Perder para Ganhar

Filipenses 3.7

7 Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo.

                Neste domingo, enquanto pregava sobre Filipenses 3.1-11. Fui despertado para o quanto Paulo decidiu perder para viver com Jesus. Outros personagens das narrativas bíblicas também fizeram o mesmo, e alguns se destacaram. A Bíblia registra que Mateus, um cobrador de impostos, que tinha altos rendimentos nesta função, deixou seu trabalho para seguir a Jesus, talvez, dos doze escolhidos por Jesus, Mateus tenha sido o que mais perdeu em termos de dinheiro e bens humanos. Em Atos, lemos que Barnabé, um homem muito rico, vendeu suas terras para distribuir seu lucro com os irmãos necessitados da igreja.

                Quando me lembro, por exemplo, do pastor Fernando Brandão, nosso diretor da Junta de Missões Nacionais, que deixou sua função de alto escalão na Caixa Econômica Federal, em que era concursado, tinha estabilidade e com salário altíssimo para ser diretor da Junta, reduzindo seu salário e correndo os riscos da falta de estabilidade de um emprego comum, posso perceber o quanto este nosso irmão ama o Senhor Jesus e a obra missionária.

                Assim como os apóstolos, a história tem registrado outros homens que abandonam tudo para servir a Cristo, servindo sua igreja, servindo pessoas, ainda que com salários baixos e alguns até sem qualquer pagamento, vivendo apenas das doações de igrejas. Outros abrindo mão de um dia de trabalho e de lucro, para dedicar-se a Cristo. Aqui bem pertinho de nós, me chama a atenção o irmão Edilson Bragança que, pelo que me consta, abriu mão de fazer sua colheita aos domingos, abriu mão de ganhar dinheiro trabalhando no domingo, para ter tempo de servir ao Senhor nos cultos e atividades dominicais da igreja, sustentando assim a obra do Senhor.

                O que isto nos fala? Perder tudo para ganhar a Cristo é uma prática possível e necessária a mim e a você. No texto de Filipenses, Paulo abriu afirma que abriu mão de sua nacionalidade, de seus privilégios, de seus ganhos, para viver Cristo. Para ele, qualquer coisa valiosa quando comparada a Cristo e seu reino, nas suas palavras, ele considerou esterco. É isto mesmo que você ouviu! Esterco. Ou seja, é nada perto de Jesus. Mas daí me vem a pergunta? Será que o Cristo que você um dia disse ter crido e aceito como Senhor e Salvador é o mesmo a quem Paulo abandonou tudo para seguir?

                Queridos, o Evangelho é uma pessoa, o Evangelho é Jesus. O Evangelho não é apenas decorar doutrinas e participar de cultos, é um relacionamento pessoal com Jesus. Quem de fato o conhece, vive para ele. Neste capítulo 3 de Filipenses, Paulo chega a afirmar que por Jesus vale qualquer sofrimento. Ele preferiu perder tudo, para ganhar o relacionamento com Jesus e vive-lo no dia-a-dia, na esperança viva que se estende para a eternidade, de que um dia será ressuscitado e estará para sempre com Jesus.

                O que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. Filipenses 3.7

                Será que Cristo tem esta mesmo importância para você que tinha para Paulo? Será que, para você, vale a pena perder para ganhar o conhecimento, o relacionamento com Jesus?

                Eis um bom hino para cantar: “Morri na cruz por ti, que fazes tu, por mim?”

DESAFIO DE HOJE: ore a Deus neste dia, e se ele fala ao seu coração, tome a decisão de dar sua vida a ele hoje. Não apenas da boca para fora. Mas de coração, entregue-se. E, se o Senhor te fala, abandone o que te atrapalha a servi-lo com dedicação. Deixe de lado o que você julga importante, tudo o que o mundo pode dar. Ore para Deus lhe ajudar a confiar que é Ele quem o sustenta. Olhe para que ele te ajude a confiar no poder dele. Faça o teste hoje. Deus nos abençoe neste dia. Amém.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *