modo ríspido contra os pregadores e contra sua mensagem. Eles fizeram de tudo para a Palavra de Deus não fosse recebida pelos presentes.  Fui pastor de uma igreja, em que alguns membros me disseram que após a pregação do evangelho, havia um grupo da igreja, certamente a serviço de satanás, que ia à as casas das pessoas para incentivá-las a não mais frequentarem a igreja. Esse pequeno grupo fazia isso porque não gostavam de mim, nem da pregação da Palavra de Deus. 

Meus irmãos. Não podemos ceder diante da oposição. Não está em nós a obrigação de fazer pessoas crerem no Evangelho, mas está em nós a obrigação de pregar o Evangelho como o recebemos nas Escrituras. Sem aumentar ou diminuir nada no seu conteúdo. Porque o Evangelho, afirmou Paulo em Rm 1.16 é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crer, seja quem for.  

  1. A PALAVRA DE DEUS DEVE SER PREGADA A TEMPO E FORA DE TEMPO 

46 Então Paulo e Barnabé lhes responderam corajosamente: “Era necessário anunciar primeiro a vocês a palavra de Deus; uma vez que a rejeitam e não se julgam dignos da vida eterna, agora nos voltamos para os gentios. 

47 Pois assim o Senhor nos ordenou: ‘Eu fiz de você luz para os gentios, para que você leve a salvação até aos confins da terra’ “. 

Paulo e Barnabé não se intimidaram com as palavras de calúnia e raiva, ou seja, contra a oposição dos judeus incrédulos. Eles continuaram a pregar, mas agora eles dão uma resposta bíblica direta àqueles judeus raivosos: Os judeus seriam os primeiros a ouvirem a Palavra de Deus. No entanto, eles a rejeitaram e não se julgaram dignos da vida eterna. Eles renunciaram ao presente dado por Deus em função da sua teimosia e das distorções que fizeram das Escrituras. Paulo afirma que pregar primeiro aos judeus, mas abrir a porta do Evangelho para outras nações era uma orientação bíblica, e citou aos judeus revoltados uma parte do texto de Isaías 49.6, afirmando que Deus havia feito Israel para ser “luz para os gentios” e para levar a salvação a todos os povos da terra. 

  Desde o início, o desejo de Deus era que todos os povos pudessem conhecer a ele mesmo e à sua salvação, agora manifestada na pessoa do Cristo que morreu na cruz e ressuscitou para garantir a vida eterna. Paulo e Barnabé nos ensinam que a pregação da Palavra deve continuar, com ou sem oposição, com ou sem rejeição. A tempo, ou seja, numa boa oportunidade, ou fora de tempo, ou seja, quando ninguém quer ouvir. 

Assim como Israel devia ser uma luz para os gentios, a igreja também se tornou a “luz do mundo” com a missão de refletir a luz de Cristo, através da pregação do evangelho e de um modo de viver condizente com a vontade de Deus. 

A compreensão da nossa missão é a base para uma vida cristã verdadeira. A evangelização é a melhor maneira de nos conduzir para o crescimento espiritual. Evangelizar é prova de amor ao próximo, aos familiares, amigos e a todos no mundo. 

  1. A FÉ VEM PELO OUVIR A PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS. 

48 Ouvindo isso, os gentios alegraram-se e bendisseram a palavra do Senhor; e creram todos os que haviam sido designados para a vida eterna. 

49 A palavra do Senhor se espalhava por toda a região. 

Após Paulo e Barnabé informar aos presentes que Deus desejava a salvação de todos, inclusive os gentios, estes se encheram de alegria e começaram a falar coisas boas a respeito das Escrituras. Eles compreenderam que, de fato, o Evangelho significa boas notícias. A salvação havia chegado a eles e era possível tê-la, pela fé em Jesus Cristo.  

O verso 48 afirma que eles creram na pregação. Eles creram e receberam a vida eterna. Esse verso tem sido utilizado pela corrente teológica calvinista para afirmar que esses eram homens eleitos, predestinados para a salvação; mas na verdade, o texto não permite esse entendimento. Seu original poderia ser traduzido como se Deus tivesse predestinado estas pessoas, ou como se elas mesmas, em resposta à pregação que ouviram, tenham tomado a decisão de crer e serem salvas. Observando o verso por completo, fico com a segunda opção. Observe os verbos sobre os gentios: em primeiro lugar eles ouviram a palavra, depois se alegraram e glorificaram ou bendisseram a Palavra; e depois creram. Como afirmou Paulo em Rm 10.17 “a fé vem pelo ouvir e ouvir”, é o ouvir entendendo e atendendo ao chamado da Palavra de Deus. 

Vale notar que o resultado da conversão das pessoas em Antioquia da Pisídia foi o avanço da Palavra do Senhor por toda a região. Os novos crentes compartilharam sua fé com outras pessoas. Suas vidas, tomadas pela fé na Palavra, os conduziu a se tornarem pregadores da Palavra. Esta é uma sequência natural na Bíblia. Há alguma coisa muito errada na igreja da atualidade que não consegue compartilhar a Palavra de Deus com outras pessoas. Muitos trocaram a pregação da palavra pelo entretenimento e o resultado é termos membros de igreja atrás de diversão e entretenimento. Mas, graças a Deus, ainda temos os salvos por Jesus, que são aqueles conscientes de sua missão, que compartilham Jesus com todos que encontram e sustentam a obra missionária. A qual grupo você pertence? 

O que fez a Palavra do Senhor se espalhar por toda região foi o trabalho de gente verdadeiramente salva, convertida a Cristo, cumprindo a missão de evangelizar. Pessoas se converterão quando ouvirem o Evangelho, mas é preciso que os crentes preguem.  

  1. SE O REINO DE DEUS CRESCE, A PERSEGUIÇÃO FLORESCE. 

50 Mas os judeus incitaram as mulheres piedosas de elevada posição e os principais da cidade. E, provocando perseguição contra Paulo e Barnabé, os expulsaram do seu território. 

51 Estes sacudiram o pó dos seus pés em protesto contra eles e foram para Icônio. 

52 Os discípulos continuavam cheios de alegria e do Espírito Santo. 

Os invejosos judeus foram atrás de pessoas influentes para perseguir à igreja. Manipularam as mulheres dedicadas a Deus, enganando-as para que convencessem a outras, pois eram mulheres importantes na cidade. E usaram de meios jurídicos para expulsarem Paulo e Barnabé da cidade. Infelizmente essa prática ainda continua. Os que perseguem a igreja do Senhor na atualidade são pessoas influentes, cheias de diplomas, para se mostrarem como autoridades do povo e que falam no lugar do povo. Vivemos um tempo em que as igrejas estão sendo tolhidas de cultuar, de prover seus cuidados aos que buscam ajuda em Deus.  

Paulo e Barnabé saíram da cidade, mas antes fizeram um sinal de protesto comum à época, de sacudir o pó dos seus pés. Esse era um sinal de desdém que os judeus faziam quando saíam de um território gentio, uma forma gráfica de demonstrar que não se coadunavam com aquele povo. Aqui traz a ideia simbólica de que ao rejeitarem o Evangelho, esses serão também rejeitados e sofrerão sua condenação. 

O Evangelho inclui a boa notícia de que o homem pecador pode ser perdoado por Deus, se arrependido de seus pecados, crer em Jesus Cristo, como tendo feito o pagamento pelo seu pecado a morrer na cruz e derramar seu sangue, mas também ao lhe garantir a vida eterna ao ressuscitar no terceiro dia, e incluí a má notícia da condenação dos que rejeitarem a Cristo e a sua salvação. 

Neste aspecto, quando mostramos o verdadeiro Evangelho bíblico, os que estão dominados pelas trevas de seus pecados e resistem a Cristo, sofrerão a condenação de Deus, e por isso perseguem a igreja. 

Mas há algo que os incrédulos não podem parar. Quem é de Jesus, ou seja os seus discípulos, conforme lemos no verso 52, continuam cheios de alegria e do Espírito Santo. O inferno, o diabo, os incrédulos, aqueles que odeiam a Cristo e sua igreja, podem até persegui-la e fazê-la sofrer, mas não podem remover sua alegria, nem sua certeza de salvação e presença do Espírito Santo que os consola e anima. 

CONCLUSÃO: 

A OPOSIÇÃO À PALAVRA DE DEUS NÃO IMPEDE A PREGAÇÃO NEM A FÉ NO CORAÇÃO, MAS GERA PERSEGUIÇÃO. 

Se você é crente, entenda que tem uma missão a cumprir. A salvação de seus familiares e amigos depende de você compartilhar a eles o Evangelho. Isso pode gerar oposição, mas não pode impedir você de falar de Jesus.  

Creia que a fé vem pelo ouvir a Palavra. Então fale a palavra, ainda que isso gere perseguição.  

Você que veio hoje aqui e ainda não creu em Jesus como seu salvador. Compreenda que ele morreu na cruz em seu lugar, para que não haja condenação eterna para você no inferno. Jesus é a prova do amor de Deus para com você. Mas você precisa crer! A salvação é um presente de Deus, mas você precisa se arrepender de seus pecados e crer em Jesus agora mesmo, para que possa receber esse presente. Essa é a condição de Deus. Mas você rejeita a salvação, você já está debaixo de condenação. Foi o que afirmou Jesus em João 3.18, quem nele crê não é condenado, mas quem não crê, já está condenado. 

Creia em Jesus! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.