Colossenses 2.16-23 Preparando para se livrar dos Falsos Ensinos

Texto: Colossenses 2.16-23

16 Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem ou bebem, ou com relação a alguma festividade religiosa ou à celebração das luas novas ou dos dias de sábado.

17 Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo.

18 Não permitam que ninguém que tenha prazer numa falsa humildade e na adoração de anjos os impeça de alcançar o prêmio. Tal pessoa conta detalhadamente suas visões, e sua mente carnal a torna orgulhosa.

19 Trata-se de alguém que não está unido à Cabeça, a partir da qual todo o corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento dado por Deus.

20 Já que vocês morreram com Cristo para os princípios elementares deste mundo, por que é que vocês, então, como se ainda pertencessem a ele, se submetem a regras:

21 “Não manuseie! ” “Não prove! ” “Não toque! “?

22 Todas essas coisas estão destinadas a perecer pelo uso, pois se baseiam em mandamentos e ensinos humanos.

23 Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não têm valor algum para refrear os impulsos da carne.

 

GRANDE IDEIA – Somente Cristo nos conduz à maturidade e nos livra do que é falso.

 

INTRODUÇÃO:

                Maturidade espiritual é o alvo que todo crente deve perseguir. Ser maduro espiritualmente é, de certo modo, ter um caráter como o de Cristo, que é o nosso supremo modelo para a vida. Paulo falou de maturidade em 1 Coríntios 3 e 13. No 3 ele afirmou que aqueles irmãos eram carnais ainda e como recém nascidos ainda bebiam leite. E no 13 ele mostra que a maturidade (o estado de homem maduro) é visível na capacidade amar como Cristo amou.

                Mas na nossa caminhada ao estado de pessoa madura espiritualmente existem obstáculos. Sempre aparecem heresias, falsas doutrinas e falsos mestres que ensinam distorções das Escrituras. Assim, quando abandonamos o estudo sério das Escrituras e da prática da oração e começamos a ouvir tais homens, pensamos que estamos maduros, mas na verdade estamos longe da vontade de Deus.

                Esse perigo acontecia na igreja em Colossos. Haviam ali alguns falsos irmãos ensinando doutrinas heréticas. Eles tinham suas bases no judaísmo do Velho Testamento e no gnosticismo. E começaram a difundir a ideia de que o cristão só está obediente a Deus quando cumpre as regras da religião. Esta porção do capítulo 2 é para enfatizar que Cristo é superior às práticas religiosas criadas por homens, e que uma vez firmados e unidos com Jesus temos condições de lutar contra ensinos enganosos.

                Há pelo menos 3 ensinos enganosos que Paulo está combatendo neste capítulo 2 e ele nos dá 3 advertências para que consigamos vencê-los.

 

1.       CUIDADO COM O LEGALISMO!

16 Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem ou bebem, ou com relação a alguma festividade religiosa ou à celebração das luas novas ou dos dias de sábado.

17 Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo.

                O verso 16 se inicia com a palavra, “portanto”. Isto indica nossa necessidade de considerar que as decisões a serem tomadas pela frente tem como base tudo o que foi ensinado até agora, desde o início do capítulo.

                Na semana passada vimos que é preciso considerar Cristo como tudo ao ponto de estarmos satisfeitos com ele, para que não sejamos levados por ensinos falsos. Cristo é, portanto, nossa base, nossa força. Ele é a verdade que precisamos conhecer a fim de destruir o que é falso e que tenta nos enganar.

                Agora, depois de mostrar Cristo como ponto de partida, Paulo alerta os irmãos colossenses sobre o teor das heresias que estavam circulando entre eles. A primeira delas e que eles deviam tomar muito cuidado era o legalismo. Embora o legalismo tenha ameaçado a igreja do passado ele ainda é muito presente em nossos dias. Warren Wiersbe que diz que suas doutrinas consistiam em uma estranha mistura de misticismo oriental com legalismo judeu e uma pitada de filosofia e preceitos cristãos. Embora a carta seja para uma igreja de gentios, tudo indica que ali existiam judeus que queriam forçar a barra para que eles cressem que sem o cumprimento da lei judaica seria impossível adorar e servir a Deus. Em Atos 15.10, lemos “Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais puderam suportar nem nós?”. Neste texto, Pedro comparou o legalismo como um jugo ou uma canga no pescoço das pessoas.

                O problema do legalismo na igreja de Colossos é que esta heresia atacava a doutrina da suficiência de Cristo. Pois para os legalistas ninguém pode ser salvo ou chegar a ser um cristão perfeito a não ser que cumpra os regulamentos. Ele achavam que prescrever regras sobre o que comer e o que beber é que levaria alguém à Cristo. Mas ao lermos Mateus 15.11-20, vemos que não é o que entra (comida) pela boca do homem que o contamina, mas o que sai. Em 1 Tm 4.3 Paulo afirma que são os falsos mestres que exigem abstinência de alimentos. Foi Paulo quem ensinou na carta aos coríntios: “Não é a comida que nos recomendará a Deus, pois nada perderemos, se não comermos, e nada ganharemos, se comermos” (ICo 8.8).

                Parece que esses homens se achavam melhores crentes que os demais por cumprirem certos rituais religiosos e, assim, julgavam os que não cumpriam tais rituais. Eles guardavam dias religiosos e festas do calendário e achavam que não fizesse tais coisas jamais seriam salvos, invalidando assim a salvação pela graça de Jesus Cristo. Em que somos salvos pelo que Cristo fez e não pelo que nós fizemos.

                Paulo diz que os rituais judaicos são sombra do que haveria de vir. Pastor Hernandes Dias Lopes diz, baseando em Gl 3.23-25 que a lei serviu de pedagogo que nos tomou pela mão e nos conduziu a Cristo.

                Paulo continuou alertando-nos de outros perigos:

 

2.       CUIDADO COM O SINCRETISMO

18 Não permitam que ninguém que tenha prazer numa falsa humildade e na adoração de anjos os impeça de alcançar o prêmio. Tal pessoa conta detalhadamente suas visões, e sua mente carnal a torna orgulhosa.

19 Trata-se de alguém que não está unido à Cabeça, a partir da qual todo o corpo, sustentado e unido por seus ligamentos e juntas, efetua o crescimento dado por Deus.

                O sincretismo é uma mistura de conceitos e ideias religiosas. No caso dos falsos mestres que estavam agindo na igreja em Colossos, eles misturavam cristianismo, filosofia grega e judaísmo legalista. Essa mistura era tão terrível que fazia forte oposição ao ensino puro das Escrituras. Eles se achavam melhores cristãos, porque tinham experiências sobrenaturais, místicas. Assim se julgavam mais espirituais. E o pior de tudo era que sua teologia era baseada em visões e não nas Escrituras. Diziam que ninguém pode chegar a presença de Deus diretamente, isto seria falta de humildade. Então eles adoravam os anjos. Acontece que fazendo isso, eles adoravam a criatura ao invés do criador. Este grupo era marcado por valorizar mais as experiências místicas do que a verdade da Bíblia.

                Além disso, eles tentavam desqualificar os irmãos colossenses dizendo que eles eram inferiores porque não tinham tais experiências espirituais. Se colocavam na condição de juízes desqualificando um atleta a receber o seu prêmio. Estes homens enganavam e eram enganados por seus próprios erros, colocando Cristo em segundo lugar nas vidas e nas suas pregações. Transcrevo aqui as palavras do Pastor Hernandes Lopes quando apresenta de forma clara que: Paulo já havia ensinado a preeminência de Cristo sobre os anjos (1.16,17,20; 2.9,15). Os anjos são criaturas de Deus e ministros a serviço de Deus (Sl 103.20; Hb 1.14) e não podem ser adorados como Deus, ou no lugar de Deus, ou como intermediários para nos levar a Deus. Os anjos não aceitam adoração humana (Ap 19.10; 22.8,9). Adorar a criatura em lugar do criador provoca a ira a Deus em vez de representar a Ele qualquer agrado (Rm 1.24,25). Ao desobedecer a Deus adorando suas criaturas eles se mostravam arrogantes e não humildes.

                Paulo de forma dura diz que tais pessoas não estavam ligadas com Cristo. (v.19). Assim, misturar conceitos e ideias religiosas não embasadas pela Bíblia e por Cristo é uma heresia.

                Nossa fé é baseada nas Escrituras e não em visões. Não se pode colocar sua experiência por mais espetacular que tenha sido acima das Escrituras. De certa forma temos um sincretismo evangélico nos dias de hoje, quando as pessoas abandonam o ensino puro da Bíblia para basear sua fé em visões e outras experiências estranhas ao que a palavra de Deus nos apresenta.

                Ainda no verso 18, Paulo deixou claro que quem baseia sua fé em visões e experiências místicas e não nas Escrituras é orgulho e tem uma mente carnal, não estando ligado com Cristo.

                Em nossos dias, nosso povo está buscando o que dá certo, muito mais do que o que é certo. E nisto, há uma grande diferença. A igreja não precisa de outra fonte de poder nem de conhecimento para crescer a não ser Jesus. Cristo é tudo.

               

3.       CUIDADO COM O SINCRETISMO.

20 Já que vocês morreram com Cristo para os princípios elementares deste mundo, por que é que vocês, então, como se ainda pertencessem a ele, se submetem a regras:

21 “Não manuseie! ” “Não prove! ” “Não toque! “?

22 Todas essas coisas estão destinadas a perecer pelo uso, pois se baseiam em mandamentos e ensinos humanos.

23 Essas regras têm, de fato, aparência de sabedoria, com sua pretensa religiosidade, falsa humildade e severidade com o corpo, mas não têm valor algum para refrear os impulsos da carne.

                Nos versos finais, Paulo chama a atenção dos colossenses para práticas que lembram o denominado ascetismo, que por um entendimento errado da filosofia grega, entendeu que toda a matéria é má, o corpo é matéria então é mau e para ser santificado deve sofrer, ser punido e maltratado, flagelado para que alcance santidade. Acontece que a Bíblia não diz isso. Nosso corpo não é pecaminoso. Deus ama o nosso corpo ao ponto de Paulo afirmar que nosso corpo é o templo do Espírito Santo. E a nossa crença de que o corpo ressuscitará e habitará o céu é uma prova do quanto Deus quer salvar também o nosso corpo.

                Esse tipo de atitude que sempre evidencia o “não” é contra o ensino do Novo Testamento. Paulo chamou isso de princípios elementares deste mundo, para os quais nós morremos em Cristo e ressuscitamos para uma nova vida, livre destas coisas. Quem vive das proibições puras e simples, vive como escravo, e não livre em Cristo. Quando ele morreu, cravou na cruz nossos pecados e a lei. Na sua ressurreição, Cristo nos livrou dos pecados e do jugo da lei.

                Paulo está nos advertindo de uma religião de aparências, que se preocupa com o exterior e se esquece do interior. William Hendriksen corretamente afirma que qualquer sistema religioso que não deseja aceitar a Jesus Cristo como o único e todo suficiente Salvador é uma gratificação da carne e uma entrega ao capricho pecaminoso do homem, como se ele pudesse, mediante seus próprios inventos, aperfeiçoar a já completa e cabal obra de Cristo.

 

CONCLUSÃO:

                Encerro aqui, com as palavras do Comentário da Bíblia del Diário Vivir. Podemos nos proteger de qualquer grupo religioso criado pelo homem, nos expondo as seguintes pergunta:

(1) Destaca normas humanas e proibições antes que a graça de Deus?

(2) Respira um espírito crítico a respeito de outros ou exercitam disciplina com discrição e amabilidade?

(3) Enfatiza fórmulas, conhecimento secreto ou visões especiais mais que a Palavra de Deus?

(4) Exalta a justiça própria, dando honra aos que guardam as regras, antes que a Cristo?

(5) Menospreza a Igreja ao declarar que é um grupo especial?

(6) Valoriza a humilhação da carne ou do corpo como um meio para obter um crescimento espiritual antes que enfocar o desenvolvimento total da pessoa?

(7) Menospreza a família em lugar de tê-la em alta estima, como o faz a Bíblia?

 

                Que Deus nos ajude a vencer os falsos ensinos com sua palavra e com a proteção de seu Espírito Santo que em nós habita. Amém.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *