ressurreição, a mensagem que deve ser pregada. atos 4.1-12 – sermão 8

RESSURREIÇÃO – A MENSAGEM QUE DEVE SER PREGADA

ATOS 4.1-12

1 Enquanto Pedro e João falavam ao povo, chegaram os sacerdotes, o capitão da guarda do templo e os saduceus.

2 Eles estavam muito perturbados porque os apóstolos estavam ensinando o povo e proclamando em Jesus a ressurreição dos mortos.

3 Agarraram Pedro e João e, como já estava anoitecendo, os colocaram na prisão até o dia seguinte.

4 Mas, muitos dos que tinham ouvido a mensagem creram, chegando o número dos homens que creram a perto de cinco mil.

5 No dia seguinte, as autoridades, os líderes religiosos e os mestres da lei reuniram-se em Jerusalém.

6 Estavam ali Anás, o sumo sacerdote, bem como Caifás, João, Alexandre e todos os que eram da família do sumo sacerdote.

7 Mandaram trazer Pedro e João diante deles e começaram a interrogá-los: “Com que poder ou em nome de quem vocês fizeram isso? “

8 Então Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: “Autoridades e líderes do povo!

9 Visto que hoje somos chamados para prestar contas de um ato de bondade em favor de um aleijado, sendo interrogados acerca de como ele foi curado,

10 saibam os senhores e todo o povo de Israel que por meio do nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem os senhores crucificaram, mas a quem Deus ressuscitou dos mortos, este homem está aí curado diante dos senhores.

11 Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’.

12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

GRANDE IDEIA: Mesmo debaixo de perseguição, aqueles que creem no Cristo ressurreto, sob a direção do Espírito Santo, proclamam ousadamente a mensagem de salvação.

INTRODUÇÃO:

                Em 1996, no meu primeiro ministério, fui informado pelos irmãos da igreja, que o padre da cidade, tinha falado na rádio local que os católicos batessem em mim e nos irmãos da igreja quando a gente fosse à casa deles para pregarem o evangelho. Alguns irmãos ficaram assustados com isso, porque eles saíam toda semana de casa em casa, falando de Jesus. Oramos, e Deus reverteu a situação, pois as pessoas que a gente encontrava dizia: Esse padre que devia pregar amor, prega o ódio e a violência. E muitos começaram a crer em Cristo naquela cidade.

                A história vai registrar inícios de igrejas bastante violentos no passado. Ainda acontece em algumas cidades do Brasil. Em São Fidélis, quando o trabalho batista começou a ser implantado, Salomão Luiz Guinsburg, missionário batista foi ameaçado de morte e perseguido pelos católicos da cidade. Ele correu e se dirigiu para a frente da casa do juiz da cidade, que o socorreu.

                A perseguição aos que pregam o evangelho ocorreu desde o início da história da igreja. Ela já começou com o próprio Cristo que foi morto, sob a acusação de considerar a si mesmo, o messias, o rei dos judeus. Agora, após sua ressurreição e a confirmação que Jesus era, de fato, o messias, o rei prometido; a igreja começa a anunciá-lo como tal, e a perseguição dos judeus começa com força total.

                A cura do aleijado em nome de Jesus era a evidência factual que os líderes judeus não podiam negar. Contra provas não há argumentos. Pedro pregava que o homem fora curado por Jesus, aquele que esteve morto e agora estava vivo. E que a fé em Jesus era a única possibilidade de salvação. Essa parte da história, traz algumas lições importantes:

  1. A MENSAGEM DA RESSURREIÇÃO DEVE SER PREGADA AINDA QUE GERE PERSEGUIÇÃO.

1 Enquanto Pedro e João falavam ao povo, chegaram os sacerdotes, o capitão da guarda do templo e os saduceus. 2 Eles estavam muito perturbados porque os apóstolos estavam ensinando o e proclamando em Jesus a ressurreição dos mortos. 3 Agarraram Pedro e João e, como já estava anoitecendo, os colocaram na prisão até o dia seguinte.       

                Já falamos noutra oportunidade, analisando o capítulo 3, que a cura do aleijado sentado na entrada do templo era para comprovar que Jesus estava vivo! E que reinava ao lado de Deus, no céu, sendo portanto, o messias que fora rejeitado conforme predito no Velho Testamento.

                Entre os que chegaram para barrar a pregação de Pedro e João, estavam sacerdotes (responsáveis por representar o povo diante de Deus e interceder por eles com a prática dos sacrifícios no templo); o capitão da guarda (o que significa que as autoridades policiais foram convocadas; e os saduceus (estes formavam uma seita, cuja doutrina negava a possibilidade de ressurreição e a existência dos anjos). Estudiosos afirmam que haviam muitos saduceus na liderança do nação judaica. E eles estão ali para combater a mensagem pregada por Pedro e João; a saber, a ressurreição de Jesus Cristo, comprovada com a cura do aleijado. O resultado foi a prisão de Pedro e João, aparentemente, de forma truculenta.

                Infelizmente a mensagem cristã nunca foi bem vista pela sociedade. Ao longo da história da igreja, aqueles que creram em Jesus e, fielmente cumpriram a missão de pregar o evangelho aos demais, sofreram perseguições. Já vimos aqui noutras oportunidades sobre o que acontecia com os cristãos a quem Pedro escreveu suas cartas. Aqui ainda estamos no início, mas muitos foram queimados vivos; outros foram jogados aos leões, sob o aplauso das plateias enfurecidas contra Cristo. Nos últimos anos, a estratégia satânica tem sido colocar pessoas falsas dentro das igrejas para gerar controvérsias, dúvidas à Palavra de Deus, gente imatura; pregadores e membros de igrejas que tentam enganar os fiéis e fazê-los pecar, visando sua destruição. É mais fácil destruir por dentro. Em toda guerra, os generais sabem que se conseguirem invadir e enganar o exército inimigo do lado de dentro, ele será derrotado.

                Vivemos essa realidade da perseguição velada. São pastores e membros que vivem na carnalidade, que pecam e afirmam que isto não tem problema algum. São crentes falsos que querem apenas a aprovação dos outros, por estarem numa igreja, mas que vivem como mundanos.

                Paulo falou sobre essa gente em 1 Coríntios 5.9-11 dizendo: “9 Já lhes disse por carta que vocês não devem associar-se com pessoas imorais. 10 Com isso não me refiro aos imorais deste mundo, nem aos avarentos, aos ladrões ou aos idólatras. Se assim fosse, vocês precisariam sair deste mundo. 11 Mas agora estou lhes escrevendo que não devem associar-se com qualquer que, dizendo-se irmão, seja imoral, avarento, idólatra, caluniador, alcoólatra ou ladrão. Com tais pessoas vocês nem devem comer.

                Não podemos nos calar diante da perseguição, seja externa ou mesmo a que vem de dentro dos templos. Quem é de Jesus, sofrerá a perseguição, mas continuará pregando o Cristo ressuscitado! Único capaz de salvar o homem pecador, incluindo o falso cristão.

  • A MENSAGEM DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO PRODUZIRÁ SEUS FRUTOS, MESMO SOB AMEAÇAS.

4 Mas, muitos dos que tinham ouvido a mensagem creram, chegando o número dos homens que creram a perto de cinco mil.

                A Bíblia afirma que a palavra de Deus não volta para o Senhor vazia, mas faz o que Deus gosta. A multidão que viu o aleijado curado queria saber como isso havia acontecido. Vimos que Pedro afirmou que aquele milagre era porque Jesus havia sido ressuscitado. Eles pediram a morte de Jesus, mas Deus o ressuscitou dos mortos. Jesus vivo, era a prova de que era o messias, o rei eterno prometido.   Agora a liderança judaica estava ameaçando a igreja, prendendo seus alguns de seus apóstolos, deixando claro para o povo que a mensagem que eles anunciaram não era autorizada pela liderança religiosa de Israel.

                Os mesmos líderes que causaram a morte de Jesus, agora estavam ameaçando seus discípulos. Isto devia assustar o povo. Mas Deus é maior! Seu poder ultrapassa do medo! Sua mensagem não volta vazia. Ela produzirá o fruto que Deus desejar que produza no tempo que Deus estabelecer! Glória a Deus por isso!

                E no meio daquela multidão que ainda passeava pelo templo por causa das festas da cidade. O número de pessoas que creram em Cristo, que havia alguns dias era de quase 3 mil, agora sobe para quase 5 mil. Mais duas mil pessoas em média reconhecem que Jesus é o Cristo, o messias, que ele está vivo, e que precisam arrepender-se de seus pecados e viverem em obediência a ele.

                É impossível barrar o evangelho! Ele vai alcançar coração sedentos! Ele vai conduzir pessoas ao arrependimento e trazê-las de volta a uma vida de paz com Deus. Enquanto temos pessoas nas igrejas vivendo de forma pecaminosa, agindo como incrédulas e dando mau testemunho; Deus, na sua muita graça e misericórdia, continua usando aqueles que lhe são fiéis, continua falando poderosamente através deles, e continuará salvando pessoas de seus pecados.

                Mas fica o alerta de Jesus em Mateus 18.7, sobre aqueles que estão nas igrejas atrapalhando a pregação do evangelho, vejam: “”Ai do mundo, por causa das coisas que fazem tropeçar! É inevitável que tais coisas aconteçam, mas ai daquele por meio de quem elas acontecem!”

                No entanto, enquanto os falsos serão punidos pela sua vida cristã mesquinha e fraca, os salvos buscarão arrependimento, serão testemunhas vivas do evangelho de Jesus. Viverão para a glória de Deus! Farão conhecido a todas as pessoas que encontram, que o Cristo está vivo! Que ele e somente ele pode salvar. Que todos devem se arrepender e crer nele enquanto ainda podem!

  • A MENSAGEM DA RESSURREIÇÃO DEVE SER ANUNCIADA ÀQUELES QUE LHE PERSEGUEM

5 No dia seguinte, as autoridades, os líderes religiosos e os mestres da lei reuniram-se em Jerusalém.

6 Estavam ali Anás, o sumo sacerdote, bem como Caifás, João, Alexandre e todos os que eram da família do sumo sacerdote. 7 Mandaram trazer Pedro e João diante deles e começaram a interrogá-los: “Com que poder ou em nome de quem vocês fizeram isso? ” 8 Então Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: “Autoridades e líderes do povo! 9 Visto que hoje somos chamados para prestar contas de um ato de bondade em favor de um aleijado, sendo interrogados acerca de como ele foi curado, 10 saibam os senhores e todo o povo de Israel que por meio do nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem os senhores crucificaram, mas a quem Deus ressuscitou dos mortos, este homem está aí curado diante dos senhores. 11 Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’. 12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

                As autoridades se reúnem. Um julgamento é feito. As ameaças agora tomar um contorno judicial. Pedro e João são interrogados no tribunal religioso dos Judeus. Um tribunal com poderes para decretar a pena de morte, mas se lembrar do que aconteceu com Jesus. Era de se esperar que os discípulos tivessem medo. Afinal, a acusação era que afirmavam a ressurreição de Jesus. Se isto fosse uma mentira, com certeza eles pediriam desculpas e tudo seria desfeito.

                Mas eles sabem que o que creem e pregam não é mentira. É um fato. É a verdade pura e simples sobre aquele que é a verdade, Jesus Cristo. Pedro e João são cheios do Espírito Santo. Esse é diferencial em suas vidas. Essa é a fonte da sua coragem e ousadia. Esse é o mover que os conduz a crer, viver e anunciar a salvação em Cristo.

                Observem os últimos versos: “10 saibam os senhores e todo o povo de Israel que por meio do nome de Jesus Cristo, o Nazareno, a quem os senhores crucificaram, mas a quem Deus ressuscitou dos mortos, este homem está aí curado diante dos senhores. 11 Este Jesus é ‘a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’. 12 Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

                Pedro e João, movidos pelo Espírito, afirmam que Jesus foi crucificado pelos líderes judaicos. Sabemos que isso foi feito pelos soldados romanos, mas o que Pedro está dizendo é que foi a mando desses líderes e desse tribunal que estava reunido. Eles, corajosamente, sob todos os riscos, afirmam que o Jesus que fora morto, Deus o ressuscitou dos mortos, e em nome dele o aleijado fora curado. Jesus é a pedra rejeitada para a construção, que se tornou a principal pedra, a pedra angular. No passado, não havia as colunas com ferro e cimento que usamos para dar sustentação às nossas casas. Mas havia a pedra angular, uma pedra forte, talhada à mão para servir de coluna da casa e para guiar as demais pedras das paredes. Ao afirmar que Jesus é a Pedra Angular, ou de esquina, Pedro está afirmando que Deus o fez a base de tudo, aquele que vai construir o reino de Deus e nele o reino será sustentado. Aquele que todas as demais pedras vidas, (crentes em Cristo), estarão firmadas.  A igreja está sobre o fundamento da ressurreição de Cristo e não é possível colocar outro fundamento.

                Queridos, a nossa salvação está no Cristo ressuscitado! Sem ele, estamos todos perdidos. Não há salvação em outro nome. Não adianta dizer que crê em Deus, em Maria, em João. Pedro afirmou que em nenhum outro nome há salvação: apenas o nome de Jesus. Este é o nome que é sobre todo nome! Este é o nome que todo joelho terá que se dobrar e que toda língua confessará que é Senhor, para glória de Deus Pai.

                As pessoas que nos perseguem, dentro ou fora das religiões, precisam ouvir de nós, que só em Jesus Cristo há salvação! Precisam ser confrontados pelos seus pecados e convidados ao arrependimento e fé em Jesus.

Conclusão:

                A mensagem da ressurreição de Cristo é a base para a nossa salvação. Essa mensagem tem que ser pregada, ainda que haja perseguição, crendo que ela vai produzir fé e salvação em quem a ouve, e mesmo aqueles que nos perseguem e nos maltratam, precisam ouvi-la e terem a oportunidade do arrependimento.

                Jesus amou você. Ele deu a vida dele por você. Ele foi ressuscitado para garantir a esperança da vida eterna e da paz com Deus. Arrependa-se e creia nele.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *