Colossenses 2.6-15 – Como nos livramos dos Falsos Ensinos?

SERMAO EM COLOSSENSES

TEMA GERAL: CRISTO É TUDO

TEMA ESPECÍFICO: COMO NOS LIVRAMOS DOS FALSOS ENSINOS?

Colossenses 2.6-15

6 Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nele,

7 enraizados e edificados nele, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão.

8 Tenham cuidado para que ninguém os escravize a filosofias vãs e enganosas, que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo.

9 Pois em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade,

10 e, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês receberam a plenitude.

11 Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne.

12 Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.

13 Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões,

14 e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz,

15 e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz.

 

Grande Ideia: Cristo em nós satisfaz todas as nossas necessidades.

 

INTRODUÇÃO:

 

                O método mais certeiro para se identificar algo que é falso é conhecer nos mínimos detalhes aquilo que é verdadeiro. Tempos atrás recebemos uma nota falsa de 100 reais na igreja como oferta. A nota era muito parecida com a verdadeira. Mas como definimos que era falsa? Nós a comparamos com as notas verdadeiras. A falsa era maior, mais estreita e ainda tinha uns furinhos.

                Na vida cristã não é diferente. Enquanto não conhecemos Cristo profundamente não temos condições de nos livrarmos de pessoas e ensinos falsos.

                Paulo nos ensinou que Cristo está em nós. Ele habita em nós. Ele chamou disso de o grande mistério de Deus que fora revelado. Acontece que se Cristo está em nós, nós somos satisfeitos em todas as nossas necessidades, porque Cristo é tudo. Ele nos preenche, nos completa. Ele é tudo que precisamos na vida em qualquer instância. Apenas precisamos aprender seus ensinos e imitá-lo em tudo. Aliás, o alvo de todo crente é ser parecido com Jesus. Ele é o nosso modelo.

                Nesta porção da Carta aos Colossenses, Paulo nos ensina que para nos livrarmos dos falsos ensinos, precisamos preencher 3 requisitos.

 

1.       ESTAR PLANTADOS E EDIFICADOS EM CRISTO CONHECENDO O EVANGELHO.

6 Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nele,

7 enraizados e edificados nele, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão.

                No verso 6, Paulo inicia uma questão muito necessária para os nossos dias. Vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor, portanto, continuem a viver nele. Me chama a atenção que, para o apóstolo, é preciso continuar em Cristo, depois que nós o recebemos como salvador. Há um texto atribuído ao Pastor Paul Washer, em que ele afirma: “Temos de advertir que a evidência de uma conversão passada está na continuidade da obra de conversão no presente: o Deus que salva é também o Deus que santifica. Se a sua decisão passada não continua a impactar a vida presente, é provável que essa sua esperança seja vã!”.

                Este ensino de Paulo está mais atual e necessário que nunca! O conselho é viver em Cristo! É dar continuidade ao que foi iniciado com sua conversão ao Evangelho. Mas o que significa viver em Cristo? Paulo usa 4 ideias para explicar esta situação, são eles: enraizado (arraigados/radicados), edificados, firmados/ensinados; cheios de gratidão. Estas ideias mostram uma sequência de atitudes que o crente precisa tomar.

1.       Enraizados/arraigados/radicados – a ideia é que o salvo por Jesus deve se fundamentar em Cristo. Cristo é a base sólida onde somos plantados. A vida cristã começa com a submissão a pessoa de Jesus. A conversão se evidencia pela submissão, pela obediência a Cristo, de modo que ninguém está salvo por Jesus até que seja submisso à ele com Senhor. Hernandes Dias Lopes, afirma que Jesus é apresentado 22 vezes no Novo Testamento como Salvador, e 650 vezes como Senhor, assim a ênfase do Novo Testamento é o senhorio de Cristo. Assim, esta palavra (arraigados/enraizados) nos lembra uma árvore frondosa com raízes profundas. A palavra traz a ideia de que quem plantou a igreja foi Deus e que isto não é uma decisão meramente humana. Fomos plantados em Cristo no passado e agora temos de crescer e frutificar.

2.       Edificados – construir sobre Cristo.                Jesus havia orientado que o homem prudente é aquele que ouve suas palavras e as pratica, e que, portanto, construiu sua casa na rocha. As mais duras tempestades não derrubam aquela casa porque foi construída na base certa, Jesus, a nossa rocha, e também foi construída com materiais de primeira linha. Ou seja, uma vida vivida com Jesus.

3.       Firmados como foram ensinados. A vida cristã é uma escola. Temos a nossa base em Cristo, mas a continuidade da vida cristã dependerá do ensino da Palavra de Deus, da Bíblia. É com ela que fortalecemos as paredes e o telhado do nosso edifício espiritual.

4.       Transbordando de gratidão. Cito as palavras de HDL quando afirma: “Paulo não ora para que os colossenses comecem a dar graças, mas pede que o oceano de sua gratidão possa constantemente alargar suas fronteiras”. “O cristão é alguém que se enche não de murmuração, queixumes e lamentos, mas cresce a cada dia em ações de graças. Ele sempre se volta para Deus, a fonte de todo o bem, com a alma em festa de alegria e com o coração embandeirado de gratidão”.

 

2.       ALCANÇAR MATURIDADE ESPIRITUAL COM CRISTO. (8,9)

8 Tenham cuidado para que ninguém os escravize a filosofias vãs e enganosas, que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo.

9 Pois em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade,

10 e, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês receberam a plenitude.

           Os falsos ensinos que circulavam eram muito perigosos e são considerados a origem do gnosticismo, por causa das semelhantes com esta seita religiosa.

           Russell Shedd diz que os colossenses estavam sendo atraídos por uma “salvação” mística, intelectual e especulativa e pela busca de contato benéfico com poderes espirituais. Procuravam uma “perfeição” que não era moral ou espiritual, mas teosófica (uma mistura de misticismo com filosofia). Paulo combateu toda essa palha, reconfirmando as principais verdades históricas e teológicas do evangelho.

           O verso 8, volta ao tema do verso 4. Gente que chegou à igreja, trazendo ideias não bíblicas com palavras tão persuasivas que estava enganando muitos irmãos. Embora tudo o que ensinavam tivesse cunho religioso, o que ensinavam era palha se comparado com o Evangelho de Jesus Cristo. Paulo os aconselha a tomarem cuidado. O ensino falso desses homens tinha força para escravizar quem nele caísse, com suas filosofias vãs e enganosas.

           É interessante as palavras do apóstolo, pois na minha experiência como pastor, tenho percebido como é difícil convencer as pessoas do ensino bíblico consistente e ajuda-los a saírem das mentiras que ouviram com aparência de coisa bíblica. As pessoas dão mais valor aos ensinamentos errados, ainda que a Bíblia seja clara em contradizer tais ensinos. No verso 8, Paulo fala de tradições e rudimentos (coisas elementares). Como é mais fácil a gente se perder em discussões por coisas pequenas e não nos aprofundarmos no que realmente importa. Como evitaremos isso? O que é que realmente importa? Cristo é a resposta. Cristo é tudo. Cristo está em todo aquele que nele crê, este é o grande mistério revelado por Deus.

           Nos versos 9 e 10, Paulo explica que Deus em toda sua plenitude habita em Cristo, e que Cristo que está cheio de Deus está em nós, e nós também estamos cheios. Olhe para essas palavras no v.9: “Cristo nos encheu”. Tudo de Deus habita em Cristo e Cristo nos encheu. Por isso afirmamos que quando Cristo está em você todas as nossas necessidades estão satisfeitas em Cristo. Não precisamos de mais nada. Nenhuma outra revelação, nenhum outro ensino que não seja o de Cristo servirá para nós. Estamos satisfeitos com Jesus. Ele é o autor (nele começa) e o consumador (nele termina) a nossa fé.

           Conhecer a Cristo é estar satisfeito. Não seremos enganados com doutrinas falsas quando Jesus estiver de fato em nosso coração. Porque em Cristo conhecemos a verdade, e somos libertos do que é falso.

 

3.       ESTAR CIENTE DO QUE CRISTO FEZ PELA IGREJA. (11-15)

11 Nele também vocês foram circuncidados, não com uma circuncisão feita por mãos humanas, mas com a circuncisão feita por Cristo, que é o despojar do corpo da carne.

12 Isso aconteceu quando vocês foram sepultados com ele no batismo, e com ele foram ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que o ressuscitou dentre os mortos.

13 Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou juntamente com Cristo. Ele nos perdoou todas as transgressões,

14 e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças, e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz,

15 e, tendo despojado os poderes e as autoridades, fez deles um espetáculo público, triunfando sobre eles na cruz.

           Nos versos 11 a 13, Paula fala de circuncisão e do batismo. A circuncisão era para demonstrar a aliança de Deus com seu povo de Israel. Um relacionamento, uma demonstração física deste relacionamento com Deus. A ideia de não ser circuncidado quer dizer que a pessoa não era separada para Deus. Mas Paulo não está falando de circuncisão física. Paulo escreve para gentios. Em Cristo também os gentios foram circuncidados, ou seja, isso significa que esta circuncisão a que ele se refere é despojar a carne pecaminosa. Quando nos unimos com Cristo, nossa velha vida morreu. Isto já aconteceu. Assim, Paulo fala de uma prática ativa de despojar o velho homem. De abandonar diariamente o pecado. Quando Cristo morreu na cruz, nossa velha natureza morreu com ele.

           Paulo também fala de batismo que é uma ilustração da realidade. A religião é um esforço do homem para ganhar o favor de Deus. No evangelho, o homem não faz nada. Cristo já fez. E o que foi que Cristo fez? Paulo nos fala de cinco grandes obras feitas por Cristo:

1.       Transformação interior em lugar de incisão exterior (2.11). Mas os homens só podem fazer uma incisão na carne (circuncisão), algo externo, mas Cristo, e só Ele, pode fazer uma transformação interna. A circuncisão judia era uma cirurgia externa; a de Cristo é no coração;

2.       Uma vida radicalmente nova (2.12,13a). Paulo usa aqui a figura do batismo como nossa identificação com Cristo. Tudo o que aconteceu com Cristo, aconteceu conosco. Quando Cristo morreu, nós morremos com Ele. Quando Cristo foi sepultado, nós fomos sepultados com Ele. Quando Cristo ressuscitou, nós ressuscitamos com Ele e deixamos as roupas da velha vida na sepultura.

3.       O perdão definitivo dos pecados (2.13b). Paulo diz: “… perdoando todos os nossos delitos”. O perdão de Deus é gratuito, generoso, certo e fundamental. Em virtude do sangue derramado de Cristo na cruz, temos perdão completo. Deus mesmo é aquele que apaga as nossas transgressões e não mais se lembra delas (Is 43.43).

4.       O cancelamento total da dívida (2.14). Jesus não somente levou nossos pecados sobre a cruz, mas também levou a lei e a encravou na cruz. A lei que era contra nós, porque era impossível que nós a cumpríssemos, foi também crucificada. Agora, estamos debaixo da graça, e não da lei. No mundo antigo, quando se cancelava uma lei, decreto ou prescrição, eles eram fixados em uma tábua com um cravo. Na cruz de Cristo foi crucificada a nossa lista de dívidas. Todas as acusações contra nós foram executadas e eliminadas como se nunca tivessem existido.

5.       O triunfo final sobre os principados e potestades (2.15). Jesus não somente lidou com o pecado e com a lei na cruz, mas também com Satanás. Jesus despojou os principados e potestades e os fez cativos, triunfando sobre esses poderes satânicos.

 

APLICAÇÕES:

Grande Ideia: Cristo em nós satisfaz todas as nossas necessidades.

1.       Conhecer o Evangelho é estar plantados e edificados em Cristo.

2.       Precisamos trabalhar para alcançarmos maturidade espiritual e não mais sermos enganados por falsos ensinos e doutrinas.

3.       Conhecer o que Cristo fez por nós e quem nós somos nele. E ficando satisfeitos com Cristo, teremos condições de vencer todos os falsos ensinos.

4.       Deus nos abençoe.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *