As marcas dos Falsos Mestres – 2 Pedro 2.9-16 – SErmão 7

AS MARCAS DO FALSOS MESTRES

2 Pedro 2.9-16

9 Vemos, portanto, que o Senhor sabe livrar os piedosos da provação e manter em castigo os ímpios para o dia do juízo,

10 especialmente os que seguem os desejos impuros da carne e desprezam a autoridade. Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais;

11 contudo, nem os anjos, embora sendo maiores em força e poder, fazem acusações injuriosas contra aqueles seres na presença do Senhor.

12 Mas eles difamam o que desconhecem e são como criaturas irracionais, guiadas pelo instinto, nascidas para serem capturadas e destruídas; serão corrompidos pela sua própria corrupção!

13 Eles receberão retribuição pela injustiça que causaram. Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres, quando participam das festas de vocês.

14 Tendo os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância. Malditos!

15 Eles abandonaram o caminho reto e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o salário da injustiça,

16 mas em sua transgressão foi repreendido por uma jumenta, um animal mudo, que falou com voz humana e refreou a insensatez do profeta.

GRANDE IDEIA: FALSOS MESTRES SÃO MARCADOS POR UM ESTILO DE VIDA PECAMINOSO

INTRODUÇÃO:

                Há muito tempo atrás resolvemos comprar um sofá para nossa casa. Fomos até uma loja, escolhemos o modelo que gostamos e dentro do nosso orçamento e fomos conversar com o vendedor, acertamos tudo e em alguns dias, o sofá estava em nossa casa. Estávamos felizes com o nosso sofá até o dia em que percebemos uma etiqueta na parte de traz do sofá. Em primeiro momento não ligamos, mas observando melhor, percebemos que aquela etiqueta não poderia estar naquele local. Fomos olhar outros produtos e percebemos que as etiquetas sempre são afixadas juntamente com a costura dos sofás e poltronas, mas no nosso sofá, a etiqueta estava num local onde não passava costura. Observamos mais e nos demos conta de que, geralmente, as etiquetas estão postas atrás das poltronas, mas no nosso estava na parte de cima. Então fomos olhar a costura, e percebemos que parecia de sido colocada à mão e que havia um repuxado no pano. Não havia mais dúvidas. Deu para ter convicção de que aquela etiqueta era uma espécie de tapa buracos, de remendo. Então acionamos a garantia na loja, e depois de alguns meses, recebemos o novo sofá, do mesmo modelo, e com a etiqueta no devido local. Foi a observação atenta que nos ajudou a encontrar os defeitos daquele móvel.

                A observação atenta é uma ação necessária para todo crente. Por meio da observação atenta, você consegue perceber detalhes que são desconsiderados e que passam despercebidos pela maioria. Pedro está nos falando de falsos mestres, gente que ensinava doutrinas que, aparentemente cristãs, eram, na verdade, distorções bíblicas. Mas que, infelizmente, muita gente seguia os falsos mestres, por não observarem atentamente suas marcas, suas características, suas práticas típicas de alguém que de desviou das Escrituras. Assim, tentando alerta às igrejas contra estes falsos mestres e seus falsos ensinos destruídos, Pedro nos apresenta nesta porção bíblica que lemos sobre 3 marcas de um falso mestre.

  1. VIVEM NA REBELDIA E NA IMORALIDADE (9,10A)

9 Vemos, portanto, que o Senhor sabe livrar os piedosos da provação e manter em castigo os ímpios para o dia do juízo, 10 especialmente os que seguem os desejos impuros da carne e desprezam a autoridade.

                Para entendermos essa porção precisamos nos lembrar do assunto do capítulo 2. Pedro está desde o primeiro verso advertindo aos irmãos sobre a realidade de pessoas que ensinaram heresias, ensinos com aparência de bíblicos, mas que negam as verdades da Bíblia, ao ponto, como Pedro afirmou, dessa gente negar até a Cristo, tirando dele a centralidade das Escrituras. Embora muita gente fosse enganada e sigam esses falsos pregadores, Pedro afirma que eles sofreriam condenação (v.3). Então ele prova biblicamente como Deus havia punido os anjos que se rebelaram (v.4); o mundo antigo com o dilúvio (v.5) e as cidades de Sodoma e Gomorra (v6). Ou seja, Deus puniu aqueles que pecavam e desconsideravam sua Palavra, embora tenha sido misericordioso e salvou aqueles que, mesmo em meio a tantos ensinos e práticas erradas, souberam ficar fiéis à vontade de Deus, pela Bíblia.

Assim, chegamos ao nosso texto. Pedro afirma que o mesmo Deus que livra os fieis na provação, mantem em castigo os ímpios para o dia do juízo. E quem são esses ímpios? Tem outros, mas principalmente, os que seguem duas questões pecaminosas.

a. Os desejos impuros da carne. CARNE é a palavra que salta aos olhos nesta passagem, associada às palavras “desejos impuros”, diz respeito à imoralidade sexual, à sensualidade, essa parte da natureza humana que se não for controlada, faz o homem pecar. E o que é que pode nos ajudar a controlar impulsos sexuais, desejos imorais, a fugir da sensualidade? A resposta é a nossa segunda questão fundamental.

b. O desprezo à autoridade. Sim, é quando observamos os mandamentos de Deus, a lei moral que é escrita em nosso coração quando estudamos a Bíblia e, por meio de Cristo, permitimos seu domínio em nossa vida, é esse temor à autoridade de Deus e da Palavra que nos ajuda a fugir do pecado. No entanto, os falsos mestres desprezam isso. Eles questionam o que a Bíblia ensina. Eles desobedecem às Escrituras e não dão crédito ao que elas dizem.

                Queridos, desejos impuros da carne e desprezo à autoridade, às regras, conduzem o ser humano à anarquia, à libertinagem, a um nível moral baixíssimo.

                Se autoridade aqui incluir também a ideia de alguém que governa em outra esfera além da religiosa, isso indica que esses falsos mestres são pessoas sem limites, que tratam tudo e todos sem respeito apenas para validarem seus interesses.

                O problema é que as coisas erradas tendem a cativar o coração das pessoas que não se firmam na Bíblia. Como tenho dito aqui, se você não conhece bem o que é verdadeiro, como vai identificar o que é falso? Mas há algo mais para pensar. Se você despreza o que é verdadeiro, para viver à sua própria maneira e crendo no que quiser, que esperança há para você?

                Pois bem, rebeldia e imoralidade são a primeira marca, vamos agora para a segunda marca:

  • ZOMBAM E FALAM MAL DAS COISAS ESPIRITUAIS (10B – 12)

Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais;

11 contudo, nem os anjos, embora sendo maiores em força e poder, fazem acusações injuriosas contra aqueles seres na presença do Senhor.

12 Mas eles difamam o que desconhecem e são como criaturas irracionais, guiadas pelo instinto, nascidas para serem capturadas e destruídas; serão corrompidos pela sua própria corrupção!

                Leia esses versos novamente. Vejam quantos adjetivos Pedro usou para descrever essa gente que espalha doutrinas falsas, contrárias às Escrituras. As palavras são características terríveis. São insolentes ou atrevidos, não respeitam ninguém, não é apenas por não fazer o que a Bíblia ensina, mas no modo de agir para com outros. Eles são arrogantes (orgulhos e teimosos). Essas duas palavras indicam pessoas insubmissas a Deus e à sua Palavra, vivem apenas para agradarem a si mesmas e não a Cristo. E nesse atrevimento, eles vão mais longe. Os começam a falar mal dos seres celestiais, outra versão diz, autoridades superiores, talvez anjos ou o próprio Deus.

                2 Pedro 2 tem relação com a carta de Judas, aquele livrinho de um só capítulo antes de Apocalipse. Não se sabe em copiou de quem, mas o fato é que falam a mesma coisa. E, sobre esses versos 10 a 12, temos um paralelo claro na carta de Judas. Vejam o que diz Judas 1.8-11 “8 Da mesma forma, estes sonhadores contaminam seus próprios corpos, rejeitam as autoridades e difamam os seres celestiais. 9 Contudo, nem mesmo o arcanjo Miguel, quando estava disputando com o diabo acerca do corpo de Moisés, ousou fazer acusação injuriosa contra ele, mas disse: “O Senhor o repreenda! ” 10 Todavia, esses tais difamam tudo o que não entendem; e as coisas que entendem por instinto, como animais irracionais, nessas mesmas coisas se corrompem. 11 Ai deles! Pois seguiram o caminho de Caim, buscando o lucro, caíram no erro de Balaão e foram destruídos na rebelião de Corá”.

                Se nem os anjos ousaram acusar outros anjos, ou no caso, o diabo, com medo da punição de Deus, o que esses homens, falsos mestres fazem é terrível. Como afirmou Pedro e Judas, eles falam do que não sabem, agem como animais e sofrerão a devida punição.

                Meus irmãos, quando leio essas passagens eu tremo! Vejo pastores, pregadores, brincando e zombando das Escrituras, quando, fingindo pregar o que elas dizem, a distorcem. Cheios de seus diplomas, se tornam arrogantes, ao ponto de negarem as verdades bíblicas básicas da nossa fé. Permitindo que o que eles pensam ser “sabedoria” os conduza para a destruição e condenação de Deus.

                Se um pregador não trata a palavra de Deus com a seriedade devida, fuja dele. Se desconsidera suas verdades, e rejeita seus ensinos, fuja dele.

                São homens arrogantes que pregam apenas pelo dinheiro, eles caminham para a destruição e estão levando muitos consigo mesmos.

                Mas há ainda outra marca além da vida em rebeldia e imoralidade, e da zombaria e blasfêmia das coisas espirituais, eles também são:

  • SÃO CEGOS QUANTO À PUNIÇÃO PELA IMORALIDADE QUE PRATICAM. (13-16)

13 Eles receberão retribuição pela injustiça que causaram. Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres, quando participam das festas de vocês.

14 Tendo os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância. Malditos!

15 Eles abandonaram o caminho reto e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o salário da injustiça,

16 mas em sua transgressão foi repreendido por uma jumenta, um animal mudo, que falou com voz humana e refreou a insensatez do profeta.

                Não é de se admirar que se fazem tudo que falamos até agora, essas pessoas não deem a mínima para a realidade da punição que receberão. Mas Pedro não deixa de dizer o que lhes acontecerá. O verso 13 começa com essa realidade da punição pela injustiça que causaram. O salário deles será sofrer condenação pelo que ensinam, desprezam e ignoram.

                Pedro acrescenta que esses líderes falsos estavam na igreja, mas suas praticas eram sujas. Agiam em imoralidade e a defendiam para os outros. O verso 13 afirma que eles “Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia.” O divertimento desses falsos cristãos eram sempre sensuais, imorais.Pedro ainda diz que “São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres, quando participam das festas de vocês”. Eles ostentavam o luxo e riquezas diante dos outros, fruto do dinheiro que conseguia à custa de quem os sustentava. Estavam ali nas festas dos irmãos, mas sempre pensando em si mesmos. Quantos pregadores estão nas TV vendendo a fé, pedindo dinheiro para que você sustente seus ministérios, mas não abrem mão de terem seu jatinho particular, de vestir roupas caríssimas, morar em mansões, etc.

                Assisti a uma entrevista do tal Valdemiro Santiago a um programa de TV. Lá foi perguntado sobre porque não tinha igrejas dele em países mulçumanos, onde cristãos são mortos. Ele disse apenas que era pela dificuldade de legislação para abrir o templo. Ou seja, a questão era ter templo, e não salvar vidas. Pedro chamou gente assim de nódoas e manchas, deformidades.

                Pedro ainda diz que esses homens tinham olhos cheios de adultério. Eram líderes que se aproveitavam da fragilidade espirituais de muitos. Pecados sexuais eram algo comum nas suas vidas. Como disse Pedro, eles “iludem os instáveis!”, eles enganam os que não estão firmes nas Escrituras.

                O exemplo de Balaão é o de um profeta que, por dinheiro, se propôs a profetizar contra o povo de Deus. A história está em Números 22 em diante.

                Pedro só encontrou uma palavra para descrever essa gente falsa, e seus falsos ensinos: MALDITOS! (final do verso 14).

APLICAÇÕES:

  1. Pastores e falsos cristãos ensinam doutrinas falsas. Eles agem com rebeldia e imoralidade, tiram Cristo do centro e zombam das coisas espirituais, e não conseguem perceber que serão punidos pelos seus pecados.
  2. Se você ouve uma pregação ou música que Cristo não é o centro, se o homem está sendo mais exaltado do que Jesus, esta pregação ou canção é um falso ensino. Você deve abandonar os dois, enquanto há tempo.
  3. Se você percebe pregadores ou cristãos que apoiam imoralidades sexuais como se fossem práticas comuns e corretas, mesmo sob o discurso do amor, repreenda-os severamente e advirta essas pessoas sobre a condenação bíblica.
  4. Se você se sente tentado às seguir doutrinas falsas, práticas imorais e líderes que enganam para conseguir dinheiro. Busque ajuda. Ore e arrependa-se.
Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *