atos 7.44-60 as revelações da verdade bíblica

ATOS 7.44-60 

44 “No deserto os nossos antepassados tinham o tabernáculo da aliança, que fora feito segundo a ordem de Deus a Moisés, de acordo com o modelo que ele tinha visto. 

45 Tendo recebido o tabernáculo, nossos antepassados o levaram, sob a liderança de Josué, quando tomaram a terra das nações que Deus expulsou de diante deles. Esse tabernáculo permaneceu na terra até a época de Davi, 

46 que encontrou graça diante de Deus e pediu que ele lhe permitisse providenciar uma habitação para o Deus de Jacó. 

47 Mas foi Salomão quem lhe construiu a casa. 

48 “Todavia, o Altíssimo não habita em casas feitas por homens. Como diz o profeta: 

49 ‘O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés. Que espécie de casa vocês me edificarão? diz o Senhor, ou onde seria meu lugar de descanso? 

50 Não foram as minhas mãos que fizeram todas estas coisas? ’ 

1. A VERDADE BÍBLICA REVELA UM DEUS MAIOR QUE SÍMBOLOS 

E. Estevão continua seus argumentos de defesa relembrando aos sacerdotes que no passado os israelitas tinham o tabernáculo da aliança (uma espécie de templo improvisado em tendas), onde o culto era realizado. Esse sistema durou até Davi, que intentou a construção do templo. Mas Deus permitiu apenas que Salomão, filho de Davi, construísse o templo. No entanto, havia uma verdade que deveria ser esclarecida. Deus não habita em templos feitos por homens. O templo era um bom local para o culto e simbolizava a presença de Deus. Mas Deus é maior do que qualquer símbolo. Deus é maior que a ideia que se possa ter dele. Os versos 49 e 50 revelam a autoridade (céu é trono); a onipotência (a terra é onde coloco os pés). E a grandeza do Deus criador (que casa vocês conseguirão construir para mim? Como vou descansar em algo tão pequeno?). Como o criador de todas as coisas ficaria dentro de algo que uma de suas criaturas fez? 

I. Em Hebreus 9, somos ensinados que o sacrifício que Jesus fez na cruz em nosso lugar, foi perfeito e definitivo, dando fim ao sistema sacrificial, porque ele não ofereceu o sangue de animais, mas o seu próprio; ele não entrou em templo de cimento, mas na eterna presença de Deus, no templo celeste onde, de fato, Deus habita e reina. Os judeus haviam acusado Estevão de falar contra o templo, e contra a lei de Moisés. No entanto, em seu discurso, Estevão deixa claro que o problema dos judeus era ter a Palavra de Deus nas mãos, mas não no coração.  

A.  O grande desafio da igreja atual é colocar a Palavra de Deus no coração. É compreender suas verdades, aplica-la à vida e ser obediente à ela, não inventando regras ou pecados dos quais ela nada diz; nem deixando de expor suas verdades e condenar os pecados que ela condena, oferecendo àqueles que se arrependerem as boas novas da salvação e perdão em Jesus Cristo. 

Deus é maior que os símbolos, sejam eles quaisquer coisas que venham a representa-lo em nossa vida e coração. É nele e na sua Palavra que deve estar depositado nosso coração e obediência. 

Seguindo a nossa narrativa: 

51 “Povo rebelde, obstinado de coração e de ouvidos! Vocês são iguais aos seus antepassados: sempre resistem ao Espírito Santo! 

52 Qual dos profetas os seus antepassados não perseguiram? Eles mataram aqueles que prediziam a vinda do Justo, de quem agora vocês se tornaram traidores e assassinos — 

53 vocês, que receberam a Lei por intermédio de anjos, mas não lhe obedeceram”. 

2. A VERDADE REVELA O CORAÇÃO IMPIO DAQUELES QUE DEVIAM SER PIEDOSOS. 

E. Estevão confronta seus acusadores com a verdade bíblica. Eles faziam aquilo que acusavam. Seus corações e ouvidos eram obstinados, o que evidenciava a rebeldia contra a Palavra de Deus. Em resumo, os homens da época de Estevão, não eram diferentes dos homens maus do passado. Eles tinham algo que se repetia na história.  Os homens do passado perseguiram e mataram aqueles que lhes anunciaram a vinda do Cristo. Os homens que condenavam Estevão, haviam matado a Jesus. Eles receberam a Lei, por meio de anjos, ou seja, sabiam da sua importância, da sua origem, mas, ainda assim, não a obedeceram.  

I. Quando a Palavra de Deus é pregada sem distorções, sem pressupostos da atualidade, sem ser desconsiderado seus ensinos, ela revela o coração ímpio do ser humano. No entanto, os ensinos de Paulo dizem que era esse mesmo o proposito da Lei, servir de guia até encontrarmos a Cristo. A Lei revela o nosso coração pecaminoso, nos faz compreender o quanto estamos distantes do alvo estabelecido por Deus, e o quanto, sozinhos, somos merecedores da morte e do inferno, para que, nesta hora, sejamos apresentados às boas novas do Evangelho. Deus nos deu o salvador, Jesus Cristo. Ele assumiu a nossa condenação e morreu a nossa morte. Ele levou na cruz, sobre si, os nossos pecados. Sua morte nos trouxe o perdão perfeito, completo. Sua ressurreição nos garante a vida eterna.  

A. Você e eu, ao vermos nossa impiedade revelada pelas Escrituras, devemos correr em arrependimento até a cruz de Cristo. Pela fé em Jesus somos perdoados e salvos. Você pode agir como um religioso, sabendo o que Deus ensina na Bíblia e ser-lhe desobediente, perseguindo aqueles que lhe pregam a verdadeira e santa palavra, ou pode arrepender-se e ser salvo por Jesus, e ao invés de ser resistente à Bíblia, ser submisso à ela, em humildade e dependência do Senhor. 

Seguindo a narrativa 

A morte de Estêvão  

54 Ouvindo isso, ficavam furiosos e rangiam os dentes contra ele. 

55 Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, levantou os olhos para o céu e viu a glória de Deus, e Jesus de pé, à direita de Deus, 

56 e disse: “Vejo o céu aberto e o Filho do homem de pé, à direita de Deus”. 

57 Mas eles taparam os ouvidos e, gritando bem alto, lançaram-se todos juntos contra ele, 

58 arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas deixaram seus mantos aos pés de um jovem chamado Saulo. 

59 Enquanto apedrejavam Estêvão, este orava: “Senhor Jesus, recebe o meu espírito”. 

60 Então caiu de joelhos e bradou: “Senhor, não os consideres culpados deste pecado”. E, dizendo isso, adormeceu. 

3. A VERDADE REVELA QUE O SOFRIMENTO DO SALVO É RECOMPENSADO EM CRISTO. 

E. Que cena forte! Ao invés de se arrependerem e aceitarem a verdade das Escrituras que lhe foram expostas, experimento arrependimento; aqueles homens se encheram de ódio! Estava provado todo o sermão de Estevão. Eles eram homens rebeldes a Deus e sua palavra. Estevão, em meio a todo o ódio que o cercava, cheio do Espírito Santo, vê o céu aberto e Jesus em sua glória, em pé, à direita de Deus. Mas os homens taparam os ouvidos e gritaram. Não queriam mais ouvir a Palavra sendo pregada. E começaram a apedrejar Estevão, o arrastando para fora da cidade, como se ele fora um estranho, um criminoso. Cheio do amor de Cristo e do poder do Espírito, Estevão ora: Senhor Jesus, recebe o meu espírito; e não os considere culpados deste pecado”. E morreu. Saulo, um jovem que vigiou os mantos dos assassinos, concordou com a morte de Estevão. Apesar de sua morte violenta, a recompensa de Estevão era sua convicção de salvação e certeza de ter o seu salvador e Senhor lhe esperando na eternidade. Em sua visão, Jesus está vivo, reinando. Não era um sonho. Não era um delírio. Era a prova e recompensa de sua fé. 

I. A história da Igreja vai revelar que os cristãos no mundo inteiro têm sofrido pelo nome de Jesus. Enfrentaram torturas e mortes. Foram serrados pelo meio, mortos ao fio da espada, espancados, açoitados, presos, devorados por feras, crucificados, mortos a tiros, como acontece na atualidade. Mas nenhum destes tem negado sua fé. Nenhum destes fieis tem deixado de acredito que o salvo é recompensado pela sua fé em Cristo e que a eternidade é o alvo de todo aquele que nele crê. 

A. Será que você é um cristão autêntico? Será que, por Cristo, teria coragem de enfrentar o risco da morte? Será que por Cristo, você pagaria esse alto preço? 

O Brasil já começa a experimentar algum tipo de perseguição religiosa novamente. Os crentes estão sofrendo em muitos lugares. Muitos políticos trabalham diuturnamente para calar a igreja, fechar seus locais de culto. Impedir você de cumprir a sua missão – denunciar o pecado e apresentar Jesus como salvação. Você pode até passar sua vida cantando músicas antropocêntricas, destituídas das verdades bíblicas reveladoras. Mas eles não querem que você ore, pregue a Palavra e seja obediente a ela, anunciando a outros que pecadores são condenados ao inferno e somente em Cristo há perdão e salvação. 

O que você fará quando chegar sua vez? Vai recuar ou avançar na pregação do evangelho? 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *