1 Pedro 2.12-17 Esperando em Cristo com vida santa

ESPERANDO EM CRISTO COM VIDA SANTA

1 Pedro 2:12-17

 

12 Vivam entre os pagãos de maneira exemplar para que, naquilo em que eles os acusam de praticarem o mal, observem as boas obras que vocês praticam e glorifiquem a Deus no dia da sua intervenção.

13 Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei, como autoridade suprema,

14 seja aos governantes, como por ele enviados para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem.

15 Pois é da vontade de Deus que, praticando o bem, vocês silenciem a ignorância dos insensatos.

16 Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus.

17 Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei.

 

Grande ideia: Esperar em Cristo em meio às lutas da vida, envolve vida exemplar, foco na glória de Deus e obediência à vontade de Deus.

 

Introdução:

 

Os santos de Deus – quem são eles? Como vivem? Qual o resultado da sua fé na vida dos outros? Como lidam com os políticos e outras autoridades? Parece manchete para algum documentário jornalístico, mas se você não sabe responder a estas perguntas, há algo sério para a gente se preocupar.

Vivemos tempos estranhos. A maioria de nós aqui não teria dificuldades em levantar a mão e se identificar se eu perguntasse quantos aqui, neste templo, são crentes? Mas eu veria um numero muito reduzido quando as perguntas dizem respeito a quem está vivendo a vida de crente, ou talvez menos ainda saberiam me dizer como deve ser a vida do crente neste mundo. E menos ainda, teria coragem de contar tudo o que faz no seu cotidiano, quando não está nesse templo e quando está sem a máscara de membro de igreja.

Na ordem de Jesus a todos os crentes de todos os tempos estava: fazer discípulos de todas as nações e, depois de batizá-los em nome do pai, filho e Espírito Santo, ensiná-los a guardar (obedecer) todas as coisas que Jesus ensinou.

A razão de ser da igreja é, sem dúvida, cumprir a parte do ensinar a obedecer. Mas a obediência será resultado de um coração convertido. Quem está na igreja, mas ainda não é convertido tende à desobedecer e rebelar-se contra a Palavra de Deus e se cumpre o que Paulo diz em 2 Timóteo 4.3,4. “3 Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. 4 Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos”.

                No texto, para uma igreja sofredora e perseguida, a quem Pedro se dirigiu visando encorajá-los a terem esperança em Cristo, mesmo em meio ao sofrimento, há advertências importantes para aqueles que foram santificados pela Palavra de Deus, após terem crido em Jesus como Salvador e Senhor de suas vidas.

Quais são estas advertências?

 

  1. MANTER UMA VIDA EXEMPLAR.

12 Vivam entre os pagãos de maneira exemplar para que, naquilo em que eles os acusam de praticarem o mal, observem as boas obras que vocês praticam e glorifiquem a Deus no dia da sua intervenção.

 

Já ouviu alguém dizer que sempre vão falar mal de você? Parece que Pedro também já tinha escutado isso. Morei no Tocantins por 12 anos, até que fui demitido de uma função denominacional. Quando voltei para minha cidade, um amigo me convidou para conversar, após eu contar um pouco dos motivos da demissão, e como ela era injusta, aquele pastor amigo me disse: “É simples entender, você não é de lá”. Irmãos, há uma tendência em se maltratar quem é de fora. Os de fora sempre são vistos com olhares de suspeita. Quando algum problema aparece, o de fora é o primeiro a ser acusado. Mas, se você olhar para os versos anteriores, Pedro disse que o crente verdadeiro é visto como alguém de fora. No verso 11, ele lembra aos irmãos que os cristãos são como peregrinos e estrangeiros. Em algumas versões, forasteiros. Ou seja, cristão não pertencem a este mundo. Foram salvos por Cristo, e agora a nossa cidadania é a celestial. Mas como ainda vemos nesta terra, somos forasteiros. Paulo acrescenta a ideia de sermos embaixadores, uma vez que representamos nosso Rei, Cristo, neste mundo.

Mas, o que significar uma vida exemplar? (aguardar respostas)

Uma vida exemplar é o mesmo que uma vida modelo. Uma vida a quem outros devem imitar, afinal tal pessoa é um exemplo. Se o modelo ou exemplo for ruim, as pessoas podem não querer imitá-lo e falarão mal desta pessoa.

Pedro afirma que as pessoas falam mal dos crentes porque observam as suas obras. E pelo jeito, falarão mal ainda que você faça o certo. No entanto, há algo importante aqui. Se eles falam mal de você, mas sua vida é pautada na Bíblia, ou seja, você é temente e obediente à Cristo e sua palavra, eles estarão acusando falsamente. E acabarão por darem glória a Deus. Posso até pensar que esta frase signifique pessoas que acabarão se convertendo em função de uma vida santa, obediente a Cristo. Por outro lado, se eles falam mal de você, e sua vida está mesmo carregada de pecados, de mal testemunhos. Isso é prejudicial a você, à igreja de Jesus e, servirá de impedimento para muitos crerem no evangelho.

Talvez você pergunte, como posso ter uma vida exemplar? E para responder a isso, vamos à segunda advertência de Pedro na passagem:

 

  1. FOCO NA GLÓRIA DE DEUS.

12 Vivam entre os pagãos de maneira exemplar para que, naquilo em que eles os acusam de praticarem o mal, observem as boas obras que vocês praticam e glorifiquem a Deus no dia da sua intervenção. 13 Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei, como autoridade suprema, 14 seja aos governantes, como por ele enviados para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem.

Nos versos 12 e 13, há duas evidências claras sobre a glória de Deus. No 12, Pedro afirma que os incrédulos vão glorificar a Deus por causa das suas boas obras. Logo na sequência, no verso 13, ele começa dizendo: “Por causa do Senhor, sujeitem-se”. No ensino de Pedro, a motivação para uma vida exemplar é o Senhor. A salvação de pessoas perdidas é o acréscimo de pessoas no exército de adoradores de Deus; a vida destes adoradores deve ser exemplar, por causa do Senhor, pois o foco ou a finalidade de tudo é a glória de Deus.

Quando um crente é um bom cidadão, ele obedece e honra seus governantes, ainda que, em algum momento, tenha que desobedecer às leis de seu país que sejam contrárias aos princípios da Palavra de Deus.

Você pode não concordar com as políticas do governo temer, ou com as decisões do nosso prefeito, mas não pode desonra-los.

Nós batistas, temos como princípio não misturar igreja e Estado. De maneira que nem o governo deve intervir nas decisões espirituais da igreja, nem a igreja deve viver de campanhas políticas, de ações partidárias, etc.  A relação da igreja ou do crente com o Estado deve ser de cumprimento das leis, desde que elas não firam princípios bíblicos, e de honra aos governantes, embora isto não nos impeça de denunciar a corrupção, as falhas, nem nos obriga a concordar com ações pecaminosas de nossos governantes.

O crente deve ser modelo para as demais pessoas. Nossas relações com os políticos, mesmo quando visando algum interesse particular, deve ser feita dentro da legalidade. Os políticos estão na função para atender às necessidades da população de uma forma geral. Mas ninguém deve solicitar coisas para si de um político, se a forma de atendimento à sua solicitação for algo ilegal, o que constitui uma prática pecaminosa.

Agora, porque não vamos agir na ilegalidade? Por causa do Senhor. Quando agimos com algo ilegal, imoral, quando falhamos em cumprir nossos compromissos. Quando não pagamos nossas contas. Quando demonstramos preconceitos. Temos um mundo que nos rodeia e nos observa. E que falam de nós. Infelizmente, eles falam mal e com razão. Eles veem crentes fumando, eles veem textos e fotos imorais pelas redes sociais; eles veem comentários não apropriados para cristãos convertidos nas redes sociais. Eles veem membros de igreja aceitando propinas. Eles veem quando você fala mal ou xinga outra pessoa. Eles veem sua falta de amor em falar de outros. Eles veem quando você é incapaz de ajudar os que estão pecados. Eles veem o silencio dos que deviam lhes falar de Jesus.

Aí eu te pergunto – se não formos modelos, como poderemos ter uma igreja saudável? Quantos que preferem deixar a igreja indo pra outras, do que corrigirem seus erros e arrependerem-se de seus pecados. Viverão práticas religiosas, mas não estarão glorificando a Deus por causa de seus pecados.

O motivo da mudança é o Senhor. O motivo da evangelização é a glória de Deus. O motivo de uma vida exemplar é obedecer a cristo, glorificando o Senhor e ajudando pessoas a crerem em Cristo como seu salvador.

Pedro então nos apresenta outra advertência importante:

 

  1. EXERCITE A OBEDIÊNCIA

15 Pois é da vontade de Deus que, praticando o bem, vocês silenciem a ignorância dos insensatos.

16 Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus.

17 Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei.

 

Pedro inicia o verso 15 com a frase “É da vontade de Deus”. O que é da vontade de Deus deve ser obedecido, seguido, vivido, sem questionamentos.  Deus deseja e ordena a prática do bem. Cada crente tem a obrigação, após sua conversão de fazer o que é certo. Jesus afirmou em Mt 5:20 “… que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus”.

Há uma relação entre obediência à vontade de Deus e nossa salvação. Uma coisa está relacionada a outra. Não somos salvos porque obedecemos aos princípios morais da Bíblia, isto está bem claro na passagem de Mateus 19.16-22. Jesus disse ao jovem que para ser perfeito era preciso, obedecer a Lei de Deus,  amar o próximo, abrindo mão de algo de tudo que seja mundano e que domine seu coração, e então seguir a Jesus. Ou seja, seguir princípios bíblicos é excelente, mas, a salvação é pela graça, por meio da fé, na pessoa de Jesus. Não vem de nós.    No entanto, Efésios 2.10 afirma que Deus planejou as boas obras para a sua igreja. Fazer o que é certo é uma característica do convertido a Jesus. Ser salvo pela graça não é uma licença para pecar. Pedro nos lembra que somos servos, escravos de Cristo. Devemos obediência a Jesus.

CONCLUSÃO:

O resumo das advertências dada por Pedro é o verso 17 Tratem a todos com o devido respeito: amem os irmãos, temam a Deus e honrem o rei.

Esperar em Cristo em meio às lutas da vida, envolve vida exemplar, foco na glória de Deus e obediência à vontade de Deus.

O fato de vivermos situações difíceis não é uma licença para o pecado. Ah, tô desempregado, então vou aceitar propinas, empregos ilegais. Isto é pecado. Minha condição financeira é ruim, vou fazer uns esquemas para me beneficiar. Deus não vai tolerar isso!

Fomos salvos do pecado. Saímos das trevas para a maravilhosa luz de Cristo. Não podemos continuar em obras das trevas. Seja qual for a sua luta, uma vida exemplar, focada em trazer glória a Deus, sempre obediente à vontade do Senhor será o que Deus espera de cada um de nós.

A pregação do evangelho tem sido atrapalhada, envergonhada, pelo nosso pecado. Precisamos nos arrepender e buscar a glória de Deus.

 

 

 

One thought on “1 Pedro 2.12-17 Esperando em Cristo com vida santa

  • Prezado pastor. Estou encantado com a análise didática, espiritual e consistente dos temas bíblicos expostos no blog. Parabéns> Aprendo muito! Deus te continue usando para nos abençoar com essas pérolas da Palavra

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *