Jonas 4.2-4 Lidando com a Depressão à Luz da Bíblia

Jonas 4.2-4

2 E orou ao Senhor, e disse: Ah! Senhor! não foi isso o que eu disse, estando ainda na minha terra? Por isso é que me apressei a fugir para Társis, pois eu sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.

3 Agora, ó Senhor, tira-me a vida, pois melhor me é morrer do que viver.

4 Respondeu o senhor: É razoável essa tua ira?

Há alguns anos atrás, fui apresentado à Canção da Depressão. Era a música de um grupo não evangélico do qual me esqueci o nome, mas que, falava de depressão. A letra da canção dizia assim: “Você anda deprimido?Mas que coisa démodé!Tem um mundo coloridoNa farmácia, pra você!A dor forte de perder uma paixãoNão vai mais te incomodarO emprego que só causa frustraçãoVocê vai passar a amar!” Aí vinha o refrão: “Fluoxetina, Sertralina, Citalopran, Paroxetina, Nefazodona, Clonazepan. Pra dormir bem à noite e acordar de manhã bem melhor!Acredite no que a bula diz:A felicidade é química! Ninguém é infeliz.

A depressão é chamada de doença pela medicina e pela psiquiatria, embora possamos afirmar que ela não é doença, mas resultado de alguma doença ou de pecado. Pode ser causada por problemas orgânicos (desiquilíbrio físico do cérebro) ou emocionais (acontecimentos desgastantes). Ninguém está imune aos sentimentos depressivos. Mas, retirando-se as causas orgânicas, físicas, que devem ser tratadas pelos médicos. Quando o médico, após exames clínicos e laboratoriais afirma que o paciente não tem nada, a causa se mostra emocional, e para esta causa, a Bíblia é suficiente para tratar a depressão.

Ao longo da história bíblica, vários personagens passaram pelos sintomas que hoje são classificados como depressão. Mas como esta palavra não está na Bíblia, nem os nomes difíceis dados pelos manuais de doenças, as Escrituras acabaram sendo acusadas de serem simplistas e que as igrejas, com seus conselhos, não poderiam tratar tais problemas. A maioria dos casos de depressão diagnosticados pelos psicólogos, a Bíblia chama de outra coisa. A Bíblia chama de pecado.

Em nosso texto, Jonas ficou irado com Deus. Ele estava zangado por que Deus decidiu perdoar e não destruir Nínive. Deus frustrou os interesses de Jonas. Deus agiu em sua soberania e Jonas não podia tolerar um Deus que fosse bondoso, misericordioso, perdoador, paciente com os inimigos do profeta. Resultado desta frustração com Deus? Jonas entendeu que era melhor morrer do que viver. “Deus o Senhor pode me levar, me mata. É melhor morrer do que viver”. Era as palavras de Jonas.

No verso 4, Deus responde a Jonas. Mas a resposta de Deus não foi fazendo um milagre ou agradando os interesses escusos do profeta. A resposta de Deus vem em forma de pergunta: “é razoável essa tua ira?” Nestas palavras, se esconde a intenção de Deus de que Jonas tratasse seu coração. Era como se Deus dissesse: “Jonas, sonde o seu coração e veja se o motivo de você estar zangado não é pecaminoso”.

A depressão de Jonas era fruto de seu pecado. Jonas tem uma teologia correta sobre Deus, mas ela não estava no seu coração. O que Jonas sabia sobre Deus ainda não havia impactado sua alma. Jonas não amava seus inimigos. Jonas não perdoava. Jonas não se deleitava no cumprimento da vontade de Deus em salvar os perdidos. Jonas estava focado em si mesmo. Estes foram alguns dos pecados de Jonas.

Na história Bíblica, Jonas não foi o único a demonstrar depressão como fruto de pecado. O profeta Elias reagiu às ameaças de Jezabel temendo pela própria vida, entregando-se ao desespero e fugindo, mesmo após uma grande vitória (I Rs. 19:1-4); Davi pecou, não se arrependeu e, então, perdeu a esperança (Sl. 38); Pedro negou a Cristo mentindo e praguejando, o que o levou a chorar amargamente (Mt. 26:69-75), e Judas traiu a Jesus e depois sentiu remorso. Após jogar as trinta moedas de prata no templo, ele cometeu suicídio, enforcando-se (Mt. 27:1-5).

Deus está tratando a depressão de Jonas fazendo analisar seu próprio coração, descobrir que sua tristeza, raiva, desânimo eram frutos de seus pecados. Arrependimento era o passo inicial. Mudança bíblica era a solução. Como afirmou Paulo, era preciso parar de pensar nas coisas terrenas e pensar nas coisas lá de cima, onde Cristo está assentado com Deus (Cl 3.2).

Qualquer um de nós, quando nos desviamos da vontade de Deus, podemos correr o risco de um sintoma depressivo. Neste caso, você não precisa de remédios, você precisa de arrependimento. Precisamos escolher obedecer toda a vontade de Deus nas Escrituras. Essa é a nossa esperança. Lembre-se de que Deus prometeu cuidar de você em qualquer situação (Sl. 23:1-6) Confesse a Deus todos os pensamentos pecaminosos (I João 1:9) e recorra ao auxilio divino para mudar o estilo de pensar pecaminoso (I Tes. 5:17; Hb. 4:15,16). Lembre-se de que seu amor por outros demonstra o seu amor a Deus (I Jo. 2:9-11).

Desafio de hoje: Ore a Deus e agradeça por ter Jesus habitando seu coração. Peça a ajude de Deus para conhecer e obedecer sua Palavra. Peça que ele te ajude a sondar seu coração sempre, analisando se suas motivações e reações estão condizentes com os princípios bíblicos. Arrependa-se onde Deus lhe mostrar. Lembre-se. Deus cuida de você. Se você é salvo por Jesus. Seus pecados já foram pagos. Agora é apenas uma questão de ajuste diário. Se você ainda não é salvo, mas ouviu esta reflexão. Arrependa-se e creia em Jesus. Deus quer fazer mudanças permanentes em nossas vidas por meio da sua Palavra e do Poder do seu Espírito Santo. Um dia abençoado a todos.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *