Filipenses 1.12-27 Viver Jesus – Alegria acima de tudo!

FILIPENSES 1.12-27

12 E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram têm antes contribuído para o progresso do evangelho;

13 de modo que se tem tornado manifesto a toda a guarda pretoriana e a todos os demais, que é por Cristo que estou em prisões;

14 também a maior parte dos irmãos no Senhor, animados pelas minhas prisões, são muito mais corajosos para falar sem temor a palavra de Deus.

15 Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente;

16 estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho;

17 mas aqueles por contenda anunciam a Cristo, não sinceramente, julgando suscitar aflição às minhas prisões.

18 Mas que importa? contanto que, de toda maneira, ou por pretexto ou de verdade, Cristo seja anunciado, nisto me regozijo, sim, e me regozijarei;

19 porque sei que isto me resultará em salvação, pela vossa súplica e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,

20 segundo a minha ardente expectativa e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.

21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.

22 Mas, se o viver na carne resultar para mim em fruto do meu trabalho, não sei então o que hei de escolher.

23 Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor;

24 todavia, por causa de vós, julgo mais necessário permanecer na carne.

25 E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para vosso progresso e gozo na fé;

26 para que o motivo de vos gloriardes cresça por mim em Cristo Jesus, pela minha presença de novo convosco.

Grande ideia: Mesmo sofrendo lutas e dor, servindo a Cristo vivemos em louvor!

INTRODUÇÃO:

Quando iniciei meu ministério na pequena cidade de Almas, no sul do Estado do Tocantins, um grupo de irmãos evangelistas me motivou a andar pelas ruas pregando Jesus. Não demorou muito e o padre da cidade estava na rádio mandando que seus fiéis batessem em nós, pois, dizia ele, nós estávamos divulgando heresias. Uma tarde de domingo um irmão me levou até à casa de um amigo para quem eu deveria falar de Jesus. E o amigo nos contou a história do padre, só que Deus usou aquelas palavras a favor do Evangelho, e o tal amigo disse: “Como pode um homem que diz ser de Deus manda espancar os outros? Ele não segue a Bíblia e eu quero seguir o que ensina a Palavra! E muitas pessoas começaram a se converter depois desta conversa.

                As vezes nossos perigos e sofrimentos são usados por Deus para ajudar pessoas a serem salvas por Jesus. Longe de querer dizer que o que passei era igual a Paulo. Eu nunca cheguei a estar na prisão por amor a Cristo. Mas Paulo sim! Ele sofreu e muito em favor da pregação do evangelho. Para defender o evangelho, Paulo estava disposto a ser preso, a sofrer fisicamente, a até mesmo morrer? Mesmo sofrendo vergonha e dor, ele podia em Cristo, viver em louvor.

                Mas como estar alegre mesmo sofrendo a vergonha da prisão, as dores dos maus tratos, das decepções. Paulo lista as motivações para sua alegria.

  1. 1.O EVANGELHO AVANÇA – ISSO ME ALEGRA.

12 E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram têm antes contribuído para o progresso do evangelho;

13 de modo que se tem tornado manifesto a toda a guarda pretoriana e a todos os demais, que é por Cristo que estou em prisões;

14 também a maior parte dos irmãos no Senhor, animados pelas minhas prisões, são muito mais corajosos para falar sem temor a palavra de Deus.

15 Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente;

16 estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho;

17 mas aqueles por contenda anunciam a Cristo, não sinceramente, julgando suscitar aflição às minhas prisões.

18 Mas que importa? contanto que, de toda maneira, ou por pretexto ou de verdade, Cristo seja anunciado, nisto me regozijo, sim, e me regozijarei;

                Logo no início do texto, chama a nossa atenção o fato de as coisas que aconteceram a Paulo contribuem para o progresso do Evangelho. Como assim? Paulo não estava preso? De que forma alguém ser preso contribui para o evangelho seguir em frente?

                Nas palavras de Paulo, sua prisão por causa de Cristo fez com que todos, até mesmo os guardas compreendessem que ele estava na cadeia por causa de Cristo. Estamos vivendo uma época de perseguições religiosas. Existe uma relatividade na sociedade quando o assunto são questões espirituais e morais. Estamos sempre ouvindo de grupo de “irmãos” que fazem tudo o que a Bíblia chama de pecado e ainda assim se dizem cristãos. Esses grupos não defendem a Bíblia, não defendem o evangelho de Jesus. Eles andam de mãos dadas com a sociedade pecaminosa que jaz no maligno. Dificilmente alguns que se dizem cristãos estariam dispostos a serem presos na luta para defender as verdades do Evangelho, as verdades bíblicas. Como não ao homossexualismo; não ao casamento gay; não à corrupção em todos os âmbitos; não ao sexo fora do contexto do casamento, e assim por diante. Quando ensinamos que uma menina ou menino devem permanecer puros, sem vida sexual até que se casem, somos taxados de retrógrados, e isto é o mínimo. Mas Paulo não se importava com isso.

                No verso 14, vemos que além das pessoas saberem o motivo das prisões de Paulo, este fato ao invés de tornar a igreja um povo covarde que se escondesse, pelo contrário, fez com que a igreja se manifestasse em favor de Paulo e do Evangelho. Pessoas, ao verem Paulo preso, começaram a pregar mais o evangelho e defender as verdades da Palavra de Deus, sem medo de serem presas ou de sofrerem retaliações. Que coisa maravilhosa quando a igreja assume seu papel deste mundo e não se envergonha de Cristo e de sua Palavra.

                Mas nos versos 15-17, Paulo afirma que, enquanto haviam irmãos que pregavam o Evangelho com alegria e compromisso com a verdade, havia outros pregando, achando que com isto, Paulo sofreria mais. Já que eles estavam livres e podiam ao fazê-lo ganhar fama, e fazer crescer suas igrejas, e o faziam, como Paulo afirmou, por contenda, por brigas, crescendo igrejas com ações erradas.

                Mas me encanta as palavras de Paulo no verso 18, você pode ler comigo? 18 Mas que importa? contanto que, de toda maneira, ou por pretexto ou de verdade, Cristo seja anunciado, nisto me regozijo, sim, e me regozijarei;

                Paulo está alegre por causa de Cristo. Sim, se Cristo era pregado, ainda que alguns o fizessem por interesses errados, isso era motivo de alegria para o apostolo.

                Irmãos, eu já vi pessoas plantarem uma igreja por que estavam com raiva do pastor. Um grupo abriu uma congregação e investiu muito dinheiro para que ela se tornasse uma igreja. Mas a motivação era apenas concorrer com a igreja mãe. O resultado – o pastor da igreja-mãe organizou a nova igreja sem qualquer crise. E a igreja onde ele estava, continua servindo ao Senhor como sempre.

                Ainda que por motivos errados de alguns, o evangelho foi pregado. Isso foi alegria para aquele pastor.

                Queridos, você se alegra quando alguém se converte? Você se alegra em convidar pessoas para ouvirem a Palavra de Deus nesta igreja? Você se alegra em conduzir pessoas a Cristo? O Evangelho é alegria para seu coração?

                Você precisa dar respostas positivas para estas perguntas, a fim de que a alegria de Cristo em seu coração seja completa. Lembre-se: Mesmo em lutas e dor, servindo a Cristo vivemos em louvor!

                Mas Paulo revela outro bom motivo para nossa alegria em Cristo:

               

  1. 2.CRISTO É A RAZÃO DA MINHA VIDA – POR ISSO ME ALEGRO.

19 porque sei que isto me resultará em salvação, pela vossa súplica e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,

20 segundo a minha ardente expectativa e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.

21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.

                Depois de afirmar que Cristo sendo pregado a todos isso lhe era motivo de alegria, não importasse as razões pelas quais as pessoas pregassem. Agora, no verso 19 e 20, Paulo entende que o resultado da pregação de Cristo é que isto resultará em salvação. Salvação neste verso 19, pode significar duas coisas: A primeira é a salvação espiritual, neste caso, Paulo estaria se referindo à sua segurança eterna. Por outro lado, a palavra salvação poderia ser traduzida como libertação, e neste caso, poderia se referir à saída de Paulo da cadeia. Havia no apóstolo a esperança de ser liberto e salvo. As duas ideias poderiam ser empregadas. Ele enumera as razões para isso:

  1. As orações dos irmãos – Os crentes de filipos estavam intercedendo por Paulo. Ao que tudo indica, oravam para que Deus o libertasse da prisão.
  2. O socorro do Espírito Santo – Para Paulo, o Espírito consolador, enviado por Cristo lhe era força suficiente para continuar firme na fé.
  3. A disposição em passar por qualquer situação por amor a Cristo. Como Paulo era diferente da maioria de nós. Mesmo preso, o apóstolo afirma que não seria confundido ou envergonhado. Sua esperança é Cristo! Sua motivação é Cristo! Sua razão de viver é Cristo!

                Irmãos, no verso 20 e 21, Paulo dá uma fortíssima declaração de fé e dependência de Cristo: “antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. 21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro.

                Era como se dissesse, se eu sair da prisão, posso continuar a servir ao Senhor em liberdade e farei de tudo para que Cristo seja glorificado. Se eu morrer, morrerei por causa de Cristo, e com certeza, ele será glorificado.

                Quando a gente fala de Jesus Cristo ser a razão da sua vida, a gente fala disso. Não há outra motivação para viver. Cristo é tudo! Se eu acordo de manhã é por causa de Jesus Cristo. Se eu saio para trabalhar, trabalho para Jesus Cristo. Se faço refeições diversas, como e bebo para glória de Deus e de Jesus. Se eu me divirto, faço isto para glória de Jesus Cristo. Se eu me relaciono com pessoas, quero glorificar a Cristo nas minhas conversas, bate-papos, piadas. Cristo em tudo e em todas as coisas. Se por acaso, chegar o dia da minha morte, vou morrer para glória de Cristo, Ele morreu por mim e me deu o privilégio de viver de maneira a honrá-lo e minha morte, além de me garantir a eternidade ao lado do meu salvador, será uma oportunidade para glorifica-lo eternamente.

                Paulo estava muitíssimo alegre porque, mesmo com a morte, pessoas e igrejas estariam glorificando a Deus por sua causa. Cristo era a razão da sua vida.

                Você com certeza conhece alguém que depois da morte de um parente perdeu a alegria de viver. Sua razão de viver era o filho, ou o marido, ou a esposa, e assim por diante. Diante da separação, tal pessoa não consegue mais “tocar a vida”. A Bíblia chamará isto de idolatria do coração. Cristo deixou de ser a razão da existência da pessoa. Paulo está nos convidando a por nossa alegria e razão de viver em Cristo e não em pessoas ou em coisas passageiras.

                Cristo está vivo! Ele habita em quem crê nele! Ele preparou um lugar para você, que crê nele, lá no céu! Sua alegria deve ser Jesus. Única e exclusivamente Jesus.

                Ele é a única razão e motivação válida para nossa vida! Vamos viver Jesus? Então lembrem-se: Mesmo sofrendo lutas e dor, servindo a Cristo vivemos em louvor.           Mas Paulo ainda apresenta mais um motivo para sua alegria:   

  1. 3.POSSO INFLUENCIAR A VIDA DE OUTROS PARA O BEM – ISTO ME ALEGRA.

22 Mas, se o viver na carne resultar para mim em fruto do meu trabalho, não sei então o que hei de escolher.

23 Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor;

24 todavia, por causa de vós, julgo mais necessário permanecer na carne.

25 E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para vosso progresso e gozo na fé;

26 para que o motivo de vos gloriardes cresça por mim em Cristo Jesus, pela minha presença de novo convosco.

                Adoniram Judson foi o primeiro missionário no exterior enviado pelo Estados Unidos. No início do século XIX, ele e sua primeira esposa foi para a Índia e, um pouco mais tarde, para a Birmânia, onde trabalhou por quase quatro décadas. Depois de quatorze anos, ele tinha um punhado de convertidos e conseguiu escrever uma gramática da Birmânia. Durante esse tempo, ele sofreu uma prisão horrível de um ano e meio e perdeu sua esposa e filhos para a doença. Como Paulo, ele ansiava por estar com o Senhor, mas, também como o apóstolo, ele considerava seu trabalho para Cristo é infinitamente mais importante do que seus anseios pessoais. Assim, ele orou para que Deus lhe permitisse viver tempo suficiente para traduzir toda a Bíblia para o birmanês e estabelecer uma igreja lá de pelo menos uma centena de crentes. O Senhor concedeu esse pedido e também lhe permitiu compilar dois dicionários: birmanês-Inglês e Inglês-birmanesas. Seu trabalho se tornou inestimável para os trabalhadores cristãos, tanto estrangeiros como Birmaneses que o seguiram. Ele escreveu: “Se eu não tivesse tinha certeza de que cada provação foi ordenada pelo infinito amor e misericórdia de Deus, eu não poderia ter sobrevivido meus sofrimentos acumulados.”

                Paulo está certo de que morrer é estar para sempre com Cristo. Ele não tem dúvidas disso e considera isso uma situação maravilhosa. No entanto, se ficar vivo resultaria em glorificar a Deus, edificar a igreja e salvar um perdido, então valia a pena também ficar e ajudar na salvação de vidas. Assim, como ele afirmou no verso 26, as pessoas glorificariam a Cristo por causa dele.

Essa é uma boa razão para viver: influenciar a vida de outros para o bem, o bem de serem parecidas com Jesus.

CONCLUSÃO:

                Mesmo sofrendo lutas e dor, servindo a Cristo vivemos em louvor! O texto de hoje convida você a viver em louvor a Cristo. Amando a Jesus e vivendo para sua glória, você ajudará no avanço do evangelho.

                Quando Cristo for a razão da sua existência neste mundo você influenciará positivamente outras pessoas para o bem de estarem com Cristo e de viver para ele. Deus nos abençoe.

                Mesmo sofrendo lutas e dor, servindo a Cristo vivemos em louvor.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *