a OBRA DO cRISTO RESSUSCITADO CONTINUA – ATOS 1.1-12 – SERMÃO 2

A OBRA DO CRISTO RESSUSCITADO CONTINUA

Atos 1.1-11

1 Escrevi o primeiro livro, ó Teófilo, relatando todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar

2 até o dia em que foi elevado às alturas, depois de haver dado mandamentos por meio do Espírito Santo aos apóstolos que tinha escolhido.

3 Depois de ter padecido, Jesus se apresentou vivo a seus apóstolos, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas relacionadas com o Reino de Deus.

4 E, comendo com eles, deu-lhes esta ordem: — Não se afastem de Jerusalém, mas esperem a promessa do Pai, a qual vocês ouviram de mim.

5 Porque João, na verdade, batizou com água, mas vocês serão batizados com o Espírito Santo, dentro de poucos dias.

6 Então os que estavam reunidos com Jesus lhe perguntaram: — Será este o tempo em que o Senhor irá restaurar o reino a Israel?

7 Jesus respondeu: — Não cabe a vocês conhecer tempos ou épocas que o Pai fixou pela sua própria autoridade.

8 Mas vocês receberão poder, ao descer sobre vocês o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até os confins da terra.

9 Depois de ter dito isso, Jesus foi elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos.

10 E, estando eles com os olhos fixos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois homens vestidos de branco se puseram ao lado deles

11 e lhes disseram: — Homens da Galileia, por que vocês estão olhando para as alturas? Esse Jesus que foi levado do meio de vocês para o céu virá do modo como vocês o viram subir.

Grande Ideia: Cristo está vivo e sua obra é realizada pela igreja pelo poder do Espírito Santo.

INTRODUÇÃO:

                Imagine que uma senhora tenha sido atropelada por um carro. Ela teve bastantes ferimentos, mas estava livre do risco de morte. Você é solicitado para contar esse acidente para o filho desta senhora. O que você acha que é a principal notícia a ser dada ao filho desta senhora? Sem dúvida, que a mãe dele estava viva, fora de perigo!

                Este primeiro capítulo de Atos está nos situando na história, nos fatos que ocorreram imediatamente após a morte de Jesus e sua ressurreição. Este livro ou carta, escrita a uma pessoa chamada Teófilo, que não se sabe quem é, mas que parece ser alguém de posição social importante, já que Lucas o chama de excelentíssimo, em Lucas 1.3, traz as informações sobre o que aconteceu com Cristo, os apóstolos e demais seguidores.

                Atos é a continuação da história começada no Evangelho de Lucas. Ao lermos os dois primeiros versos, temos uma ideia de que o Evangelho foi para mostrar o que Jesus começou a fazer e a ensinar. Em Atos, Lucas contará o que Cristo continuou a fazer e a ensinar por meio da igreja e através do Espírito Santo.

                Muito se questiona se o título Atos dos Apóstolos estaria correto, já que os apóstolos são citados apenas no início e depois o Livro se prende a Pedro, e na maior parte do livro, ao apostolo Paulo. Por isso, alguns acham que o livro deveria se chamar de Atos dos Espírito Santo. Mas, Lucas deixa a pista principal no início, mostrando que sua intenção é mostrar o que Cristo fez e o que Cristo continua fazendo, já que, ressuscitado, está vivo, e agora, pelo poder do Espírito Santo, age neste mundo usando a sua igreja. Assim, poderíamos chamar o livro de Atos de Jesus na Igreja por meio do Espírito Santo.

                A passagem que lemos, nos revela verdades importantes:

  1. A MAIOR OBRA DE CRISTO COMEÇOU NA CRUZ

3 Depois de ter padecido, Jesus se apresentou vivo a seus apóstolos, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas relacionadas com o Reino de Deus.

                Lucas entende que a maior obra de Jesus foram sua morte e ressurreição. Jesus passou três anos fazendo coisas extraordinárias e deixando ensinos transformadores. Mas, nossa salvação não seria uma realidade, se ele não tivesse morrido (padecido) e ressuscitado. Sem esses fatos, a igreja não existiria. Não teríamos uma mensagem para ser pregada. Não haveria esperança!

                Lucas afirma que Jesus se apresentou vivo a seus apóstolos, com provas incontestáveis. Não sabemos que provas foram essas, mas nem ele como autor do livro, nem os apóstolos e os primeiros 120 irmãos que estavam juntos durante estes 40 dias que se passaram entre após a ressurreição de Jesus, tinham dúvidas. Mesmo após a ressurreição, Jesus continuou ensinando a mensagem do reino de Deus que deveria ser pregada.

                Eles criam no Jesus vivo! Eles eram testemunhas da ressurreição! A ressurreição, que nos garante a vida eterna não era uma invenção, não foi uma notícia apenas. Era um fato histórico, confirmado por muitos irmãos. Paulo afirma em 1Co 15.6, que Jesus foi visto por mais de 500 pessoas duma só vez.

                O Evangelho inclui a morte e a ressurreição de Jesus como fatos. Não cremos e nem pregamos uma lenda. Cremos em um fato histórico, pregamos o Cristo vivo!

  • O principal meio para continuar a obra de Cristo é o Espírito Santo.

4 E, comendo com eles, deu-lhes esta ordem: — Não se afastem de Jerusalém, mas esperem a promessa do Pai, a qual vocês ouviram de mim.

5 Porque João, na verdade, batizou com água, mas vocês serão batizados com o Espírito Santo, dentro de poucos dias.

                A prova da ressurreição de Jesus era sua presença entre os discípulos. O verso 4 diz que Jesus comeu com eles. Há versões que traduzem “estando com eles”, mas a palavra permite a ideia de estar junto para comer uma refeição. Num momento de comunhão, de refeição comum, Jesus, em pessoa, lhes deu orientação importante: não se afastar da cidade e esperar a promessa do Pai, que Jesus já havia falado. Em João 7.39, 14.16 em diante, temos essa fala de Jesus sobre o Espírito Santo.

                Em João 7.39, lemos: “39 Isso ele disse a respeito do Espírito que os que nele cressem haviam de receber; pois o Espírito até aquele momento não tinha sido dado, porque Jesus ainda não havia sido glorificado”. O Espírito de Deus até o batismo em definitivo, relatado em Atos 2, agia nas pessoas de forma temporária. Mas, à partir de Atos 2, temos o relato da descida definitiva do Espírito Santo na vida dos crentes, cumprindo as promessas de Deus pelos profetas e feitas por Jesus e capacitando a igreja para a realização da sua missão de compartilhar Jesus.

            O batismo com o Espírito Santo é garantia de que o trabalho de Cristo será continuado pela igreja, mas estará debaixo de sua supervisão. Quando a igreja se submeter ao controle total do Espírito, estará vivendo Cristo, e fará sua obra de forma completa e eficaz.

  • Todo conceito errado precisa ser corrigido para que a obra seja feita.

6 Então os que estavam reunidos com Jesus lhe perguntaram: — Será este o tempo em que o Senhor irá restaurar o reino a Israel?

7 Jesus respondeu: — Não cabe a vocês conhecer tempos ou épocas que o Pai fixou pela sua própria autoridade.

            Os discípulos ainda possuem entendimento distorcido a respeito do reino de Deus. Mesmo tendo sido orientados durante tantos anos e após sua ressurreição, a pergunta dos que estavam com Jesus naquele almoço, ainda demonstra um entendimento de que o reino de Deus ainda seria um reino político, seria a restauração de Israel como nação soberana.

            Jesus faz a correção do entendimento. Ele não diz necessariamente que Deus não poderia permitir que Israel se tornasse uma nação independente, soberana. Mas afirma que determinar épocas ou tempos das coisas não é competência humana. Ao homem cabe crer e cumprir a tarefa que Deus lhe deu. Fica clara duas questões aqui: Não temos condições de saber o futuro, isso pertence a Deus. A segunda é que Deus governa todas as coisas. Ele está no controle. Não precisamos ficar ansiosos. Nosso futuro está muito bem nas mãos do Senhor. Creiamos.

  • O poder é para testemunhar.

8 Mas vocês receberão poder, ao descer sobre vocês o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até os confins da terra.

            Ainda em resposta à pergunta dos discípulos sobre a instauração do reino, Jesus deixa claro que o reino é maior do que Israel, embora começasse com os judeus em Jerusalém. O reino atingiria os confins da terra. Não seria algo rápido como eles imaginavam, mas alcançaria as nações. Mas o reino seria implantado por meio das testemunhas da ressurreição de Cristo, que testemunhariam os fatos, movidos pelo poder do Espírito Santo, que convenceriam as pessoas do pecado, da justiça e do juízo e as conduziria à salvação.

            Aqui temos algo importantíssimo. Nossa missão não é converter ninguém, nossa missão não é construir templos, nossa missão não é montar grupos de música, de teatro ou qualquer coisa assim, nossa missão primordial é fazer discípulos, testemunhando a eles o que Cristo fez e faz.

            A palavra testemunha é a tradução da palavra martyr. Conhecemos uma parte do serviço de testemunhar, vindo da esfera judicial, quando alguém, diante do juiz fala o que viu e ouviu. Uma testemunha será fiel, quando não inventar situações, não acrescentar nada aos fatos. Apenas relatar o que sabe. Na história da igreja, as testemunhas de Cristo estavam dispostas a morrer (sofrer, serem martirizadas) para levar a todos os relatos da morte e ressurreição de Jesus como verdades indiscutíveis.

            Somente alguém, verdadeiramente, submisso ao Espírito Santo, poderá estar disposto a morrer por pregar a Cristo, ressuscitado. Ainda que o mundo o persiga, zombe da sua fé e o maltrate, movido pelo Espírito Santo, debaixo de seu poder, temos condições de cumprir a missão.

  • Cristo voltará – A Esperança que pregamos

9 Depois de ter dito isso, Jesus foi elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos.

10 E, estando eles com os olhos fixos no céu, enquanto Jesus subia, eis que dois homens vestidos de branco se puseram ao lado deles

11 e lhes disseram: — Homens da Galileia, por que vocês estão olhando para as alturas? Esse Jesus que foi levado do meio de vocês para o céu virá do modo como vocês o viram subir.

            Após prometer o poder do Espírito e comissionar todos seus discípulos para testemunharem de sua morte e ressurreição, da salvação que Jesus dá a quem, pela fé, crê nele. Ele foi elevado às alturas, bem na presença de todos eles. Ele vai subindo até que uma nuvem impede a visão dos discípulos.

            Era o momento de Jesus subir aos céus. Os discípulos já estavam prontos para continuar a obra de Jesus. O Espírito Santo viria em seguida para capacitar e supervisionar esse trabalho. Todos os recursos para que a igreja se tornasse testemunha de Cristo estavam providenciados. Mas ainda faltava um último detalhe. Jesus habitaria em nós por meio do Espírito Santo, mas nunca mais o veríamos? Não, homens de branco, anjos, apareceram o relataram que Jesus voltará.

            No vs. 10, eles olhavam fixos para o céu. Era como se estivessem olhando algo que eles estavam perdendo nas nuvens. Talvez como olhar aquele balão de gás que compramos no parque, damos ao filho, e ele então deixa escapar. O balão sobe ao céu e desaparece e temos a sensação de prejuízo. Os anjos repreendem os discípulos. Por estão olhando? Vocês não o perderam. Ele vai voltar, e do mesmo modo. Com seu corpo glorificado e entre nuvens.

            A esperança da volta de Jesus era a motivação para que tornar urgente a pregação do evangelho. Como ninguém sabe quando ele voltará, se agora, se hoje, se amanhã, no próximo ano e se para nossos descendentes apenas, temos a missão como urgente! Precisamos testemunhar de Jesus.

            Encerro aqui, com as palavras de Pedro em 2 Pedro 3.13 “14 Por isso, meus amigos, enquanto vocês esperam aquele dia, façam o possível para estar em paz com Deus, sem mancha e sem culpa diante dele. 15 Lembrem que a paciência do nosso Senhor é uma oportunidade para vocês serem salvos”.

CONCLUSÃO:

            Cristo está vivo e sua obra é realizada pela igreja pelo poder do Espírito Santo.

                Enquanto aguardamos a sua volta, vamos cumprindo nossa missão, sendo testemunhas do que Cristo fez (morte, ressurreição e promessa de sua vinda) e do que Cristo faz, nossa salvação, nossa vida transformada.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *