Parem de Brincar de Religião! – Macroexposição de Malaquias

Parem de brincar de religião!

Macroexposição de Malaquias.

Malaquias 1.1

Ml 1:1 PESO da palavra do SENHOR contra Israel, por intermédio de Malaquias. (ACF)

Ml 1:1 Esta é a mensagem que o SENHOR anunciou a Israel por meio do profeta Malaquias. (NFT)

Ml 1:1 Uma advertência: a palavra do Senhor contra Israel, por meio de Malaquias. (NVI)

Introdução:

 

                Vamos fazer uma viagem no tempo? Muito bem, então imaginemos que estamos por volta do ano 516 a 458 a.C. É assim mesmo, antes de Cristo, as datas vão diminuindo até chegar próximo do seu nascimento. Mas vamos lá! Tudo indica que estamos numa época depois do exílio babilônico. O povo foi exilado, levado preso para a Babilônia por causa de seus pecados constantes. O reino do norte, Israel, fora destruído e o reino do sul, Judá, foi levado preso. Depois de 70 anos eles retornaram às suas terras. Tiveram que reconstruir tudo. Foram para o cativeiro por causa da incredulidade. Voltaram por causa da graça de Deus. Agora o povo se tornou indiferente a Deus, ao seu amor, ao seu culto no templo. As pessoas estão vivendo sem compromisso com Deus. Eram o povo de Deus, mas estavam distantes dele (casamentos mistos, negligência da liderança religiosa, opressão dos pobres e vida familiar deplorável), tais coisas resumiam a condição espiritual de um povo distanciado de Deus e de sua vontade soberana.

                É aqui que ouvimos o profeta. Mas Malaquias é um profeta diferente. Ele não fala como os outros profetas, de forma direta. Ele usa um estilo de disputa, e nelas ele traz as acusações de Deus contra o seu povo, Israel e mostra que o povo se recusa a aceitar as acusações, assim, ele apresenta as provas de que, realmente, o povo é culpado.

                Agora vamos fazer outra viagem no tempo. Estamos no Brasil, um país da América do Sul. Estamos no Estado do Rio de Janeiro, na cidade de Nova Friburgo. Somos a igreja de Jesus. O novo povo de Deus. Também carregamos conosco a honra de sermos chamados de crentes em Jesus Cristo. Também saímos do exílio, da escravidão do pecado, por causa de Cristo. Mas ainda temos os mesmos problemas. Ainda somos indiferentes ao amor de Deus demonstrado por nós. Ainda temos em nosso meio pessoas que se casam com não cristãos. Ainda temos em nosso meio pessoas distanciadas de Deus. Ainda temos famílias em situações deploráveis. Nossa condição espiritual demonstra que falamos muito em Deus, mas estamos distantes dele na prática.

                Este livro traz as acusações. O tempo fechou para Israel. Deus está irado.

Malaquias 1.1 – Deus traz sua mensagem de acusação contra seu povo.

Malaquias 1.2-5 – O povo era indiferente ao grande amor de Deus por eles.

Malaquias 1.6-14 – O povo mostra descaso com a santidade e grandeza de Deus oferecendo um culto desprezível.

Malaquias 2.1-9 – A liderança religiosa ignora a santidade de Deus e sua função como proclamadores da vontade do Senhor.

Malaquias 2.10-16 – O povo é acusado de romper suas alianças de casamento o que simboliza a quebra de sua aliança com Deus.

Malaquias 2.17 – O povo duvida do caráter justo de Deus.

Malaquias 3.1-6 – Deus avisa que aqueles que questionam e desobedecem à sua justiça serão julgados pelo seu mensageiro.

Malaquias 3.7-12 – O povo é acusado de religiosidade e falsidade. Apenas o arrependimento trará de novo as bênçãos de Deus.

Malaquias 3.13 – O povo é acusado de cinismo ético. Deixam as coisas materiais falarem mais alto que as coisas espirituais.

Malaquias 3.16-4.6 – Deus julgará seu povo, e fará separação entre o justo e o rebelde.

                Malaquias é o último livro do Novo Testamento. Enquanto o último livro do Novo Testamento termine com as palavras “21 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo [seja] com todos vós. Amém”. Adonai Melech Ne eman (O senhor é rei fiel), o último livro do Velho Testamento termina com a palavra maldição, embora esteja num contexto que afirma a vinda do Messias, do Cristo que impediria a maldição. “Malaquias 4.6 E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição”.

                Malaquias traz a advertência de Deus, o peso da Palavra do Senhor. Parem de brincar de religião. É hora de levar Deus a sério!

Transição: O que se pode aprender no livro de Malaquias sobre parar de brincar de religião?

  1. 1.Reconhecer e valorizar o amor de Deus por nossas vidas.

1.2 Eu vos amei, diz o SENHOR; mas vós dizeis: Em que nos amaste? Não foi Esaú irmão de Jacó? —disse o SENHOR; todavia amei a Jacó

                Deus soberanamente decidiu escolher um povo em meio a tantos para torna-lo seu povo de propriedade particular. Eles foram amados. Mas não reconheciam isto.

                Quando olhamos para os nossos dias, vemos pessoas que estão nas igrejas, mas diante de seus problemas e interesses se tornaram indiferentes ao amor de Deus.

                Deus nos ama. Isto é indiscutível. Ele não poupou seu próprio filho por nossa causa. Paulo afirmou em Rm. 5.8 que Deus provou seu amor em que Cristo morreu por nós sendo nós ainda pecadores.

                Mas quando ignoramos esta verdade, ignoramos o amor de Deus. Pecamos e merecemos a punição. Assim, boa parte das nossas dores, dos nossos problemas é sempre fruto de nosso pecado.

  1. Leve o culto a Deus a sério!

Ml 1.10 “Quem dera um de vocês fechasse as portas do templo para que não se acendesse em vão o fogo do meu altar! Não me agrado de vocês”, diz o SENHOR dos Exércitos, “e não aceitarei suas ofertas.

                O descaso para com o culto a Deus foi tão grande que Deus achou melhor que o templo fosse fechado. É melhor fechar o templo do que ter cultos oferecidos sem vida e sem compromisso com Deus e sua obra.

                Irmãos, esta acusação é muito séria! Ela se dá em nossos dias, quando você vem ao culto pensando apenas na sua apresentação e no seu prazer, mas não em servir ao Deus vivo, santo e verdadeiro.

                Seu culto está sendo aceito? Suas motivações para estar no templo é porque você ama a Cristo? É a glória dele ou a sua que te traz aqui? O que você está oferecendo a Deus, como forma de culto?

  1. Pregue e viva a Palavra de Deus

Ml 2:8 Mas vocês, sacerdotes, se desviaram dos caminhos de Deus. Suas instruções fizeram muitos caírem em pecado. Vocês quebraram a aliança que fiz com os levitas”, diz o SENHOR dos Exércitos.

                Deus está irado com pregadores que distorcem as Escrituras para atender seus interesses. Por causa do desinteresse e descaso do povo para com o culto no templo, os sacerdotes começaram a pregar o que o povo queria ouvir. O resultado era pecado. Por causa das falsas pregações, o casamento foi enfraquecido no meio do povo de Deus. As pessoas caíram em jugo desigual, casando-se com pessoas que não amavam a Deus. Outros se divorciavam. Deus vê no casamento o símbolo da sua aliança com o seu povo. Quando alguém se divorciava, era como quebrar a aliança entre Deus e seu povo. Deus estava cansado do culto, das palavras, das ações do seu próprio povo.

                Queridos, uma pregação sem conteúdo e base bíblica é nociva, é perigosa, destrói mais do que alimenta e abençoa.

                Neste livro, há condenação para os pregadores falsos. O que indica que devemos conhecer a Palavra, vive-la e pregá-la a todo custo.

  1. Arrependa-se enquanto há tempo, pois a religiosidade é sempre condenada.

Ml 3:5 “Naquele dia, eu julgarei vocês. Não demorarei para testemunhar contra todos os feiticeiros, adúlteros e mentirosos. Falarei contra aqueles que roubam o salário de seus empregados, que oprimem as viúvas e os órfãos, ou que privam os estrangeiros de seus direitos, pois essas pessoas não me temem”, diz o SENHOR dos Exércitos.

                É visível que Deus não está satisfeito. O pecado será condenado e punido. O mensageiro de Deus é Jesus. Como afirmou João Batista, ele tem o machado nas mãos. Ela cortará a palha e a lançará no fogo para ser queimada.

                O capítulo 3 nos mostra um povo roubando a Deus ao não entregar a totalidade de seus dízimos e a não ofertar para o sustento da sua obra.

                O povo de Israel era lavrador. O devorador era o gafanhoto, um inseto terrível que chegavam como uma nuvem e comia toda a plantação. Apenas um arrependimento sincero, contribuição voluntária e amorosa, faria com que Deus repreendesse o devorador, ou seja, o gafanhoto. Neste capítulo, fica claro que Deus está no controle de todas as coisas. O sucesso e o fracasso das lavouras está nas mãos do Senhor e não das do homem. Então é preciso submeter-se à vontade de Deus. É tempo de parar de brincar de religião e levar Deus a sério.

                Isso serve para você? Sem dúvida. Vamos ver os detalhes mais à frente, nas próximas reflexões. Mas aqui temos algo importante. Deus quer abençoar, mas nosso pecado atrapalha. Arrependimento é necessário.

  1. 5.Abandonem o cinismo e voltem-se para Deus e seu reino.

Ml 3:14 “Vocês disseram: ‘De que adianta servir a Deus? Que vantagem temos em obedecer a suas ordens ou chorar por nossos pecados diante do SENHOR dos Exércitos?

Ml 3:15 De agora em diante, chamaremos de abençoados os arrogantes. Pois os que praticam maldades enriquecem, e os que provocam a ira de Deus nenhum mal sofrem’.”

Quantas vezes você pensou assim? Qual a vantagem de servir a Deus? Porque os outros ficam ricos e eu não? Esse discurso levou os judeus ao pecado e ao castigo divino. Esse discurso é cínico, porque Deus cuida dos seus filhos. Ele nos ama. Ele já provou isso e não precisa fazê-lo novamente. Duvidar do seu cuidado e amor é pensar apenas em si mesmo e ser ingratos.

Mas é claro, há sempre aqueles que são fiéis. E em Ml 3:18 Deus afirma: Então vocês verão outra vez a diferença entre o justo e o mau, entre o que serve a Deus e o que não serve.”

                Irmãos, há esperança! Devemos olhar novamente para nossas vidas, corrigir nossos pensamentos, palavras e ações e nos voltarmos para Deus, pois Ele está pronto a perdoar e restaurar nossas vidas. Como ele mesmo afirmou: Tornem-se para mim e eu me tornarei para vocês. Ele deseja transformar e abençoar nossa vida. Em Cristo isto é possível e é uma realidade.

 

CONCLUSÃO:

                Fechou o tempo para Israel e Deus queria que fechassem o templo. Ainda hoje, a mensagem é válida. Parem de brincar de religião. Levem Deus a sério. Vamos nos arrepender e fazer tudo para glória de Deus. Deus nos abençoe.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *