Jonas 2.3,4 – Pecado – Amor – Disciplina

Jonas 2.3,4

3 Jogaste-me nas profundezas, no coração dos mares; correntezas formavam turbilhão ao meu redor; todas as tuas ondas e vagas passaram sobre mim.

4 Eu disse: Fui expulso da tua presença; contudo, olharei de novo para o teu santo templo.

                Qual foi o momento mais desesperador que você já viveu em sua vida? Talvez você se lembre de algum episódio terrível pelo qual você passou e hoje possa agradecer a Deus pelo livramento e oportunidades de mudança que ele lhe concedeu após tal momento.

                A história de Jonas nos mostra que há situações difíceis que passamos que foram causadas por Deus em sua soberania para nos corrigir, nos disciplinar em função do nosso pecado.

                Jonas fugiu da presença de Deus, como vemos no capítulo 1 de seu livro, porque não quis obedecer à ordem de pregar noutro país. Missões Mundiais não era do seu interesse, embora fosse do interesse de Deus. Naquele navio onde se dava a fuga, Deus perseguiu Jonas com uma forte tempestade. Jonas foi exposto diante dos marinheiros. Confessou seu pecado e instruiu aqueles homens a que o lançasse ao mar revolto, pois esta seria a única maneira deles serem salvos e da tempestade cessar. Ele sabia que a tempestade era uma ação de Deus.

                Uma vez no mar, sua disciplina começa. Mas Jonas está consciente. Ele conseguiu discernir que a tempestade não era natural. Deus a havia mandado. Jonas está lutando por sua vida no mar. Ele afirma, no verso 2, que Deus o jogou nas profundezas, no coração dos mares; correntezas formavam turbilhão ao meu redor; todas as tuas ondas e vagas passaram sobre mim. Sabemos que a instrução de ser jogado no mar partiu de Jonas. Mas o que aconteceu com ele no mar, depois que foi jogado, ele tem consciência clara: é Deus quem está agindo. Sua disciplina começou. Mas na sua oração, Jonas não vê o castigo de Deus como uma tentativa de destruí-lo, mas uma ação de Deus visando sua restauração.

                Não é diferente conosco. Parte dos problemas que nos acometem são resultantes de nossa própria desobediência. Vou dar alguns exemplos: A Bíblia fala para não nos metermos em jugo desigual com os incrédulos, mas o crente insiste em se casar com um incrédulo, ou seja, desobedece voluntariamente à ordem de Deus. Nesta hora, esse crente age como Jonas. Ele não fala, mas sua ação diz: “Deus, eu sei o que o senhor pensa sobre casamento entre crente e incrédulo, mas eu não concordo com o que o Senhor disse, e vou me casar assim mesmo”. Vai ter problemas, e não poderá reclamar depois, muitos menos achar que Deus é obrigado a resolver a questão, pois parte dos problemas serão a disciplina de Deus.

Olhando para o verso 3, log percebemos que Jonas sabe que sua condição no mar e no peixe não foi um acidente de percurso. Ele não podia culpar os marinheiros, nem o mar, nem mesmo ao diabo. Jonas tem consciência de que é Deus que está cuidando dele, e que, por amá-lo muito, o está disciplinando para que ele se arrependa e venha a ser restaurado.

Hebreus 12.8 afirma que o pai disciplina seus filhos a quem ama. O texto diz assim: “Mas, se estais sem correção, de que todos se têm tornado partici­pantes, logo, sois bastardos e não filhos”. O que Deus está fazendo com Jonas é amá-lo como filho e discipliná-lo, para tratar o seu coração. Deus vai nos jogar em situações difíceis, para que entendamos a gravidade de nosso pecado e voltemos ao caminho da obediência. Mas apenas os filhos de Deus compreenderão sua correção. Você pode reagir como quiser, desanimar, reclamar, continuar pecando e gerar disciplinas maiores, como a morte, ou pode se arrepender, voltando à obediência e amadurecer na fé e no amor a Deus e seu reino.

No verso 4, Jonas faz uma confissão. “4 Eu disse: Fui expulso da tua presença; contudo, olharei de novo para o teu santo templo. Há versões que fazem desta frase uma pergunta. Jonas fugiu da presença de Deus, mas agora lamenta que esta não foi uma boa escolha. Um pouquinho de tempo longe de Deus já foi uma experiência desesperadora. O pecado mata, ele é extremamente maligno. É pior que pobreza, doença, do que a solidão, pior até mesmo que a morte. Estas coisas não horríveis mas não afastam o homem de Deus. Mas o pecado te afasta de Deus, e se você não for um salvo, esse afastamento será agora e por toda eternidade.

É impossível ao homem viver no pecado e ainda manter comunhão com Deus. Você tem que fazer uma escolha. Jonas tinha esperança de ver o templo novamente. O templo era o lugar onde se podia ter a comunhão com Deus. Era no templo que pecadores pediam perdão pelos seus pecados fazendo sacrifícios. Era ali que ouviam o perdão de Deus.

Deus está sempre pronto a perdoá-lo, desde que haja arrependimento. Não seja desobediente. Se você é um salvo por Jesus, lembre-se, Deus é seu pai, ele te ama, e vai disciplinar você se necessário, porque ele deseja filhos aperfeiçoados em amor e obediência à sua palavra.

DESAFIO DE HOJE: Ore a Deus e agradeça a Ele por te amar tanto em Cristo Jesus, dando-lhe a oportunidade da salvação. Em Cristo, se você já creu nele, você se torna um filho de Deus. Se tem algum pecado em sua vida, confesse-o e arrependa-se. Se Deus o está disciplinando e você reconhece a mão de Deus por traz de problemas que estejam vindo, aceite a disciplina. Deus está aperfeiçoando você. Seja submisso ao seu pai celestial. Um pouquinho longe da presença de Deus é desesperador. Mas estar na presença de Deus é abençoador. Um dia feliz e abençoado para todos. Amém.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *