Atos 13.1-12 – O ESPÍRITO SANTO E A OBRA DE EVANGELIZAÇÃO MUNDIAL 

O ESPÍRITO SANTO E A OBRA DE EVANGELIZAÇÃO MUNDIAL 

ATOS 13.1-12 

1 E NA igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. 

2 E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. 

3 Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram. 

4 E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. 

5 E, chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus; e tinham também a João como cooperador. 

6 E, havendo atravessado a ilha até Pafos, acharam um certo judeu mágico, falso profeta, chamado Barjesus, 

7 O qual estava com o procônsul Sérgio Paulo, homem prudente. Este, chamando a si Barnabé e Saulo, procurava muito ouvir a palavra de Deus. 

8 Mas resistia-lhes Elimas, o encantador (porque assim se interpreta o seu nome), procurando apartar da fé o procônsul. 

9 Todavia Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo, e fixando os olhos nele, 

10 Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? 

11 Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão. 

12 Então o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu, maravilhado da doutrina do Senhor. 

GRANDE IDEIA: A igreja deve cumprir sua missão de pregar a Palavra de Deus sob a direção do Espírito Santo. 

INTRODUÇÃO: 

Quantos dos irmãos já tiveram a oportunidade de evangelizar alguém pessoalmente? Quem já cumpriu a sua missão como crente, sabe que, na maioria das vezes que se tenta pregar o Evangelho a uma pessoa, alguma dificuldade acontece. O telefone toca, as crianças brigam, o cachorro arruma uma confusão, visitas chegam, enfim, uma dezena de coisas acontecem para atrapalhar aquele momento. 

Lembro-me de uma cena de uma peça teatral em que enquanto uma pessoa tentava falar de Jesus para um amigo, o diabo (interpretado por alguém), tapava os ouvidos daquele que estava sendo evangelizado, dava chute nas pernas dele, para que ele se distraísse. Era uma cena que mostrava uma realidade. 

Nosso texto mostra como o Evangelho avançou pela região gentílica. Aqui temos a primeira viagem missionária da igreja e os primeiros missionários comissionados. Nesta passagem, aprendemos que a igreja deve cumprir sua missão de pregar a Palavra de Deus sob a direção do Espírito Santo! Vemos como os problemas surgem, mas como são vencidos pelo poder e direção do Espírito. E serve instrução para nossas vidas e nossas ações como igreja atual do Senhor Jesus. 

Então, vamos lá. Vamos descobrir algumas verdades encontradas nesta parte da história da igreja. 

  1. O ESPÍRITO SANTO É QUEM ESCOLHE SEUS MISSIONÁRIOS. 

1 E NA igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. 

2 E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. 

3 Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram. 

E. No final do capítulo 11, encontramos Barnabé sendo enviado pela igreja de Jerusalém para Antioquia, onde grande número de pessoas gregas havia se convertido. Como esse povo estava firme na fé, uma nova igreja surgiu naquela cidade. Barnabé precisava de ajuda para ensinar todos aqueles novos convertidos e foi a Tarso buscar Saulo/Paulo. Essa dupla ficou um ano em Antioquia ensinando a Palavra à igreja, e quando souberam que viria uma fome em Jerusalém, a dupla foi enviada pela igreja para levar uma ajuda financeira aos irmãos judeus. Neste período Herodes Agripa I mandou matar o apóstolo Tiago e mandou prender a Pedro, que foi solto pela ação de um anjo, enquanto a igreja intercedia por ele. Herodes Agripa é morto por uma doença em que foi comido de vermes. Paulo e Barnabé entregaram a doação e voltaram para Antioquia. Lucas afirma que haviam mais homens capacitados para continuar o trabalho de pastorear a igreja em Antioquia e “relaciona cinco homens que ministravam na igreja: Barnabé, sobre o qual já lemos (At 4:36, 37; 9:27; 11:22-26); Simeão, que talvez fosse da África, uma vez que tinha o sobrenome “Niger” (ou “negro”); Lúcio de Cirene, que talvez tenha sido um dos fundadores da igreja em Antioquia (At 11:20); Manaém, um amigo íntimo (ou talvez um irmão adotivo) de Herodes Antipas, que havia mandado matar João Batista; e Saulo (Paulo), o último da lista, mas que em breve seria o primeiro.1 (W.W.Wiersbe). 

Isso significa dizer que a igreja em Antioquia já havia formado liderança e tinha condições de seguir em frente. Os versos 2 e 3 nos apresentam um modo como Deus age, por meio de seu Espírito Santo para guiar a igreja na sua tarefa missionária. 

No verso 2, percebemos que esses líderes estão servindo ao Senhor. Não são pessoas indiferentes à obra da igreja. O Espírito Santo de Deus falou com eles num momento de profunda devoção (servindo e jejuando). Deus escolheu e chamou o primeiro e o último da lista do verso 1. Barnabé e Saulo.  

Diante da evidência da chamada feita pelo Espírito Santo, a igreja (verso 3) confirma esse chamado depois de outro momento de oração e devoção, e os consagram para a obra missionária, os enviando e, com certeza, os sustentando na missão. 

Toda escolha partiu de Deus. Todo chamado veio do Espírito Santo àqueles irmãos. 

I. Quando uma igreja, na atualidade, promove a consagração de alguém ao ministério pastoral ou missionária, uma parte importante a ser ouvida é a experiência de conversão e chamada. Cada um relata como entendeu que Deus o comissionou ao ministério e cabe ao concílio e à igreja confirmar ou não aquele relato. 

A. O modo como Deus chama as pessoas pode ser diferente. Mas não podemos negar que o chamado é uma ação do Espírito Santo para aqueles que estão completamente dedicados à Ele e o servem junto à igreja. Somente uma igreja também dedicada, que ora, que confia na Palavra e poder do Espírito, compreenderá o que Deus está fazendo e se unirá ao seu Santo Espírito para cumprir a missão de evangelizar, não somente sua comunidade, mas todo o mundo. 

Nestes 3 primeiros versos, temos uma igreja vivendo na submissão ao Espírito Santo de Deus. 

  1. A OBRA MISSIONÁRIA É FEITA POR MEIO DE COOPERAÇÃO. 

4 E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. 

5 E, chegados a Salamina, anunciavam a palavra de Deus nas sinagogas dos judeus; e tinham também a João como cooperador. 

A viagem missionária se inicia. Lucas faz questão de registrar que os missionários foram enviados pelo Espírito Santo. Há uma ação direta de Deus no coração dos seus servos para que vão aos lugares por Ele, escolhidos. Foram a Selêucia, uma cidade da Síria que ficava uns 25km de Antioquia e, de lá, para Chipre, que era uma ilha considerada muito bonita e que ficava próxima. Eles chegaram na cidade de Salamina, uma grande cidade que ficava na costa leste da ilha de Chipre. 

Lucas nos mostra que Saulo e Barnabé procuraram as sinagogas para iniciar o ministério de evangelização local. Os judeus que moravam na região poderiam dar a eles hospedagem e apoio inicial, mesmo que não fossem cristãos. Uma vez que o verso fala de “ensinar nas sinagogas”, no plural, isso indica que fizeram isso durante muito tempo na região.  

Lucas cita que Barnabé e Saulo contavam com a ajuda de João. Não sabemos dizer o que João fazia, mas é possível que ajudasse a resolver problemas que deixassem Barnabé e Saulo livres para a pregação da Palavra. Ao que tudo indica, esse João é o mesmo citado em Atos 12, quando Lucas fala de uma reunião de oração na casa de Maria, a mãe dele. Alguns comentários afirmam que João, cognominado Marcos era primo de Barnabé. (Cognome era o 3º nome pelo qual um cidadão romano era reconhecido). 

Eram três homens unidos com o propósito de ganhar almas para Jesus. 

I. É interessante que em Lucas 10, Jesus designou 70 pessoas para irem às cidades antes dele para pregarem a sua chegada, e naquela ocasião ele mandou que fossem de dois em dois. A evangelização é uma tarefa que demanda parceria, cooperação.  

A. ainda hoje, embora cada crente tenha a missão de compartilhar sua fé com parentes, amigos, conhecidos e desconhecidos, sempre é bom, estar acompanhado de mais pessoas, pelo menos um, para que um estimule e proteja o outro, orando em seu coração, enquanto o outro compartilha Cristo. A cooperação entre Saulo, Barnabé e João Marcos com certeza rendeu muitos frutos para o evangelho de Jesus, para o reino de Deus. 

  1. A OPOSIÇÃO À OBRA MISSIONÁRIA É VENCIDA PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO. 

6 E, havendo atravessado a ilha até Pafos, acharam um certo judeu mágico, falso profeta, chamado Barjesus, 

7 O qual estava com o procônsul Sérgio Paulo, homem prudente. Este, chamando a si Barnabé e Saulo, procurava muito ouvir a palavra de Deus. 

8 Mas resistia-lhes Elimas, o encantador (porque assim se interpreta o seu nome), procurando apartar da fé o procônsul. 

9 Todavia Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo, e fixando os olhos nele, 

10 Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? 

11 Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão. 

12 Então o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu, maravilhado da doutrina do Senhor. 

E. Onde quer que o Evangelho seja vivido e pregado haverá oposição. Satanás não fica satisfeito e age para atrapalhar que o reino de Cristo avance. Paulo, Barnabé e João Marcos atravessam a ilha e foram para outra cidade, chamada Pafos, no extremo oeste da ilha. Nesta cidade morava o procônsul, nome dado aos governadores das províncias senatoriais do império romano. O nome do procônsul de Chipre era Sérgio Paulo. E Lucas destaca que era um homem prudente, sábio. Mas mal acompanhado de um judeu, chamado Barjesus (que quer dizer filho de Jesus ou filho de Josué) um mágico e falso profeta. (Mágico, neste texto é uma palavra que difere do mágico que temos na atualidade, pois é uma palavra estrangeira que era dada para muita gente de sábios a feiticeiros e astrólogos). Aqui, no entanto, Lucas o identifica logo como falso profeta, alguém se passando como pessoa de Deus. O governador convidou Paulo e Barnabé para lhe pregar a Palavra de Deus, mas esse Barjesus, chamado também de Elimas, um nome árabe para o Barjesus, começou a fazer oposição aos missionários e a atrapalhar a pregação do evangelho. 

Paulo, movido pelo Espírito Santo, olhou para Elimas e disse o que encontramos nos versos 10 e 11, deixe-me ler aqui: 10 Disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? 11 Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão.” O Espírito Santo agiu poderosamente fazendo cessar toda oposição à pregação do Evangelho. 

O resultado da ação de Deus ao permitir a cegueira de Elimas/BarJesus foi que o procônsul Sérgio Paulo se converteu a Cristo. O impacto do poder e ação do Espírito Santo aliado ao ensino da Palavra de Deus feito por Paulo e Barnabé, levaram o homem sábio e prudente a um encontro de fé com Jesus, crendo nele. 

Aqui aconteceu com Paulo e Barnabé, o mesmo que acontece com todo aquele que deseja evangelizar, sendo fiel à Cristo, submisso ao Espírito Santo e leal às Escrituras. Sempre haverá oposição ao Evangelho. Mas isso jamais poderá ser motivo para desistir, pelo contrário, deverá ser motivo para orar, submeter-se ao Espírito e insistir na pregação da Palavra. 

O Evangelho cresceu em Chipre. O restante do capítulo, bem como do livro de Atos vai nos mostrar que a igreja sempre sofreu oposição ao pregar o Evangelho. Aliás o Apocalipse nos revela que assim será até que nosso salvador volte e nos leve para habitar os novos céus e terra. Até lá, seguiremos firmes, pregando a palavra com fidelidade e submissos ao Espírito Santo agindo debaixo de seu poder. 

APLICAÇÕES: 

  1. É o Espírito Santo que dirige a igreja. Ele escolhe e chama seus escolhidos para o ministério. Ele capacita e usa poderosamente os que lhe são submissos. Cada crente, no entanto, deve se dedicar à oração e serviço a Cristo por meio da sua igreja. 
  1. Deus sempre levantará líderes para a sua igreja. Há algum tempo atrás, um grupo de irmãos se reunia comigo todas as manhãs em oração. Orávamos pelos nossos idosos, pelo nosso país, pelos governantes, orávamos também pelos nossos jovens e por mais líderes. Deus levantou alguns. Deus atendeu nossas orações. Deus curou pessoas. Deus está agindo. Precisamos orar mais e orar sempre. Precisamos de mais irmãos que queiram se reunir para orar. 
  1. A cooperação é a maior necessidade da igreja. A Evangelização não é feita por gente sozinha, ele demanda a parceria dos irmãos. Assim como as atividades no templo demandam a participação de todos. O reino de Deus espera sua cooperação! 
  1. Sempre haverá oposição ao crente fiel a Cristo e à sua Palavra. Mas somos mais do que vencedores em Jesus e, submissos ao Espírito Santo, vencemos tudo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.