atos 8.4-25 – A PALAVRA DE DEUS E O PODER DO ESPÍRITO SANTO

INTRODUÇÃO: 

Como temos trabalhado com textos narrativos, com o livro bíblico que trata da história da igreja em seus primeiros anos, vamos trabalhar a nossa reflexão de hoje intercalando o texto bíblico e as lições que podemos tirar dele. 

Se voltarmos nossos olhos para Atos 1.8, vamos nos lembrar que os primeiros discípulos de Jesus foram orientados a aguardarem a descida do Espírito Santo sobre eles, permanecendo em Jerusalém e, logo que isso acontecesse, eles deveriam se tornar testemunhas de Jesus em Jerusalém, em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da Terra. Até o capítulo 7, somos informados do que aconteceu em Jerusalém e região da Judeia. Agora, o autor do livro, o médico e evangelista Lucas, nos relata que após a morte de Estevão, uma grande perseguição se iniciou contra a igreja em Jerusalém e região, tendo Saulo como um dos mais violentos perseguidores da igreja. 

Para escaparem da perseguição em Jerusalém, os irmãos se dispersam. Eles fogem de Saulo e dos demais perseguidores, mas não da sua responsabilidade de serem testemunhas de Jesus. Por onde andam, testemunham de Cristo. Não há relatos de que estes faziam sinais ou milagres, mas eles compartilhavam sua fé em Jesus.  

E o que vamos ler agora, em Atos 8.4-8. 

4 Enquanto isso, os que foram dispersos iam por toda parte pregando a palavra.  

5 Filipe foi à cidade de Samaria e anunciava Cristo ao povo dali.  

6 As multidões, unânimes, davam atenção às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele fazia.  

7 Pois os espíritos imundos, gritando em alta voz, saíam de muitos que estavam possuídos por eles; e muitos paralíticos e coxos foram curados.  

8 E houve grande alegria naquela cidade.  

1. O EVANGELHO É CRISTO E SUA PRESENÇA TRAZ ALEGRIA. 

E. O verso 4 nos afirma que os dispersos iam pregando a palavra. Eles davam testemunho da sua fé. Já Filipe anuncia, prega como um arauto, como um porta-voz, a pessoa de Cristo ao povo samaritano. Os samaritanos eram judeus do antigo reino de Israel, ou reino do norte. Depois da morte de Salomão o reino de Israel foi dividido em dois: reino do Norte, tendo Samaria como capital, e reino do Sul, tendo Jerusalém como capital. Eram o mesmo povo, mas brigados um com o outro. Os Judeus da Judeia consideravam os samaritanos o equivalente, a mais ou menos, o que chamamos de cristãos falsos e mundanos nos dias de hoje. 

Filipe era um dos 7 homens de boa reputação e cheios do Espírito que, juntamente com Estevão, foi escolhido para administrar a destruição de alimentos que a igreja fazia. Era um dos “diáconos” da igreja primitiva. Esse homem era um pregador do Evangelho de Jesus. Era um dos que, mesmo sendo disperso, não deixou de pregar a Palavra, o evangelho aos que encontrava. Mas Deus o usou de modo especial, permitindo que, por meio dele alguns sinais espetaculares acontecessem para que o povo cresse em Jesus. Os sinais, conforme o verso 7 eram: expulsão de demônios e cura de paralíticos e aleijados. O resultado foi uma grande alegria naquela cidade.  

Mas observe os versos 5 e 6. O Evangelho foi pregado. Jesus foi apresentado. E as pessoas davam atenção ao que Filipe dizia. O foco do ministério de evangelização de Filipe era a exposição da Palavra. Mas Deus manifestava seu poder, pela ação do seu Espírito Santo. Até então, apenas os apóstolos faziam sinais e maravilhas. Mas Lucas registra que Estevão e, agora, também Filipe foram usados por Deus para operar esses sinais miraculosos.   

I. Ao longo da história Deus tem realizados milagres e ações poderosas do seu Espírito Santo para confirmar a pregação do Evangelho. Em locais onde há muita ação enganosa do diabo fazendo curas e outras ações espetaculares, Deus manifesta sua graça e poder, para retirar o engano do diabo. Mas nunca devemos nos esquecer que o foco está na pregação do Evangelho. Ninguém jamais será salvo por um milagre ou sinal, mas pela fé em Jesus, na sua obra redentora realizada na cruz do calvário. 

A. Ainda hoje, podemos crer que Deus fará seus sinais e maravilhas. O Espírito Santo é o mesmo hoje do que era no passado. Mas, nosso foco deve ser a pregação do Evangelho, devemos colocar as Escrituras Sagradas no centro do nosso culto e expor seus ensinos, demonstrar o Evangelho que é poder de Deus para salvação de todo aquele que crer. A alegria dos samaritanos não estava apenas em ver os sinais feitos por Filipe, mas incluía a verdade bíblica, o ensino do Evangelho puro e simples de Jesus, capaz de retirar o homem da opressão do diabo, da escravidão do pecado e lhe conduzir em segurança, paz e alegria para a vida eterna com Deus, por meio da fé em seu filho, Jesus Cristo. 

Mas nossa história continua: 

9 Havia naquela cidade um homem chamado Simão, que praticava artes mágicas e deixava o povo de Samaria admirado. Dizia ser alguém muito importante,  

10 e todos lhe davam ouvidos, do menor ao maior, dizendo: — Este homem é o poder de Deus, chamado “o Grande Poder”.  

11 Davam atenção a ele porque durante muito tempo os havia impressionado com as suas artes mágicas.  

12 Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, tanto homens como mulheres.  

13 O próprio Simão abraçou a fé e, tendo sido batizado, acompanhava Filipe de perto, observando extasiado os sinais e grandes milagres praticados.  

14 Quando os apóstolos, que estavam em Jerusalém, ouviram que o povo de Samaria tinha recebido a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João.  

15 Chegando ali, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo,  

16 pois o Espírito ainda não havia descido sobre nenhum deles. Tinham apenas sido batizados em nome do Senhor Jesus.  

17 Então lhes impuseram as mãos, e eles receberam o Espírito Santo.  

18 Quando Simão viu que, pelo fato de os apóstolos imporem as mãos, era concedido o Espírito Santo, ofereceu-lhes dinheiro,  

19 dizendo: — Deem também a mim este poder, para que a pessoa sobre a qual eu impuser as mãos receba o Espírito Santo.  

20 Mas Pedro respondeu: — Que o seu dinheiro seja destruído junto com você, pois você pensou que com ele poderia adquirir o dom de Deus!  

21 Não existe porção nem parte para você neste ministério, porque o seu coração não é reto diante de Deus.  

22 Portanto, arrependa-se desse mal e ore ao Senhor. Talvez ele o perdoe por esse intento do seu coração.  

23 Pois vejo que você está cheio de inveja e preso em sua maldade.  

24 Simão disse aos apóstolos: — Peço que vocês orem ao Senhor por mim, para que não me sobrevenha nada do que vocês disseram.  

25 Eles, porém, tendo dado o seu testemunho e pregado a palavra do Senhor, voltaram para Jerusalém e evangelizavam muitas aldeias dos samaritanos.  

2. O ESPÍRITO SANTO, O DOM (PRESENTE) DE DEUS, NÃO É PARA GLÓRIA HUMANA, MAS PARA GLÓRIFICAÇÃO DE CRISTO. 

E. Nosso cenário ainda se passa em Samaria. Lucas agora faz o registro de um homem chamado Simão. Um mágico. Simão falava a respeito de si mesmo como sendo alguém importante. E o povo lhe chamava de grande poder e Poder de Deus por causa das suas mágicas. Mas ao ouvirem falar de Jesus e verem demônios serem expulsos e aleijados serem curados, as pessoas passaram a dar atenção à mensagem de Filipe e muitos creram em Jesus. Aquele que se dizia o poder de Deus, agora está admirado diante do verdadeiro poder de Deus – O evangelho de Jesus Cristo! 

Simão abraçou a fé e foi batizado. Mas observem que seus interesses não estavam em Cristo. Os versos 12 e 13 parecem sugerir que a fé de Simão está atrelada à sua perda de popularidade para Filipe. Ele começou a segui-lo bem de perto, como se a manifestação do poder de Deus pela ação de Filipe fosse algo a que pudesse aprender a fazer.  

Com a notícia das conversões em Samaria, os apóstolos seguem para lá. Um fato se destaca no texto. Os novos crentes em Samaria ainda não haviam recebido o Espírito Santo, o texto relato que foram batizados apenas em nome de Jesus. Os apóstolos Pedro e João, colocaram suas mãos sobre os novos crentes que receberam o Espírito Santo.  

Precisamos pensar aqui sobre este episódio. O capítulo 8 relata como o Evangelho deixou a região de Jerusalém e Judeia e se dirigiu para Samaria em cumprimento ao que Jesus havia dito em Atos 1.8 “sereis minhas testemunhas em toda Judeia e Samaria e até os confins da terra”. Estamos, portanto, numa fase de transição entre o abandono do judaísmo para as convicções do cristianismo. Vale lembrar que Judeus e Samaritanos não se davam. Os judeus consideravam os samaritanos como mundanos incrédulos, quase como gentios. No entanto, no intuito de romper com as barreiras que os separavam, o Espírito Santo é dado aos samaritanos na presença dos apóstolos. E, agora eles sabem que não são apenas os judeus “puros” que poderão ser salvos por Jesus. 

Ao ver o Espírito santo ser concedido aos novos crentes de Samaria, Simão oferece dinheiro a Pedro e João para que compartilhem com ele o poder de conceder o Espírito Santo. Pedro lhe repreende e lhe mostra que o Espírito Santo é um dom de Deus, não é um poder mágico que possa ser comprado ou aprendido. Ele não tinha participação neste ministério, porque, segundo Pedro, o coração de Simão não era reto diante de Deus e ele devia se arrepender e orar a Deus para que fosse perdoado, sua condição era de alguém amargurado, cheio de inveja e iniquidade. Simão, ao invés de arrepender-se parece que entendeu as palavras de Pedro como maldição e não como correção de seu erro. Seu pedido é resultado de medo e não de arrependimento. 

Simão é um exemplo de que, desde o início da igreja, havia muitos que abraçaram a fé por interesses outros que não seguir a Cristo em obediência e fé. Simão ganhava dinheiro com magia. Aparentemente achou que as manifestações do Espírito Santo fosse algo que pudesse ser vendido posteriormente, era um investimento. Que tristeza quando alguém faz das coisas espirituais um modo de ganhar dinheiro. Apenas revelam que, embora tenham sido batizados, seus corações estão longe de Deus, longe da salvação em Cristo. São religiosos, falsos irmãos, que querem Cristo e seu poder apenas para esta vida. Paulo afirmou em 1 Co 15 que quem pensa em Cristo apenas para esta vida são as pessoas mais miseráveis deste mundo.  

APLICAÇÕES: 

  1. Embora haja pregadores do Evangelho que anunciam de forma oficial, como um arauto. O equivalente aos pastores e missionários de nossos dias. A Bíblia mostra que os crentes davam testemunho de Jesus por onde passavam. O que prova que cada pessoa, cada membro da igreja tem a tarefa de compartilhar Jesus todos os dias com as pessoas com quem se encontram. Ainda que não sejam pregadores do púlpito, são evangelistas das ruas. 
  1. O Evangelho traz alegria completa. Ele traz a salvação pela fé em Jesus. E junto com Cristo, Deus nos concede suas maravilhosas, seus milagres, sua ação em nosso favor. Não são os milagres que salvam. Quem salva é Cristo, é sua obra de morte na cruz e ressurreição, que devem gerar em nosso coração arrependimento e fé. Mas uma vez salvos, podemos contar com sua graça e misericórdia, e com os milagres que Deus pode fazer, curando e restaurando pessoas. 
  1. O Espírito Santo é um presente e todo crente o recebe no ato de sua conversão, conforme lemos em Efésios 1.13. Mas neste texto, estamos numa fase transitória do Velho para o Novo Testamento. Por isso, temos esse episódio para que Deus ensinasse aos apóstolos e demais crentes judeus que o Evangelho, a salvação está disponível para todos de todos os povos, bastando que se arrependam e creiam! 
  1. Crentes falsos existem desde o início! Eles dizem se converter, eles são batizados, mas seus interesses não estão na glória de Cristo. Eles fazem do Evangelho algo que apenas o beneficiem nesta vida. Estes não têm parte da obra de Deus e serão destruídos com sua ganância. 
Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *