JESUS É O CRISTO E SÓ ELE SALVA – atos 3.1-26 – sermão 6

JESUS É O CRISTO E SÓ ELE SALVA

Atos 3.1-26

1 Certo dia Pedro e João estavam subindo ao templo na hora da oração, às três horas da tarde.

2 Estava sendo levado para a porta do templo chamada Formosa um aleijado de nascença, que ali era colocado todos os dias para pedir esmolas aos que entravam no templo.

3 Vendo que Pedro e João iam entrar no pátio do templo, pediu-lhes esmola.

4 Pedro e João olharam bem para ele e, então, Pedro disse: “Olhe para nós! “

5 O homem olhou para eles com atenção, esperando receber deles alguma coisa.

6 Disse Pedro: “Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande”.

7 Segurando-o pela mão direita, ajudou-o a levantar-se, e imediatamente os pés e os tornozelos do homem ficaram firmes.

8 E de um salto pôs-se de pé e começou a andar. Depois entrou com eles no pátio do templo, andando, saltando e louvando a Deus.

9 Quando todo o povo o viu andando e louvando a Deus,

10 reconheceu que era ele o mesmo homem que costumava mendigar sentado à porta do templo chamada Formosa. Todos ficaram perplexos e muito admirados com o que lhe tinha acontecido.

11 Apegando-se o mendigo a Pedro e João, todo o povo ficou maravilhado e correu até eles, ao lugar chamado Pórtico de Salomão.

12 Vendo isso, Pedro lhes disse: “Israelitas, por que isto os surpreende? Por que vocês estão olhando para nós, como se tivéssemos feito este homem andar por nosso próprio poder ou piedade?

13 O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, o Deus dos nossos antepassados, glorificou seu servo Jesus, a quem vocês entregaram para ser morto e negaram perante Pilatos, embora ele tivesse decidido soltá-lo.

14 Vocês negaram publicamente o Santo e Justo e pediram que lhes fosse libertado um assassino.

15 Vocês mataram o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos. E nós somos testemunhas disso.

16 Pela fé no nome de Jesus, o Nome curou este homem que vocês vêem e conhecem. A fé que vem por meio dele lhe deu esta saúde perfeita, como todos podem ver.

17 “Agora, irmãos, eu sei que vocês agiram por ignorância, bem como os seus líderes.

18 Mas foi assim que Deus cumpriu o que tinha predito por todos os profetas, dizendo que o seu Cristo haveria de sofrer.

19 Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados,

20 para que venham tempos de descanso da parte do Senhor, e ele mande o Cristo, o qual lhes foi designado, Jesus.

21 É necessário que ele permaneça no céu até que chegue o tempo em que Deus restaurará todas as coisas, como falou há muito tempo, por meio dos seus santos profetas.

22 Pois disse Moisés: ‘O Senhor Deus lhes levantará dentre seus irmãos um profeta como eu; ouçam-no em tudo o que ele lhes disser.

23 Quem não ouvir esse profeta, será eliminado do meio do seu povo’.

24 “De fato, todos os profetas, de Samuel em diante, um por um, falaram e predisseram estes dias.

25 E vocês são herdeiros dos profetas e da aliança que Deus fez com os seus antepassados. Ele disse a Abraão: ‘Por meio da sua descendência todos os povos da terra serão abençoados’.

26 Tendo Deus ressuscitado o seu Servo, enviou-o primeiramente a vocês, para abençoá-los, convertendo cada um de vocês das suas maldades”.

Grande ideia: A cura do aleijado, confirma Jesus como messias prometido e estabelece a salvação em seu nome.

INTRODUÇÃO:

                Um rapaz com a passagem de ônibus já comprada, esperava ali, no rodoviária, a hora do embarque. Mas enquanto o ônibus dele não chegava, começou a olhar ao redor. E viu uma maquina moderna, cheia de luzes, com um cartaz que dizia: “coloque aqui sua moeda e ouça a maquina dizer sobre sua vida”. Achou aquilo interessante e resolveu brincar um pouco, já que seu ônibus ainda não havia chegado e o custo da brincadeira era muito pouco. Colocou a moeda na máquina e seguiu as instruções: coloque sua mão na máquina; ele colocou. Em seguida a maquina disse: Seu nome é José, você tem 37 anos, mora na cidade de São Paulo e vai viajar para Nova Friburgo. Se quiser saber mais, deposite outra moeda. Ele achou aquilo tão interessante e divertido que quis tentar novamente. Como a maquina poderia saber? Colocou a moeda e ouviu: Seu nome é José, você tem 37 anos, mora em São Paulo, é casado com Dona Maria, é pai do João e Mateus, e vai viajar para Nova Friburgo. Se quiser saber mais, coloque outra moeda. Ele se empolgou e colocou outra moeda. A maquina disse, seu nome é José, você tem 37 anos, mora em São Paulo, é casado com Dona Maria, é pai do João e do Mateus, tem um comércio no centro da cidade e ia viajar para Nova Friburgo, pois você acabou de perder seu ônibus.

                Um perigo que temos é de nos interessarmos com os detalhes e perdermos de vista aquilo que é mais importante.

                Nosso texto começa com um milagre, a cura de um aleijado de nascença. É possível olhar essa passagem e perder de vista tudo o que está acontecendo no texto e o que o autor que nos ensinar.

                Estamos no início da igreja. Jesus morreu, segundo Carlos Oswaldo Pinto, no dia 3 de abril de 33. O Dia de Pentecostes aconteceu num domingo, dia 24 de Maio de 33. Acredita-se que o texto que lemos está dentro dos dias seguintes ao batismo do Espírito Santo, ainda nos dias da festa de pentecostes.

                Seguindo as palavras de Jesus em Atos 1.8, “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra””. O reino de Deus e a pregação do evangelho começa a acontecer em Jerusalém. Quase 3 mil pessoas haviam se convertido, há muitas pessoas ainda na cidade. Pedro e Tiago vão ao templo, seguindo ainda seus costumes judaicos. O dia judaico começa as 6h da manhã e terminava as 6h da tarde. Eles oravam todos os dias as 9h, 12h e às 15h. Eles paravam tudo para orar. Mas quem morava em Jerusalém, ia ao templo para fazer isso com outras pessoas. Pedro e João vão juntos ao templo. Eles encontram esse aleijado, um paraplégico, que era colocado na porta do templo, chamada de formosa, para pedir esmolas. Era uma entrada com 22m de altura por 18 de largura, feita de bronze, prata e ouro. Ali estava o paralítico, o coxo. Pedro pediu que olhasse para ele, e o aleijado deve ter ficado cheio de esperança de receber uma boa quantia, mas Pedro diz que não tem prata nem ouro, mas o que possuía iria lhe dar, e ordenou, em nome de Jesus, que ele se levantasse e andasse! Estendeu a mão ao aleijado para lhe incentivar a fé, e enquanto o levantava, seus pés e tornozelos se firmaram. O verso 7 diz que ele deu um salto e entrou no templo, andando, pulando e louvando a Deus ao lado de Pedro e João.

            Esse foi o primeiro milagre em nome de Jesus registrado na Bíblia. Qual o propósito dele? Qual a contribuição desse milagre para o propósito geral do livro?

Vejam que estamos sendo convidados por Lucas a compreender que Jesus estava vivo, ele era o messias, o ungido, o cristo prometido ao povo de Israel, que reinaria sobre os judeus e sobre a humanidade e traria a possibilidade de vida em comunhão e paz com Deus. O messias salvaria o povo de seus pecados. Mas Jesus havia sido morto a pedido dos judeus. No entanto, Deus o havia ressuscitado. E os apóstolos e os a igreja eram as testemunhas de sua ressurreição. A cura deste paralítico em nome de Jesus trazia agora a prova irrefutável de que Jesus estava vivo! E se ele estava vivo, e realizava as mesmas obras de antes, então as demais profecias a respeito dele como o messias, o salvador, eram agora confirmadas. Haviam chegado os “últimos dias” predito pelos profetas do Velho Testamento. Como lemos em Isaías 35.6 “os coxos saltarão como as corças, e a língua dos mudos cantará. Pois águas arrebentarão no deserto, e ribeiros, no ermo”. Esse milagre é cumprimento das profecias sobre o messias, da chegada destes últimos dias, pois Deus havia prometido estes atos de salvação e transformação no meio do povo. Eram o meio de comprovar que a salvação de Deus chegou e estava disponível. Assim, a cura deste paralítico oferece a oportunidade de pregar o evangelho mais uma vez em Jerusalém e de novo para uma grande multidão.

            Algumas lições importantes podemos pensar na cura deste aleijado:

  1. A história do aleijado ilustra muito bem a condição humana sem Cristo. (1-11)

            Era um homem paralítico de nascença, pobre, pois não tinha condições físicas para trabalhar e, ao que tudo indica, desprezado pelos que passavam ali. Esse homem ilustra a condição humana, nascida em pecado, sem esperança, apenas alvo de dor e sofrimento. O pecado também paralisa o homem desde seu nascimento, o impedindo de vir a Cristo. O pecado cega a pessoa, faz ela achar que tudo está bem, ele engana o coração humano. Na linguagem bíblica, o pecado cauteriza a mente. Impede que a Palavra de Deus encontre espaço. Basta olhar para quantas pessoas, mesmo dentro de igrejas, ainda se mostram distante de Cristo. Meus irmãos, todos nós precisamos de cura para sair da nossa condição de paralisados pelo nosso pecado. E é apenas o nome de Jesus que pode transformar nossas vidas. Apenas Jesus pode nos salvar dessa condição lamentável que nos encontramos, dando sentido à vida, abrindo nossas mentes para entender que há um modo de viver que agrada a Deus, e que quando somos salvos por Cristo essa nova maneira de viver vai sendo buscada pelo novo crente.

            Observe que a cura foi na ora da oração e após ser curado, o homem passa a estar com os apóstolos, e entra no templo louvando a Deus. Uma vida transformada e salva por Jesus deve buscar conhecer mais sobre ele. Para isso é preciso estar em oração e em convivência com aqueles que podem lhe ajudar no crescimento espiritual. A convivência com a igreja é uma marca importante do salvo.

  • A ação de Pedro e João nos ensinam que a obra de Deus não depende de dinheiro, mas de obediência a Cristo e amor ao próximo.

E. Pedro e João pediram que o aleijado olhasse para eles. Com certeza o aleijado achou que receberia uma boa oferta. Mas a resposta de Pedro foi: não tenho dinheiro, mas lhe dou o que tenho”. O que Pedro tinha? Cristo. Cristo lhe era suficiente. Ele ofereceu Cristo ao aleijado.

            O maior desafio para nós hoje é a gente compreender que pessoas são mais importantes do que coisa. Se você tem alguém conhecido sem Cristo e ainda acha que alguém precisava falar de Cristo a ele, isso só revela que você não compreendeu bem o evangelho. Somos desafiados a deixar Cristo viver em nós, e quando isto acontece, o Senhor nos desafia a oferecer esse Cristo aos que nos cercam. Mas pastor, eles não vão me ouvir porque sou da família. Meu querido, quem vai convencer seus familiares sobre o pecado deles e da necessidade de arrependimento e fé em Jesus é o Espírito Santo e não você. A sua missão é apenas falar, dar a eles o que você recebeu – Jesus Cristo!

  • Os milagres ainda acontecem?

A resposta a essa pergunta é dupla: sim e não. Fomos informados em Atos 2.43 que “43 Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por meio dos apóstolos”. Não há registros de que os sinais e prodígios eram feitos pela multidão de novos crentes.

Havia muitas doenças no passado que levavam as pessoas à morte, mas que hoje elas são curadas por meio de médicos e remédios. Há muitos relatos de homens de Deus doentes. Paulo escreveu a Timóteo e sugeriu que tomasse um pouco de vinho por causa da suas frequentes enfermidades no estômago.

Deus ainda pode fazer curas, é claro. Mas ele fará apenas aquilo que nós não podemos fazer. Ainda assim, é preciso entender que toda cura vem de Deus. É ele quem deu sabedoria aos homens para buscarem os tratamentos. É ele quem criou plantas e minérios utilizados para fazermos os remédios. Deus está sempre no controle.

E se um milagre se fizer necessário para sua glória e propósito, ele o fará. Mas não dependerá de nós. E sim do seu próprio poder.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *