1 Pedro 1.13-17 Ser como Cristo, a força da nossa esperança!

EXPOSIÇÃO DE 1 PEDRO

TEMA GERAL: “Em meio às lutas da vida, Cristo é a nossa esperança”

Sermão 3 – Ser como Cristo, a força da nossa esperança!

 

Texto: 1 Pedro 1.13-17

13 Portanto, estejam com a mente preparada, prontos para a ação; sejam sóbrios e coloquem toda a esperança na graça que lhes será dada quando Jesus Cristo for revelado.

14 Como filhos obedientes, não se deixem amoldar pelos maus desejos de outrora, quando viviam na ignorância.

15 Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem,

16 pois está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo”.

17 Uma vez que vocês chamam Pai aquele que julga imparcialmente as obras de cada um, portem-se com temor durante a jornada terrena de vocês.

 

Grande Ideia: O crente deve refletir o caráter de Deus no seu cotidiano.

 

INTRODUÇÃO:

 

Na última reflexão em 1 Pedro, falamos que a nossa salvação produz esperança e alegria, pois é cumprimento do plano eterno de Deus! Estamos numa carta maravilhosa em que Pedro está tentando confortar as igrejas que estão sofrendo por causa do Evangelho. Em 1.6, Paulo deixou claro que aqueles irmãos passavam por muitas provações. Em 3.14, Pedro confirma ainda mais o sofrimento do crente quando disse: “Mas, ainda que venhais a sofrer por causa da justiça, sereis abençoados. Não temais suas ameaças, nem vos alarmeis”.

Se eu pedisse a cada um aqui para contar sua vida, com certeza, de alguma forma, todos apresentariam algum tipo de sofrimento. Nossas lutas são muitas, mas elas são maiores se temos temor a Cristo e se desejamos, de verdade, viver para glória de Deus.

Mas, ainda que venham lutas, tristezas, sofrimento indizível, temos nossa esperança em Cristo, na salvação que dele recebemos, e que produz no crente verdadeiro, um desejo imenso de ser como ele, santificando a vida e agindo como deve agir um filho de Deus.

Nosso texto nos apresenta 3 fatores pelos quais santificaremos nossas vidas. São vários verbos arranjados no texto, que descrevem como deve ser a atitude de um crente. Vamos a elas:

 

 

  1. Mente transformada conduz a ação apropriada.

13 Portanto, estejam com a mente preparada, prontos para a ação; sejam sóbrios e coloquem toda a esperança na graça que lhes será dada quando Jesus Cristo for revelado.

 

Pedro começa o verso 13 com a palavra “portanto”. Quando você estiver lendo a Bíblia, se aparecer um “portanto”; um “por isso”, e coisas semelhantes, isto significa que o que vai ser falado tem relação com o que acabou de ser falado. O assunto desta passagem depende do assunto da passagem anterior. Pedro nos falou dos versos 3 a 12 sobre a salvação como produtora de esperança e alegria. Mas agora ele nos mostra que somos salvos com propósitos bem definidos por Deus. Já que somos salvos, temos uma vida consagrada para viver. Ou seja, o que vai ser dito a partir do verso 13, só faz sentido para quem já experimentou a salvação, o novo nascimento em Jesus Cristo.

A mente preparada. Pedro parte do pressuposto de que o crente deve ter a mente preparada e a partir desta realidade começar a agir de maneira que glorifique o Senhor. A salvação se dá  na mente. A transformação se na mente, na forma de entender as coisas. Paulo falou algo semelhante em Rm 12.2, quando afirmou que não devíamos tomar os moldes do mundo, mas sermos transformados pela renovação da nossa mente, da nossa maneira de pensar. A frase no original, nos convida a fazer um exercício mental. A não aceitar a fé de modo cômodo ou superficial. Barclay afirma que a expressão poderia significar a frase: “arregaçar as mangas” ou “tirar o casaco”, para trabalhar mais e melhor. Assim, a mente preparada significa não aceitar a fé de qualquer jeito, mas esforçar-se por pensar, e retirar os erros de uma fé falsa, e abraçar uma fé bíblica verdadeira e profunda de significado.

Pronto para a ação. Com a mente preparada, transformada pelo Evangelho de Cristo, somos convocados à uma vida condizente com a fé. A ação do crente é resultado da sua compreensão de quem ele se tornou em Cristo.

Sede Sóbrios. O texto continua nos convocando à sobriedade. O original se refere à moderação, ao controle, à calma. Para uma igreja sofredora pela fé, a sobriedade é imprescindível. Pedro está dizendo que eles não deveriam perder o controle diante dos problemas. Afinal são salvos por Jesus, e essa salvação é suficiente pra alegrá-los em meio ao sofrimento.

Esperança na graça de Jesus. Não podemos abrir mão da esperança em todas as situações de nossa vida. A esperança é a marca do cristão verdadeiro, do salvo por Jesus. E por viver com a esperança da graça que temos condições de suportar a dor e o sofrimento nesta vida. Veja que Pedro aponta essa esperança para o futuro, “quando Cristo for revelado”. É apoiar nosso pensamento na esperança da eternidade com Cristo. Vencendo tudo que nos tentar separar desse futuro glorioso.

Aplicação: Vamos parar um pouquinho neste verso. Quanta coisa não? Como você tem encarado sua vida crista? Como você reage quando o pecado tenta te seduzir? Como você se sente quando o sofrimento te alcança? Como você se sente quando é perseguido por desejar viver de modo bíblico?

O convite para você hoje começa com um modo de pensar bíblico, coerente com a vida que Cristo lhe deu, mas ele continua chamando você a não aceitar uma fé fraca, falsa, fácil, mas a ter calma, ser sóbrio, e colocar sua esperança na graça que Cristo lhe dará na eternidade. O convite é para lutar e sofrer aqui na certeza de que, em Cristo, Deus tem algo maior e melhor para lhe recompensar.

 

  1. Viver em santidade implica em romper com o passado pecaminoso.

14 Como filhos obedientes, não se deixem amoldar pelos maus desejos de outrora, quando viviam na ignorância.

15 Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem,

16 pois está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo”.

 

Deixe-me fazer uma pergunta a vocês: quantos aqui gostariam que seus filhos fossem desobedientes? Então, penso que com base na resposta negativa de todos, podemos compreender o argumento de Pedro no verso 14. O bom filho vive para agradar o seu pai. Se o pai é uma pessoa boa, ele espera que o filho também seja. Assim, Pedro está afirmando que os filhos de Deus precisam ser obedientes ao seu Pai celeste e precisam agir com a mesma santidade de Deus. No cap. 1, verso 2, Pedro disse que fomos escolhidos para a obediência a Cristo Jesus. Ser crente é ser obediente a Cristo. Paulo afirma a mesma ideia em Rm 1.5, quando diz que Deus está formando um povo para a obediência que vem pela fé.

Mas como isso funciona? O texto é muito prático. Pedro afirma que o segredo da mudança do comportamento está em duas questões básicas: Primeiro, a mudança de mente, como já falamos no verso 13. Segundo, não se deixando amoldar pelos maus desejos do passado. Há aqui uma lógica. Se a mente, se o entendimento sobre a vida prática mudou porque você creu em Cristo, então as práticas do passado precisam sair da vida do crente.

Se Deus é santo, você e eu precisamos ser santos! É o que diz o verso 15. Mas observem que a santidade para Pedro não é algo apenas da mente, é algo da prática. “Sede santos em tudo que fizerem”. Santidade é algo para fazer. Não há a distinção entre o secular e o sagrado para os crentes em Cristo. O crente vai viver para glória de Deus em tudo que fizer. Até comendo ou bebendo, como disse Paulo em 1 Co 10.31. Irmãos, santidade não é se trancar no quarto e ficar orando e lendo a Bíblia apenas. Começa com isso, já que o verso 14 nos lembra que o pecado, as coisas erradas que fazíamos era por ignorância. Mas, na medida que vamos conhecendo Cristo e sua Palavra, a santidade é exigida, as práticas de vida precisam ser mudadas.                W.W.Wiersbe afirmou que “Se algo não pode ser feito para a glória de Deus, então não está de acordo com a vontade de Deus”. É simples assim. Os locais que você frequenta, seu modo de falar, a maneira como se comporta com familiares e amigos, tudo isso demonstrará se você tem ou não o caráter santo de Jesus Cristo.

Irmãos, se suas práticas tem sido coisas condenadas por Deus, lembre-se, ele é misericordioso. Ele está pronto a perdoá-lo. 1 João 1.9, garante que se você confessar seu pecado, ele é fiel e justo para te perdoar os pecados e te purificar. Confie em Cristo para ter perdão, e seja santo como Deus é santo!

 

  1. O temor a Deus é a motivação para um vida correta.

17 Uma vez que vocês chamam Pai aquele que julga imparcialmente as obras de cada um, portem-se com temor durante a jornada terrena de vocês.

Se uma pessoa que você gosta muito entrasse em sua casa e dissesse assim: Fulano, se você não me obedecer eu vou matar sua família. Você o obedeceria? Mas se esta mesma pessoa ao entrar na sua casa, desse um tiro na sua esposa e dissesse: Fulano, se você não me obedecer eu vou matar o restante da sua família. Você o obedecia? Qual a diferença entre o primeiro e o segundo caso? Creio que a diferença seja se você acredita que a pessoa que prometeu fazer algo tem realmente condição de fazer o que prometeu.

Meus irmãos, Pedro está dizendo que Deus julga imparcialmente as obras de cada um. Isso significa que Deus é juiz e que ele avalia nossas ações sem ser subornado por ninguém, nem de forma superficial, pois ele sequer precisa de testemunhas para julgar, já que conhece todas as coisas. Deus é pai, mas ele não é um pai que tolera o pecado, como se fosse algo normal. Não. Por isso precisamos viver de maneira a agradá-lo em tudo. Sabemos que Deus nos perdoou em Cristo. Sabemos que nossa salvação é um presente de Deus, que basta crer para receber. Mas também sabemos que Deus não quer que vivamos na prática do pecado. O crente, quando peca, não irá mais para o inferno, mas sofrerá as consequências danosas de nossa desobediência. O conselho de Pedro é: portem-se com temor durante a jornada terrena de vocês.

Paulo falou disso em Rm 6.15,16 dizendo assim: “15 E então? Vamos pecar porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De maneira nenhuma! 16 Não sabem que, quando vocês se oferecem a alguém para lhe obedecer como escravos, tornam-se escravos daquele a quem obedecem: escravos do pecado que leva à morte, ou da obediência que leva à justiça?

CONCLUSAO

Ser como Cristo é a força da nossa esperança.

O crente deve refletir o caráter de Deus no seu cotidiano.

Isso só vai acontecer quando nossa mentalidade for transformada na medida que a gente se dispõe a conhecer a Bíblia, a vontade perfeita e agradável de Deus, pois fazendo isso, passaremos a agir de modo correto, de maneira que Deus se agrade de nós.

Como vimos, santidade é algo para fazer. Indica trocar práticas pecaminosas, pelas práticas que glorifiquem a Deus e nos tornem mais semelhantes com Jesus, o nosso Senhor e Salvador.

Você só alcançará essa realidade de vida santa e pura, quando alcançar a sabedoria de temer a Deus. Quando você acreditar que Deus é capaz de fazer o que promete fazer. Que é perdoador e abençoador, mas que também castiga aos filho que lhe são desobedientes.

Fomos chamados para a obediência a Jesus.

 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *