EXPOSIÇÃO EM ATOS – VISÃO GERAL – SERMÃO 1

EXPOSIÇÃO BÍBLICA EM ATOS DOS APÓSTOLOS

GRANDE IDEIA DO LIVRO: 

A IGREJA DE JESUS, MOVIDA PELO ESPÍRITO SANTO, CUMPRE SUA MISSÃO NO MUNDO!

VISÃO GERAL DE ATOS

INTRODUÇÃO:

Vamos começar mais uma exposição de um livro bíblico. Há tempos tenho desejado estudar o Livro de Atos dos Apóstolos com os irmãos, por se tratar de um livro que relata a história inicial da igreja. Neste livro somos apresentados ao verdadeiro motivo da igreja existir.

É um livro de histórias eletrizantes. Aventuras, drama pessoais, político e religioso; perseguições, mortes, um livro com história de fé, superação, coragem. Um livro de sabedoria e esperança. É um livro que fala de transições das ações de Deus no passado para os dias de hoje.

Atos é um livro importantíssimo para o Novo Testamento e para a igreja do nosso tempo. Ele nos dará as bases e o pano de fundo, ou seja, o contexto histórico para a compreensão das cartas do Novo Testamento. Nossas mentes serão abertas para compreender do que Paulo e os demais autores do Novo Testamento falavam.

                Embora não haja qualquer menção ao autor desta carta, tudo indica que ela foi escrita por Lucas, o médico amado e companheiro do apóstolo Paulo. Ele escreveu o Evangelho para um tal de Teófilo, que os estudiosos entendem ser alguém socialmente reconhecido e que, provavelmente, tenha bancado a publicação do livro.

                A intenção deste livro é mostrar como o reino de Deus, o domínio de Cristo nos corações daqueles que creem, foi expandida de Israel para todos os povos. Jesus, que foi rejeitado pelos judeus em grande parte, é agora anunciado aos judeus e aos gentios. Todos os povos da Terra começam a ser abençoados, conforme a promessa feita a Abraão em Gn 12.3. O livro mostra que Cristo continua ativo no mundo por meio da sua igreja. Cada cristão, seguindo as diretrizes das 12 testemunhas principais, os apóstolos, se tornou um divulgador, uma testemunha fiel de Jesus e levou o Evangelho ao mundo.

                É de comum acordo entre os estudiosos que um versículo que resume bem o livro e a história da igreja está no primeiro capítulo. E é esse versículo que convido você a ler comigo.

Atos 1.8 “Mas vocês receberão poder, ao descer sobre vocês o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até os confins da terra”.

                Através deste verso temos o desenrolar da história. Os primeiros 2 capítulos são o relato histórico de que Cristo ressuscitado, esteve entre seus discípulos. Ele comeu com eles, como seria a melhor tradução de Atos 1.4. Embora tivesse um corpo adaptado à eternidade para onde foi elevado, Jesus não era um fantasma ou uma visão, nem era apenas uma lembrança no coração, como alguns já defenderam. Lucas afirma que Jesus andou, viveu e comeu com os apóstolos.

                Atos faz uma ligação direta com o Evangelho de Lucas. Embora seja um segundo livro, é na verdade a continuação do Evangelho. Se no Evangelho Lucas tratou de apresentar as coisas que Jesus fez enquanto nesta terra até sua ida para o céu, assunto que ele aborda no início de Atos, a ideia agora é mostrar como esse livro vai continuar a história de Cristo, da sua vida e de suas ações, não mais fisicamente, mas por meio da sua igreja e sob a supervisão do Espírito Santo que agora ficará para sempre com sua igreja.

                O livro é marcado por declarações que mostram o quando o Evangelho foi se expandido entre as nações. E é um relato do cumprimento das palavras de Atos 1.8.

  1. O ESPÍRITO SANTO É DERRAMADO E A IGREJA NASCE PELO SEU PODER.

                Os capítulos 1 e 2 narram os eventos que trouxeram a igreja à existência. Não existiria igreja se Cristo não tivesse morrido e ressuscitado. Sem este evento, não haveria Evangelho, pois não haveria salvação para a humanidade. Cristo, o centro da história, a razão pela qual tudo existe, ele precisava vir ao mundo, nascer, viver e ensinar o que nos ensinou, morrer pagando o preço pelos nossos pecados, carregando sobre si a ira de Deus contra todo pecado praticado pela humanidade, e por tomar o nosso lugar na cruz, nos livrar da condenação da morte eterna, do inferno. Ao terceiro dia, Jesus ressuscitou, e assim, nos garantiu a vitória sobre a morte, a garantida da ressurreição do último dia e da nossa habitação eterna com o Senhor.

                Sem os feitos de Cristo, nós, a igreja, não existiríamos.

                Lucas então começa seu livro afirmando que já havia relatado tudo o que Cristo havia feito enquanto esteve presente fisicamente entre os homens, antes e depois de sua morte e ressurreição. Mas, antes de ir para o céu em definitivo, ele deixou uma ordem – fiquem em Jerusalém até que venha o Espírito Santo. O Espírito era o poder de Deus derramado sobre os salvos. No capitulo 2, Lucas relata este momento histórico e importantíssimo do nascimento da igreja. Com a descida do Espírito, todos falam em outros idiomas, para que todos os turistas das muitas nações que estavam presentes à festa do pentecoste pudessem ouvir das maravilhas de Cristo. E assim, ficava marcado na história que Deus havia enviado Jesus para salvar pecadores de todas as nações e fazer destas pessoas o seu reino, a sua igreja, o seu povo adquirido, seu sacerdócio real, a sua nação santa.

                Mas a igreja nasce sabendo de sua missão: Ser testemunha até aos confins da terra.

                Meus irmãos, o livro vai relatar o cumprimento inicial desta missão pela igreja primitiva. O livro nos ensina que só há um motivo para a permanência da igreja neste mundo, fazer discípulos. Gerar novos seguidores de Jesus. Gente que compreendeu seu pecado e que arrependida, se entrega ao serviço de Cristo e que, imediatamente recebe a missão de ser testemunha de Cristo. De contar aos outros tudo que Cristo tem feito tanto na Bíblia, como no seu próprio coração.

                Assim, o livro vai nos contando como Atos 1.8 se cumpre na história da igreja.

  • A IGREJA SE EXPANDE ENTRE OS JUDEUS (2.42 – 12.24).

                Os primeiros dias na igreja em Jerusalém foram marcados pela manifestação do Espírito Santo. Submissa ao Espírito, a igreja desenvolveu uma capacidade extrema de amar uns aos outros.

                Deus usou a pregação de Pedro para convencer o coração dos judeus presentes na festa de Pentecoste (Uma espécie de festa do produtor daquela época) e quase 3 mil pessoas se converteram e foram batizados.

                Eles não tinham templo, eles não tinham sistema de som, não tinham bancos, não tinham CNPJ, não tinham púlpito, não tinham nenhum tipo de estrutura para se preocupar. Eram a mais pura e simples ideia do que era uma igreja. Um povo reunido para orar juntos, comer juntos, cuidar uns dos outros, andar juntos, dividir o que possuem uns com os outros. Eles decidiram amar. Não havia nada para se apegar e virar um problema. Apenas se reuniam para ouvir os ensinos dos apóstolos, aprenderem sobre Jesus e espalhar a mensagem de salvação.

                A igreja também cuidava daqueles que se tornavam membros. Eles juntavam seus bens visando socorrer quem tivesse necessidade de alguma coisa. Viviam num tempo de compaixão e graça. De fé, discipulado, comunhão.

                A despeito de algumas pessoas que ainda insistiam nas práticas pecaminosas, como temos o relato de Ananias e Safira em Atos 5, lemos em Atos 6.7 que “A palavra de Deus crescia e, em Jerusalém, o número dos discípulos aumentava. Também um grande grupo de sacerdotes obedecia à fé”.

                Mas apesar deste crescimento e do clima de amor entre os irmãos, a Igreja começou a causar inveja no povo incrédulo. Mesmo os religiosos da época, tanto os do povo como os sacerdotes judaicos, iniciaram uma opressão contra a igreja. E assim, começaram a matar alguns dos cristãos. Mataram Estevão a pedradas, como temos no cap. 6; Paulo começou a perseguir os cristãos para os prender, vendo-os como ameaça ao judaísmo e desejando a morte deles. Mas Deus mudou sua vida. Cristo se apresentou a ele e pela sua conversão, outra história foi escrita.

                Assim, mesmo sob ataques e sofrendo perseguições, em Atos 12.24 lemos que “24 Entretanto, a palavra de Deus crescia e se multiplicava”.

  • A IGREJA SE EXPANDE ENTRE OS GENTIOS (12.25 até 28.31)

                À partir do capítulo 12.25, a igreja sai de Jerusalém. Ele começa a alcançar os gentios. Isto já havia começado a acontecer no capítulo 10, quando Pedro foi convencido pelo espírito Santo a pregar para o centurião Cornélio e sua família. Aquele militar se converteu a Cristo com toda sua casa. Uma história maravilhosa do desejo de Deus de salvar pessoas em todos os lugares, bastando para isso, que sua igreja pregue o evangelho.

                Para a igreja sair de Jerusalém, era preciso fazer missões. E Deus, pelo seu Espírito Santo, escolheu Paulo e Barnabé para a primeira viagem missionária. Aqueles homens deveriam viajar e levar o evangelho para o povo gentio, ou seja, para o povo não-judeu.

                A marca da igreja de Jesus é a Evangelização. Sua missão é fazer discípulos. Não seremos igreja enquanto não nos dispusermos a investir nossa vida no compartilhar de Cristo tanto perto, vivendo Jesus e falando deles aos familiares, amigos, vizinhos, aos conhecidos e aos desconhecidos que Deus colocar em nosso caminho, mas também investindo na obra missionária, orando, enviando, indo, sustentando e não atrapalhando essa obra.

                Com as viagens missionárias, a igreja se expande para outras nações. Lucas registram em Atos 16.5 “Então, as igrejas eram confirmadas na fé e cresciam diariamente em números”

                Outras duas viagens missionárias foram realizadas. E Lucas registra em 19.20 “Desse modo, a palavra do Senhor se espalhou amplamente e cresceu em poder”.

                Atos é o livro que nos mostra como a igreja deve agir. Estamos tão presos à estrutura que nos esquecemos de que a nossa missão é fazer discípulos e ensiná-los todas as coisas que Jesus nos ensinou. Mas o livro nos mostra que isto não é fácil. Se havia cristãos que desanimaram pelo meio do caminho; também havia a perseguição à igreja. Essa perseguição  colocou Paulo em diversas cadeias, e para se proteger dos maus, ele pediu para ir até o imperador romano, o César. Temos estas histórias da vida de Paulo dos capítulos 19 até 28, em que Paulo está preso em sua casa, aguardando o julgamento pelo imperador. Mas, mesmo ali, pregava o evangelho a todos que o visitavam. E Lucas, termina seu livro afirmando que: “corajosamente e sem obstáculos, ele pregou o Reino de Deus e ensinava a respeito do Senhor Jesus Cristo”.

APLICAÇÕES:

1. Qual sua motivação como um cristão? Por que você faz o que faz? A igreja primitiva tinha como sua motivação, sua paixão, glorificar a Deus com suas ações. Agiram diariamente pensando em como podiam servir a Cristo e aos outros, movidos pelo espírito santo.

2. Como você faz o que faz? Qual seu método? A igreja agia movida pelo Espírito Santo. Ela aprendia a doutrina dos apóstolos, sempre juntos. Mas no cotidiano, anunciavam a Jesus. Confiavam na Palavra de Deus e no poder do Espírito.

Ninguém dizia que não sabia ou tinha vergonha de falar de Jesus. Confiavam no poder do Espírito Santo e não na sua própria capacidade.

3. Qual sua prioridade? Em Atos, os lideres cristãos deram prioridade ao que era mais importante para Deus, e não ao que era importante para eles. Embora houvessem sinais miraculosos, curas de enfermos, isto não era o essencial. Para eles o mais importante era fazer Cristo conhecido como Senhor e Salvador, e confiavam que Deus era poderoso para fazer o que fosse necessário para que sua igreja tivesse crescimento.

Encerro citando as palavras do Dr. Thomas L. Constable: “Em Mateus 28:18 , Jesus disse: “Toda a autoridade foi dada a mim no céu e na terra.” Em Atos 1: 8 , Ele disse: “Recebereis poder depois que o Espírito Santo, que descerá sobre vós.” Em Mateus 16:18 , Ele disse: “Eu edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” Atos é um livro fantástico, porque nele vemos Deus fazendo exatamente isso, e nós encontramos o incentivo para participar em Seu grande programa de construção da igreja”.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *