Atos 15.1-35 | Ameaça, defesa e vitória do Verdadeiro Evangelho!

Atos 15.1-35 

1 ENTÃO alguns que tinham descido da Judeia ensinavam assim os irmãos: Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. 

2 Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns outros dentre eles, subissem a Jerusalém, aos apóstolos e aos anciãos, sobre aquela questão. 

3 E eles, sendo acompanhados pela igreja, passavam pela Fenícia e por Samaria, contando a conversão dos gentios; e davam grande alegria a todos os irmãos. 

4 E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. 

5 Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés. 

6 Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto. 

7 E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Homens irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre nós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem. 

8 E Deus, que conhece os corações, lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como também a nós; 

9 E não fez diferença alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé. 

10 Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar? 

11 Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também. 

12 Então toda a multidão se calou e escutava a Barnabé e a Paulo, que contavam quão grandes sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles entre os gentios. 

13 E, havendo-se eles calado, respondeu Tiago, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me: 

14 Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios, para tomar deles um povo para o seu nome. 

15 E com isto concordam as palavras dos profetas; como está escrito: 

16 Depois disto voltarei, e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, levantá-lo-ei das suas ruínas, e tornarei a edificá-lo. 

17 Para que o restante dos homens busque ao Senhor, e todos os gentios, sobre os quais o meu nome é invocado, diz o Senhor, que faz todas estas coisas, 

18 Conhecidas são a Deus, desde o princípio do mundo, todas as suas obras. 

19 Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus. 

20 Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue. 

21 Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas. 

22 Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a igreja, eleger homens dentre eles e enviá-los com Paulo e Barnabé a Antioquia, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens distintos entre os irmãos. 

23 E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos, aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde. 

24 Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes tendo nós dado mandamento, 

25 Pareceu-nos bem, reunidos concordemente, eleger alguns homens e enviá-los a vós com os nossos amados Barnabé e Paulo, 

26 Homens que já expuseram as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 

27 Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais por palavra vos anunciarão também as mesmas coisas. 

28 Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: 

29 Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá. 

30 Tendo eles então se despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão, entregaram a carta. 

31 E, quando a leram, alegraram-se pela exortação. 

32 Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras. 

33 E, detendo-se ali algum tempo, os irmãos os deixaram voltar em paz para os apóstolos; 

34 Mas pareceu bem a Silas ficar ali. 

35 E Paulo e Barnabé ficaram em Antioquia, ensinando e pregando, com muitos outros, a palavra do Senhor. 

Grande ideia: O verdadeiro Evangelho é ameaçado, defendido e resgatado trazendo comunhão e consolo à igreja. 

INTRODUÇÃO: 

Imagine o que aconteceria se alguém colocasse no mesmo frasco de algum remédio que você estivesse acostumado a utilizar, um veneno, com a aparência muito parecida com seu remédio? Quão grande seria o prejuízo à saúde, senão à sua vida? Toda vez que algo verdadeiro é substituído por algo falso que se parece com o verdadeiro o resultado é algum tipo de prejuízo. É o que acontece com roupas e calçados falsos ou qualquer outro produto. 

O Evangelho falso também traz prejuízos. O problema é que um evangelho falso afasta o homem de Deus e lhe impede de ser salvo. Os efeitos do falso evangelho podem ser danosos e eternos. 

Nosso texto se passa cerca de 20 anos depois do Pentecostes. Depois de rodar várias cidades pregando o Evangelho aos gentios, enfrentando oposição, sofrendo violência física e riscos à vida, agora Paulo e Barnabé tem diante de si uma crise interna vivida na igreja por causa de alguns irmãos que se disseminavam na igreja um falso evangelho. Os perigos que a igreja sofria naqueles tempos, servem de alerta para os perigos que sofremos em nosso tempo. Portanto, vejamos a ameaça, a defesa e a vitória que o verdadeiro Evangelho alcançou e sempre alcançará. Vamos ao texto: 

  1. O FALSO EVANGELHO INVALIDA A SALVAÇÃO E QUEBRA A COMUNHÃO. 

1 ENTÃO alguns que tinham descido da Judeia ensinavam assim os irmãos: Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. 

2 Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns outros dentre eles, subissem a Jerusalém, aos apóstolos e aos anciãos, sobre aquela questão. 

3 E eles, sendo acompanhados pela igreja, passavam pela Fenícia e por Samaria, contando a conversão dos gentios; e davam grande alegria a todos os irmãos. 

4 E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e anciãos, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. 

5 Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés. 

Em nossos dias, de vez em quando algumas pessoas divulgam ensinamentos que estão contrários ao que diz a Bíblia. Hoje, ao lermos as Escrituras e se nela confiamos como Palavra de Deus, temos a facilidade de perceber quando ideias, escritos até mesmo livros, estão contrários ao ensinamento bíblico e podemos combatê-los mais rapidamente. No entanto, essa não era a realidade nos tempos do Novo Testamento, pois a igreja ainda não tinha o novo testamento concluído, havia apenas o Velho Testamento e a interpretação que os apóstolos de Cristo faziam dessas Escrituras estavam sendo ensinadas e escritas.  

Além das ameaças externas que a igreja sofria, tais como, as perseguições, a fome, a violência; houve também ameaças internas. Em Atos 5, no caso de Ananias e Safira, vimos pessoas na igreja tentando mentir para parecerem mais santas e comprometidas do que eram. Aqui a ameaça é outra e mais perigosa, pois afeta o conteúdo do Evangelho. O problema aqui coloca em risco a salvação das pessoas.  

Em Atos 6.7 somos informados que muitíssimos sacerdotes haviam se convertido a Cristo e obedeciam à fé cristã, assim como eles, em Jerusalém a maior parte da igreja era formada pelos judeus que ainda mantinham seu sistema sacrificial, sua obediência à lei judaica. Agora alguns destes haviam ido a Jerusalém e insistido que os gentios só poderiam ser salvos se fossem circuncidados, noutras palavras, somente seriam salvos se eles se tornassem um judeu, um prosélito. Isso colocaria a base da salvação no fato de ser judeu, comprovado pela circuncisão, e não na fé na morte e ressurreição de Jesus. Isso era afirmar que somente seria salvo quem seguisse a lei judaica; e que confiar unicamente em Jesus para salvação e perdão de pecados era insuficiente. Um golpe mortal ao verdadeiro evangelho de Cristo. 

Como sempre acontece, isso causou a quebra da comunhão na igreja. Houve contenda e muita discussão. Paulo e Barnabé se posicionaram firmemente em defesa do Evangelho. Mas a Igreja de Antioquia da Síria, onde estavam, era uma igreja gentia e o salvador, Jesus, veio dos judeus. Entenderam que deviam consultar a igreja de Jerusalém e os apóstolos sobre o caso. Vale lembrar que eles estavam numa fase de transição do judaísmo para o cristianismo. As doutrinas dos apóstolos estão sendo construídas e implantadas. A igreja está se formando.  

Meus irmãos. Ainda em nossos dias, temos o desafio de impedir a proliferação de evangelho falso. E como descobrimos que uma mensagem é de um evangelho falso. Qualquer pessoa que ensine que para se salvo é preciso crer em Cristo e fazer outra qualquer coisa ensina um evangelho falso. O Evangelho verdadeiro é a salvação por meio da fé na morte e ressurreição de Jesus. É a confiança de que Jesus é suficiente para a sua salvação. Não precisa de obras, não precisa de circuncisão, não precisa de cultos com arca da aliança, não precisa de sábados. A salvação é única e exclusivamente pela graça por meio da fé em Cristo. 

Mas a história continua: 

  1. Assumir posição e defender o Evangelho inclui focar na sua essência. 

6 Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto. 

7 E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Homens irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre nós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem. 

8 E Deus, que conhece os corações, lhes deu testemunho, dando-lhes o Espírito Santo, assim como também a nós; 

9 E não fez diferença alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé. 

10 Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar? 

11 Mas cremos que seremos salvos pela graça do Senhor Jesus Cristo, como eles também. 

12 Então toda a multidão se calou e escutava a Barnabé e a Paulo, que contavam quão grandes sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles entre os gentios. 

13 E, havendo-se eles calado, respondeu Tiago, dizendo: Homens irmãos, ouvi-me: 

14 Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios, para tomar deles um povo para o seu nome. 

15 E com isto concordam as palavras dos profetas; como está escrito: 

16 Depois disto voltarei, e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, levantá-lo-ei das suas ruínas, e tornarei a edificá-lo. 

17 Para que o restante dos homens busque ao Senhor, e todos os gentios, sobre os quais o meu nome é invocado, diz o Senhor, que faz todas estas coisas, 

18 Conhecidas são a Deus, desde o princípio do mundo, todas as suas obras. 

19 Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus. 

20 Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue. 

21 Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas. 

A igreja teve que ser reunida. É o primeiro concílio que se tem notícia. Os apóstolos e presbíteros (ou pastores). Há um intenso debate. O povo está dividido sobre o tema. No entanto, Pedro, considerado uma das colunas da igreja, se levanta e lembra que Deus o havia escolhido, anos atrás, para pregar o evangelho aos gentios. E como Pedro descobriu que os gentios estavam realmente salvos? Deus deu aos gentios o Espírito Santo, lemos isso em Atos 10, na conversão de Cornélio e sua família. Pedro afirma que Deus não fez diferença entre judeus e gentios e que a purificação de seus corações se deu única e exclusivamente pela fé, e que impor sobre eles o jugo do judaísmo era ir contra ao que Deus estava fazendo, pois eles criam que a salvação era apenas pela graça do Senhor Jesus. 

Enquanto isso, a multidão agora se cala, pois Paulo e Barnabé contam suas experiências na viagem missionária. Deus estava salvando gentios apenas pela fé em Cristo. Paulo e Barnabé enfatizam os milagres que Deus lhes havia permitido fazer, para mostrar que a conversão dos gentios se dava apenas pela graça, não por obras da lei de Israel. Com aqueles milagres, Deus estava aprovando a pregação da salvação pela fé em Jesus. 

Tiago, o irmão de Jesus, segundo Gl 1.9, tomou a palavra.  Enquanto Pedro lembrou o passado recente, Paulo e Barnabé falaram do que Deus estava fazendo no presente, Tiago focou o futuro. Tiago concordou com as palavras de Pedro de que Deus estava salvando pessoas pela graça. Tiago, para surpresa de todos, afirma que Deus está fazendo um povo para seu nome, uma expressão bíblica que se referia apenas aos judeus, mas que agora está aberta para os gentios pela fé em Jesus. Tiago citou Amós 9.11,12 registrados em Atos 15.16-18, comprovando que, já no passado, Deus tinha prometido que os gentios fariam parte de seu povo escolhido na terra para salvação.  

Wiersbe afirmou que “Deus revelou essas verdades a seu povo de maneira gradual, mas seu plano havia sido determinado desde o princípio. Nem a cruz nem a Igreja foram um “plano de emergência” de Deus (At 2:23; 4:27, 28; Ef 1:4). Os judaizantes acreditavam que Israel deveria ser “levantado” em seu reino glorioso antes de os gentios poderem receber a salvação, mas Deus revelou que seria por meio da ”queda” de Israel que os gentios encontrariam a salvação (Rm 11:11-16)”. 

Para trazer solução à ameaça do falso evangelho, os apóstolos e líderes reafirmam a essência do evangelho. Ninguém salvo por nascer judeu, ou por realizar obras da lei, mas sim, pela fé no sacrifício perfeito de Jesus para remissão dos pecados e na sua ressurreição para garantia da vida eterna. E esta mensagem de salvação estava disponível para todo os povos. Pessoas de todas as localidades, que arrependidas, crerem em Jesus como seu único e suficiente salvador e senhor serão salvas. 

Essa é a essência do evangelho. Não se pode retirar nem acrescentar nada nesta mensagem, sob pena de invalidar a salvação! Resolvemos os problemas da igreja, quando paramos de retirar ou acrescentar coisas que as Escrituras já nos ensinaram. 

  1. O VERDADEIRO EVANGELHO É VITORIOSO PELA FÉ EM CRISTO, COM PUREZA E SANTIDADE. 

22 Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos, com toda a igreja, eleger homens dentre eles e enviá-los com Paulo e Barnabé a Antioquia, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens distintos entre os irmãos. 

23 E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos, e os anciãos e os irmãos, aos irmãos dentre os gentios que estão em Antioquia, e Síria e Cilícia, saúde. 

24 Porquanto ouvimos que alguns que saíram dentre nós vos perturbaram com palavras, e transtornaram as vossas almas, dizendo que deveis circuncidar-vos e guardar a lei, não lhes tendo nós dado mandamento, 

25 Pareceu-nos bem, reunidos concordemente, eleger alguns homens e enviá-los a vós com os nossos amados Barnabé e Paulo, 

26 Homens que já expuseram as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 

27 Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais por palavra vos anunciarão também as mesmas coisas. 

28 Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: 

29 Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá. 

30 Tendo eles então se despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão, entregaram a carta. 

31 E, quando a leram, alegraram-se pela exortação. 

32 Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram e confirmaram os irmãos com muitas palavras. 

33 E, detendo-se ali algum tempo, os irmãos os deixaram voltar em paz para os apóstolos; 

34 Mas pareceu bem a Silas ficar ali. 

35 E Paulo e Barnabé ficaram em Antioquia, ensinando e pregando, com muitos outros, a palavra do Senhor. 

Após a proposta de Tiago, a igreja apoia e toma a decisão de escolher algumas pessoas para irem à Antioquia da Síria e às demais igrejas que haviam sido plantadas entre os gentios. A comissão foi formada por Paulo, Barnabé, Judas Barsabás e Silas. Eles tiveram a missão de levar a carta da igreja em Jerusalém com a decisão dos apóstolos e de toda igreja e de ler essa carta aos demais irmãos.  

A carta condenava a postura dos judaizantes, além de provar que eles não estavam autorizados a dizer o que diziam e que a postura de exigir algo mais para a salvação além da fé em Cristo era perturbação e transtorno. Paulo e Barnabé deviam ler a carta, Judas e Silas confirmariam a decisão dos apóstolos.  

A carta ainda acrescentava que a decisão tomada era fruto da ação do Espírito Santo na vida dos gentios salvos, sem as práticas judaica. E se eles foram aceitos por Deus, pelo batismo do Espírito, não eram que colocariam mais jugo sobre os gentios.  Por fim, fizeram suas recomendações, que lemos no verso 29 “que vocês se abstenham das coisas sacrificadas a ídolos, bem como do sangue, da carne de animais sufocados e da imoralidade sexual; se evitarem essas coisas, farão bem. Passem bem.” Essas regras mostram um foco em Cristo e uma vida de pureza e santidade. O resultado desta decisão tomada sob orientação de Deus foi alegria e consolo de Deus aos corações daqueles irmãos. Ficaram tão felizes que Judas e Silas ficaram ali ensinado a palavra de Deus e animando os irmãos a continuarem na fé. 

A igreja é fundamentada na fé única e exclusiva na pessoa de Jesus. Não há outro nome que salva. Não há ação humana que garanta a salvação. É tudo pela fé. É fato, que depois de salvos temos uma nova vida, portanto, essa vida deve ser vivida em pureza e santidade, para glória de Deus, mas essa santidade é exigida como reflexão, como resultado de Cristo na vida do crente. 

APLICAÇÕES: 

  1. O falso evangelho é uma ameaça ao verdadeiro evangelho. Sabemos que é falso quando Cristo tem que competir com outras coisas para garantir a salvação. No verdadeiro evangelho Cristo é suficiente para salvar e a salvação é um presente. 
  1. Evangelho distorcido gera problemas na igreja. Temos a missão de focar na essência e fugirmos das distorções, para termos a comunhão mantida. Mas é preciso defender o verdadeiro Evangelho. É preciso se posicionar em defesa da fé.  
  1. A salvação somente em Cristo deve ser anunciada. Ela traz conforto, paz, segurança, esperança. O verdadeiro evangelho é alcançado pela fé na obra de Cristo. Qualquer outro evangelho deve ser rejeitado. 
  1. O salvo deve viver uma vida pura e santa para o Senhor.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.