DERRUBANDO BARREIRAS – Atos 11.1-18

Grande ideia: A pregação do Evangelho de Cristo e o dom do Espírito Santo na Conversão superam barreiras humanas.   

INTRODUÇÃO: 

Nossa passagem bíblica de hoje é um relato de como a igreja deve ter seu coração e olhos abertos para vencer barreiras quando o assunto é o Evangelho de Jesus.  

O contexto anterior nos mostra que Pedro havia viajado para Jope e Deus o usou de modo extraordinário até chegar lá. Com as conversões que ocorreram, Pedro acabou ficando em Jope para discipular os novos crentes. Em Jope, cidade onde Jonas pagou sua passagem para fugir da presença do Senhor, Pedro, de modo inverso é desafiado para abrir o reino de Deus aos gentios. Deus o convoca para pregar à Cornélio, sua família e amigos. Pedro aceitou o desafio, vencendo seus conceitos e preconceitos desalinhados com a vontade de Deus e foi até a casa de Cornélio. Lá, pregou o Evangelho e todos os presentes, agora convertidos, são batizados no Espírito Santo, comprovando que a salvação veio dos judeus, mas está disponível para todos os povos em todos os lugares.  

Pedro ordenou o batismo em água de Cornélio, familiares e amigos. Ficou alguns dias com eles para dar-lhes, possivelmente, os primeiros passos na fé agora abraçada, e antes que pudesse retornar a Jerusalém, a notícia chegou aos irmãos da Judéia. 

Agora abra a sua Bíblia em Atos 11.1-18. E vamos compreender como a igreja teve que vencer barreiras para que o Evangelho alcançasse os povos e a nós. 

  1. PARA VENCER BARREIRAS DEVE-SE ESTAR PREPARADO A DAR SATISFAÇÕES! 

1 Chegou ao conhecimento dos apóstolos e dos irmãos que estavam na Judeia que também os gentios haviam recebido a palavra de Deus.  

2 Quando Pedro voltou para Jerusalém, os que eram da circuncisão começaram a questioná-lo, dizendo:  

3 — Você entrou na casa de homens incircuncisos e comeu com eles.  

E. A notícia da salvação dos gentios de Cesareia chegou na Judeia, e inicialmente os judeus ficaram em polvorosa. Enquanto uns se alegraram, alguns estavam zangados. Um grupo formado por judeus cristãos legalistas, identificados no texto como “os da circuncisão”, também conhecidos como judaizantes, gente que achava que para alguém ser salvo, mesmo crendo em Cristo, tinha que se tornar um judeu e passar pelos rituais judaicos, sem isso, não haveria salvação. Eles começaram a cobrar satisfações de Pedro, fazendo questionamentos ou acusações. Nas suas palavras, v.3, estes homens acusaram Pedro de entrar na casa de incircuncisos, ou seja, gentios, não judeus e de comer com eles.  

Na cultura judaica vigente, judeus não se davam com gentios. Os gentios eram vistos como imundos. Pedro tinha esse entendimento e expressou isso em Atos 10.28 quando disse na casa de Cornélio: “28 a quem se dirigiu, dizendo: — Vocês bem sabem que um judeu está proibido de se juntar a um gentio ou de entrar na casa dele. Mas Deus me mostrou que não devo considerar ninguém impuro ou imundo.” Pedro precisou de uma visão de Deus para compreender a verdade de que todos, em qualquer país, podem ser salvos por Jesus. A visão dizia que todos seriam aceitos por Deus na igreja, pelo mesmo motivo que os judeus foram aceitos: a fé no Senhor Jesus Cristo. Cristo é o único caminho até Deus. E esse caminho é alcançado pela fé, não por se tornar um judeu. 

No entanto, se destaca ainda que Pedro, mesmo sendo um grande líder e tendo a função de apóstolo de Jesus, fora questionado pela igreja. Aqui já temos uma boa base para negar o ensino católico de que Pedro foi o primeiro papa e que nesta função, o papa é infalível. O texto já nos ensina que Pedro foi questionado e acusação contra ele poderia desacreditá-lo como líder e apostolo. Talvez fosse necessário retirá-lo da liderança da igreja. 

I. Na igreja, nenhum líder é infalível, nem detém toda autoridade suprema. A liderança da igreja é submissa a Cristo, no que diz respeito à pregação e ensino da fé bíblica, e submissa à igreja. Essa passagem nos dá uma aula sobre eclesiologia. Pastores e líderes que agem de forma contrária às Escrituras devem ser questionados, corrigidos e ajudados em sua recuperação. Foi isso que fizeram com Pedro. 

A. Não há erro em questionar-se para compreender a fé ou algum fato. Há erro quando isso é feito de forma pecaminosa, visando denegrir um líder, ou agindo por motivações outras que não seja a glória de Deus, a edificação da igreja e a salvação do perdido. 

Voltemos ao nosso texto. Versos 4 até 17. 

  1. PARA VENCER BARREIRAS É PRECISO ESTAR FIRMADO NA PALAVRA DE DEUS. 

4 Então Pedro passou a fazer-lhes uma exposição por ordem, dizendo:  

5 — Eu estava na cidade de Jope orando e, num êxtase, tive uma visão em que observei descer um objeto como se fosse um grande lençol baixado do céu pelas quatro pontas e vindo até perto de mim.  

6 E, olhando atentamente para dentro daquilo, vi quadrúpedes da terra, feras, répteis e aves do céu.  

7 Ouvi também uma voz que me dizia: “Levante-se, Pedro! Mate e coma.”  

8 Ao que eu respondi: “De modo nenhum, Senhor; porque em minha boca nunca entrou nada que fosse impuro ou imundo.”  

9 Pela segunda vez, a voz do céu falou: “Não considere impuro aquilo que Deus purificou.”  

10 Isso se repetiu três vezes, e, de novo, tudo foi recolhido para o céu.  

11 E eis que, na mesma hora, pararam diante da casa em que estávamos três homens enviados de Cesareia para se encontrar comigo.  

12 Então o Espírito me disse que eu fosse com eles, sem hesitar. Foram comigo também estes seis irmãos; e entramos na casa daquele homem.  

13 E ele nos contou como tinha visto na casa dele um anjo, em pé, que lhe disse: “Envie alguém a Jope e mande chamar Simão, que também é chamado de Pedro,  

14 o qual lhe dirá palavras mediante as quais você e toda a sua casa serão salvos.”  

15 — Quando comecei a falar, o Espírito Santo caiu sobre eles, como também sobre nós, no princípio.  

16 Então me lembrei da palavra do Senhor, quando disse: “João, na verdade, batizou com água, mas vocês serão batizados com o Espírito Santo.”  

17 Pois, se Deus deu a eles o mesmo dom que tinha dado a nós quando cremos no Senhor Jesus, quem era eu para que pudesse resistir a Deus?  

E. Pedro respondeu a acusação dos judaizantes. Ele contou o que Deus havia feito. A visão dada a Pedro por Deus tinha sido suficiente para convencê-lo de que os gentios também deviam ouvir o Evangelho, Deus os receberia se eles cressem. Além da visão, o Espírito Santo deu ordens a Pedro para que fosse até Cesareia. Chegando na casa de Cornélio, este lhe contou como Deus já havia trabalhado seu coração e lhe dado ordens de chamar a Pedro. Estava tudo muito claro para Pedro agora. Era Deus agindo para que as boas novas do Evangelho de Jesus chegassem aos gentios. Pedro relata que quando começou a pregar e nós vemos no final do capítulo 10 que ele fez uma exposição rápida, simples, mas completa do Evangelho, o Espírito Santo caiu sobre todos os gentios, porque todos se converteram. No verso 15, Pedro afirma que o que ele viu foi uma manifestação semelhante ao que ocorrera em Atos 2. Com a descida do Espírito Santo sobre os gentios de forma tão convincente, como dizer agora que eles não foram salvos? Ou, por qual motivo exigir deles que sejam circuncidados para serem salvos, se já receberam o dom do Espírito, o que é a garantia da salvação? 

Pedro termina devolvendo uma pergunta para seus irmãos judeus. “17 Pois, se Deus deu a eles o mesmo dom que tinha dado a nós quando cremos no Senhor Jesus, quem era eu para que pudesse resistir a Deus? “ 

I. Ninguém pode controlar o Espírito Santo de Deus, pois é Deus agindo. Paulo afirmou que o Espírito Santo age como quer e quem ele quiser. Mas em Efésios 1.13, Paulo ensinou que ele é o selo, a marca de Deus em nós, os que cremos. Todo salvo por Jesus tem o Espírito Santo de Deus. Esta é a marca! A história vai mostrar que nem todo crente teve a experiência relatada em Atos 2 ou 10, de falar em línguas ao ser batizado pelo Espírito. Em atos 13.48, gentios se convertem a Cristo e não é relato que falem em línguas (idiomas). E por que não? Porque eles não são judeus. Não havia necessidade de confirmar mais o cumprimento das profecias sobre o messias, sua glorificação e o derramamento do Espírito sobre toda carne. Tudo se cumpriu conforme planejado e ensinado na Bíblia. 

Deve ficar claro para nós, no entanto, que as ações de Pedro não foram feitas em desacordo com Bíblia. Os judeus tinham conceitos e preconceitos errados. Apenas como exemplo, em Isaias 49.6 temos um dos registros no VT de que Deus queria salvar toda a humanidade. “Disse mais: Pouco é que sejas o meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os guardados de Israel; também te dei para luz dos gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra.” 

A. Você e eu precisamos vencer barreiras, conceitos e preconceitos, errados e fora da vontade de Deus. As vezes fazemos leituras da Bíblia de modo distorcidos, sem considerar o contexto e história por detrás dele, e fazemos interpretações erradas, inventamos regras que a Bíblia não diz, e criamos inimizades e barreiras que Deus nunca colocou. Se algum critério não é bíblico, deve ser abandonado, ainda que seja uma tradição. Lembre-se que para vencer barreiras, é preciso estar firmado na Palavra de Deus que, como afirmou Paulo em 1 Timóteo 2:3,4 “Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” 

Vamos ler o último verso de nossa reflexão de hoje, verso 18.  

  1. PARA VENCER BARREIRAS É PRECISO GLORIFICAR A DEUS PELA SUA SALVAÇÃO A TODOS. 

18 Quando os demais ouviram isso, acalmaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: — Então também aos gentios Deus concedeu o arrependimento para a vida! 

E. Se no princípio, a acusação preconceituosa parecia verdadeira. Diante dos fatos, os judeus já não tinham argumentos. Os que amavam a Deus e era crentes em Jesus, abandonaram suas ideias erradas e glorificaram a Deus pelas provas de que a salvação estava disponível para toda pessoa, de qualquer país, de qualquer cor de pele, de qualquer condição social. Todos, sem distinção, podiam ser salvos pela fé em Jesus Cristo, crendo nele como Senhor e Salvador.  

Deus agiu no coração dos irmãos judeus para que se acalmassem e ao invés de fomentar o preconceito contra os gentios, eles pudessem glorificar a Deus pela salvação deles. E que frase maravilhosa eles disseram: “Então também aos gentios Deus concedeu o arrependimento para a vida!” 

Depois de anos de separação social, racial, crentes judeus compreenderam que em Cristo, as nações se unem.  

A união dos povos não se dá por questões políticas ideológicas. Não será pela luta de direitos políticos. Mas quando crentes em Cristo, de todos os lugares, professarem a mesma fé em Jesus, como único e suficiente salvador e Senhor. É na igreja que os preconceitos caem. É na igreja que a unidade deve ser celebrada e mantida, já que ela nos é dada em Jesus.  

A salvação é para todos! Isto deve nos unir! Como afirmou Paulo em 1 Co 9.23 “Faço tudo isso por causa do Evangelho, a fim de me tornar co-participante dele. Um verdadeiro atleta de Cristo”. 

CONCLUSÃO: 

Que vençamos nossas barreiras e preconceitos com a pregação do Evangelho a toda criatura. Todos somos iguais perante Deus quando o assunto é a salvação. Se você ainda trata irmãos em Cristo de modo diferente, preconceituoso, este é o tempo de arrepender-se desse pecado. 

Encerro com as palavras de Paulo em 3.26-28 “26 Pois todos vocês são filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus; 27 porque todos vocês que foram batizados em Cristo de Cristo se revestiram. 28 Assim sendo, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vocês são um em Cristo Jesus.” 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.