Malaquias 2.10-17 Fidelidade – Essa Palavra Transforma sua vida!

MALAQUIAS 2.10-17 (NOVA VERSÃO INTERNACIONAL)

10 Não temos todos o mesmo Pai? Não fomos todos criados pelo mesmo Deus? Por que será então que quebramos a aliança dos nossos antepassados sendo infiéis uns com os outros?

11 Judá tem sido infiel. Uma coisa repugnante foi cometida em Israel e em Jerusalém; Judá desonrou o santuário que o Senhor ama; homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros.

12 Que o Senhor lance fora das tendas de Jacó o homem que faz isso, seja ele quem for, mesmo que esteja trazendo ofertas ao Senhor dos Exércitos.

13 Há outra coisa que vocês fazem: Enchem de lágrimas o altar do Senhor; choram e gemem porque ele já não dá atenção às suas ofertas nem as aceita com prazer.

14 E vocês ainda perguntam: “Por quê? ” É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial.

15 Não foi o Senhor que os fez um só? Em corpo e em espírito eles lhe pertencem. E por que um só? Porque ele desejava uma descendência consagrada. Portanto, tenham cuidado: Ninguém seja infiel à mulher da sua mocidade.

16 “Eu odeio o divórcio”, diz o Senhor, o Deus de Israel, e “o homem que se cobre de violência como se cobre de roupas”, diz o Senhor dos Exércitos. Por isso tenham bom senso; não sejam infiéis.

17 “Vocês têm cansado o Senhor com as suas palavras. ‘Como o temos cansado? ’, vocês ainda perguntam. Quando dizem: ‘Todos os que fazem o mal são bons aos olhos do Senhor, e ele se agrada deles’ e também quando perguntam: ‘Onde está o Deus da justiça? ’ “

GRANDE IDEIA: A fidelidade conjugal é uma prova de fidelidade a Deus.

 

INTRODUÇÃO:

                Há alguns anos, as igrejas cantavam com muita alegria uma canção que dizia: “Deus de aliança, Deus de promessas, Deus que não é homem para mentir. Tudo pode passar, tudo pode mudar, mas Tua palavra vai se cumprir”. Confesso que não estou muito seguro de que o autor desta letra tenha os olhos voltados para uma realidade de que se Deus é Deus de aliança, há um acordo entre ele e seu povo. Deus permanece fiel à sua parte do acordo e tal acordo, segundo as Escrituras, tem punições estabelecidas quando não cumprimos a nossa parte.

                O texto de Malaquias nos revela que o povo brinca de religião quando o assunto é fidelidade às suas alianças. Querem bênçãos, desejam os benefícios prometidos por Deus nas alianças feitas entre ele e os que nele confiam, mas se esquecem do cumprimento da parte que lhes cabe nesta aliança, neste acordo.

                O texto que lemos é mais uma advertência sobra a necessidade de voltar ao cumprimento da parte que nos cabe.

                E nos apresenta os pontos em que devemos considerar objetos de mudanças.

  1. 1.FALHAR NO CASAMENTO É FALHAR COM DEUS!

10 Não temos todos o mesmo Pai? Não fomos todos criados pelo mesmo Deus? Por que será então que quebramos a aliança dos nossos antepassados sendo infiéis uns com os outros?

11 Judá tem sido infiel. Uma coisa repugnante foi cometida em Israel e em Jerusalém; Judá desonrou o santuário que o Senhor ama; homens casaram-se com mulheres que adoram deuses estrangeiros.

12 Que o Senhor lance fora das tendas de Jacó o homem que faz isso, seja ele quem for, mesmo que esteja trazendo ofertas ao Senhor dos Exércitos.

                Estatísticas demonstram que o número de divórcios entre os que se dizem crente tem aumentado assustadoramente nos últimos anos. Em alguns locais, o número chega a ser maior do que entre os incrédulos. Uma visão errada e distorcida das Escrituras tem sido a causa para tanto pecado na vida dos evangélicos. O que muitos não se atentam é para o fato de que o casamento é um compromisso humano entre duas pessoas que celebra e representa o compromisso de Deus com o homem.

                Malaquias mostra que Israel tinha em Deus um Pai e um criador comum. E este modo de entender devia uni-los cada vez mais, a ponto de que qualquer traição nem mesmo se nomeasse entre eles. Êxodo 19, Deus fez um pacto com Israel que exigia obediência à lei e demonstrava como eles seriam a nação escolhida de Deus. Mas Deus os acusa de quebrar a aliança com ele, quando fizeram algo que Deus não concordava e que trazia desonra ao Senhor: o casamento com pessoas que não adoravam ao Deus verdadeiro. O equivalente de hoje, seria: eles se casaram com não crentes, ou com outras crenças, adoradores de outro Deus que não fosse o da Bíblia. Em Israel, casar-se com um pagão significa casar-se com um ídolo, pois mais cedo ou mais tarde, a pessoa seria seduzida pelo cônjuge a acatar algumas de suas ideias, o que poderia leva-lo ao pecado. A punição em Israel era expulsar tal israelita do meio do povo, para não contaminar os demais com ideias pagãs.

                Veja que a relação entre a aliança de Deus com o povo e a aliança de casamento é algo importante para Deus. Ou seja, a primeira aliança (o pacto com Deus) é representada e vivida na segunda aliança (o pacto do casamento).

                Irmãos, hoje vivemos debaixo da graça de Deus, demonstrada em Cristo Jesus. Cremos, com base nas Escrituras que uma pessoa salva jamais perderá sua salvação. No entanto, é preciso compreender que a vontade de Deus não mudou. Seus ideais não mudaram. Deus continuará punindo o pecado. O salvo sofrerá as punições enquanto vive, já que o céu lhe está reservado. O que pensa que é salvo e está na igreja, sofrerá ainda mais no inferno.

                O texto no verso 12 diz que a punição é certa, mesmo que a pessoa esteja realizando seus cultos.

                Meus queridos, fica o alerta. Muitos vivem no pecado por causa da ignorância. E a falta de conhecimento os vai destruindo. Mas, hoje, nós sabemos. Temos uma responsabilidade maior de sermos obedientes à sua vontade tão clara.

Não são os cultos que nos darão aceitação diante de Deus, mas sim, obediência à sua Palavra.

                Falhar no casamento é falhar com Deus. Não podemos nos permitir essa falha. Não podemos trair nosso pacto e relacionamento com o Senhor.

  1. 2.FALHAR NO CASAMENTO DIFICULTA A ADORAÇAO.

13 Há outra coisa que vocês fazem: Enchem de lágrimas o altar do Senhor; choram e gemem porque ele já não dá atenção às suas ofertas nem as aceita com prazer.

14 E vocês ainda perguntam: “Por quê? ” É porque o Senhor é testemunha entre você e a mulher da sua mocidade, pois você não cumpriu a sua promessa de fidelidade, embora ela fosse a sua companheira, a mulher do seu acordo matrimonial.

15 Não foi o Senhor que os fez um só? Em corpo e em espírito eles lhe pertencem. E por que um só? Porque ele desejava uma descendência consagrada. Portanto, tenham cuidado: Ninguém seja infiel à mulher da sua mocidade.

               

                Uma das coisas mais difíceis de ouvirmos alguém dizer é que problemas no casamento trazem problemas para o culto. Mas quando olhamos os versos 13 e 14, não temos dúvidas desta verdade. Os israelitas, no verso 13, estavam indo ao templo, estavam cultuando, eles apresentavam suas ofertas. Mas o texto afirma que eles choravam e gemiam no altar e Deus não aceitava com prazer o que eles ofereciam. Então, o coração pecaminoso do homem, que é cegado pelo seu pecado, faz a crucial pergunta: Por quê? Por que Deus está me rejeitando?

                O verso 14 responde: Há problemas no seu casamento, você não foi fiel.

                Os comentaristas afirmam que os homens de Israel, durante o cativeiro e após o retorno para suas terras, divorciaram-se de suas esposas para se casarem com mulheres não judaicas, o que lhes era proibido por lei. Há dois pecados aqui. O primeiro era o divórcio, o segundo o recasamento com mulheres idólatras.

                No verso 15, Malaquias remonta ao livro de Genesis, no capítulo 2, quando da criação do homem e a instituição do primeiro casamento. A criação do homem e da mulher e a ordem de que se unissem em casamento partiu de Deus com um propósito definido e santo: uma descendência consagrada a Deus.

                Esse princípio de um casamento até que a morte os separe não é uma invenção humana, é uma ordem divina e representa a união de Deus com seu povo, atualmente, com a sua igreja.

                Paulo vai nos ensinar em Efésios 5 que o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher e os dois serão uma só carne. E sobre estas Palavras, o apóstolo diz que este é um grande mistério, pois se refere a Cristo e sua igreja.

                Irmãos, casamento bíblico não é brincadeira. Casamento é maior que a legislação brasileira que já permite a união entre pessoas do mesmo sexo, que permite o divorcio, que facilita a separação. Casamento é o cumprimento de nossa aliança com Deus, representando nossa aliança com Cristo.

                A infidelidade conjugal é mais grave por se tratar da quebra de uma aliança com o próprio Deus. Somos convidados aqui a defender o casamento. A nos posicionarmos pela sua saúde. A lutarmos por sua preservação entre os crentes e ajudarmos aos outros na sociedade, visando restauração do nosso culto a Deus.

                O culto está comprometido quando a infidelidade ronda nossas famílias. Precisamos compreender estas verdades. Sob pena de um culto que Deus não aceita. Devemos dar atenção a estas palavras.

  1. 3.DEUS ODEIA O DIVÓRCIO

16 “Eu odeio o divórcio”, diz o Senhor, o Deus de Israel, e “o homem que se cobre de violência como se cobre de roupas”, diz o Senhor dos Exércitos. Por isso tenham bom senso; não sejam infiéis.

17 “Vocês têm cansado o Senhor com as suas palavras. ‘Como o temos cansado? ’, vocês ainda perguntam. Quando dizem: ‘Todos os que fazem o mal são bons aos olhos do Senhor, e ele se agrada deles’ e também quando perguntam: ‘Onde está o Deus da justiça? ’ “

                Deus instituiu o casamento. O divorcio foi uma invenção dos homens.  Quando Moisés permitiu o divórcio em Dt. 24.1-4, ele o fez para proteger a esposa de um marido mau, mas não era uma autorização para se divorciar dela por qualquer motivo.

                Há diferentes opiniões entre os teólogos sobre a permissão do divórcio em casos de infidelidade e abandono, mas não podemos nos esquecer do princípio bíblico de que DEUS ODEIA O DIVÓRCIO. Não me lembro na Bíblia de outra expressão tão forte quanto essa, que parece até contraditória com a natureza de Deus. Sempre temos a ideia de um Deus que é amor, mas neste verso, Malaquias afirma que Deus odeia o divórcio. Mas porque tais palavras?

                Como já afirmamos, o divórcio é a consumação da quebra de uma aliança feita na presença de Deus. Quando alguém se divorcia ele está dizendo que não se importa do pacto feito com sua esposa tendo Deus como testemunha. Isso mostra que os cônjuges estão tão fechados em si mesmos que não mais se preocupam com o que Deus pensa.

                Quando um casal considera o divórcio uma opção, está dando provas que seu relacionamento com Deus está mal. Falta obediência à palavra, falta consideração ao que Deus pensa, falta a decisão de amar e perdoar.

                Deus vê o divorcio como uma violência e falta de bom senso. É preciso pensar na dor que se causa nos filhos, nos parentes, e ter bom senso para se medir as consequências e saber que Deus está sendo ignorado pelas decisões e que isto não ficará impune.

                Enfim, Malaquias afirma que as pessoas cansam o Senhor quando acham que os que pecam não serão punidos, porque o castigo ainda não veio.

                Meus irmãos, Cristo nos tem dado a sua graça salvadora. Mas lembre-se, não usem da liberdade para dar espaço para a carne, para o pecado.

                Somos convidados nas Escrituras a pensar nos princípios de Deus para a nossa vida, nossos relacionamentos.

CONCLUSÃO:

                A fidelidade a Deus é comprovada na fidelidade conjugal.

                Vamos, portanto, levar nossos casamentos a sério. Vamos cuidar da nossa saúde espiritual. Vamos nos lembrar que falhar no casamento é falhar com o próprio Deus e ainda atrapalhar nossa adoração ao Senhor.

                Deus odeia o divórcio. Não se esqueça disso. Como faríamos algo que traz tanta tristeza ao coração de Deus? Como dizer que amamos o Senhor se não nos dispomos a pensar em agradá-lo?

                Se você está pensando em se casar, lembre-se, é uma decisão bíblica e muito bonita, mas é uma decisão para ser levada a sério. Não brinque com isso.

                Se você está casado não deixe o pecado escravizar seu coração. Conheça a Palavra, guarde no coração os princípios de Deus para sua vida. Lute pelo seu casamento e pela fidelidade conjugal, visando manter fidelidade a Deus sempre.

                Se você já se divorciou, conte com a graça de Cristo para sua vida, saiba que ele é perdoador de seus pecados. Mas, lembre-se, há restrições quanto à algumas funções na obra de Deus para aqueles que estão divorciados.

                Deus nos ajude a escolher amar e viver para glória do Senhor. Amém.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *