Efésios 3.14-21 Fiquem Firmes

FIQUEM FIRMES!

EFÉSIOS 3.14-21

14 Por essa razão, ajoelho-me diante do Pai,

15 do qual recebe o nome toda a família nos céus e na terra.

16 Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito,

17 para que Cristo habite em seus corações mediante a fé; e oro para que vocês, arraigados e alicerçados em amor,

18 possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade,

19 e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus.

20 Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós,

21 a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!

Grande Ideia: A oração intercessória feita de acordo com a vontade de Deus é poderosa para motivar os irmãos.

INTRODUÇÃO:

John Stott afirmou que “Uma das melhores maneiras de descobrir as principais ansiedades e ambições do crente é analisar o conteúdo de suas orações e a intensidade com que as faz”. Ary Veloso, afirmou que “Paulo entendia claramente o valor da oração intercessória, pois estava presente em todas as suas cartas. Nesta oração ele deixa claro que os cristãos em Éfeso precisavam não só motivação, mas precisam de perseverança para manterem-se firmes, para continuar até ao fim”.

Perseverança é algo que você e eu precisamos. Somos tentados abandonar o que começamos logo nas primeiras dificuldades ou crises. Precisamos de perseverança para orar, para ser fiel no casamento, para disciplinar os filhos de modo bíblico, isso porque, nem sempre os resultados aparecem rápido, mostrar o amor de Cristo para aquelas pessoas que às vezes são difíceis de se relacionar, enfim, sempre precisamos de perseverança. Esta carta de Paulo serve para nos motivar a permanecer firmes, a fim de que no final de tudo, possamos louvar a Deus.

Paulo iniciou os versículos 14 e 15 afirmando que “por essa razão” ele se ajoelhava diante do Pai, em oração. A razão que ele está falando é a obra reconciliadora de Cristo e a compreensão que ele possuía desta obra (que afirmou ter-lhe sido revelada por Deus). Sim, diante do Pai, Paulo se ajoelhou. Afirmou ainda que Deus é pai de todos os salvos de todos os tempos (toda a família dos crentes no céu e na terra).

Mas sobre o que Paulo ora? Analisando a passagem encontramos 4 motivos para orar:

Paulo ora para que:

  1. SEJAM FORTALECIDOS EM CRISTO (v.16).

Nestas palavras Paulo revela sua consciência de que o Espírito Santo age poderosamente no íntimo de todo aquele que é salvo por Jesus. Aqui ele não somente está nos falando que o Espírito de Deus vive e age no interior do salvo, mas também que Deus pode colocar em nosso interior a sua força, através do Espírito Santo. Desse modo, sabemos que jamais estamos sozinhos, nem precisamos ficar desanimados.

Em 2 Coríntios 4.16, Paulo afirmou assim: “Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia”. Não precisamos nos desanimar diante das situações difíceis da vida, porque embora a gente envelheça, adoeça ou seja, por fora a gente vai entrando em decadência, em desgaste, por dentro, vamos sendo renovados, fortalecidos todos os dias. Em Cristo, por meio do Espírito Santo, o crente vai se tornando cada dia melhor e mais forte. E este é um bom motivo para não desanimarmos.

Paulo também ora para que:

  1. SEJAM HABITADOS POR CRISTO (v.17)

Outra motivação para a oração de Paulo é a habitação dos irmãos por Cristo. Ao contrário das nossas orações atualmente, muitas vezes egoístas e voltadas para nossos próprios interesses, o apóstolo Paulo nos ensina a orar pela salvação dos outros, pela confirmação desta salvação, que é a habitação de Cristo no crente. Isto se dá por meio do Espírito Santo. Mas há duas questões importantes aqui:

Em primeiro lugar, que Cristo por meio do seu Espírito Santo habita todo crente. Não existe um crente sequer que Cristo não habite nele. Em Romanos 8.9, Paulo afirmou que “quem não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo”. Em Efésios 1.13, ele também afirmou que todo crente recebe o Espírito Santo no momento da sua conversão, quando crê em Cristo como Senhor e Salvador.

Talvez você pergunte, mas se Cristo habita todo crente, por que Paulo orou para que Cristo habitasse nos irmãos Efésios? John Stott explica que a habitação de Cristo aqui é uma questão de intensidade, assim como o fortalecimento do Espírito.

O que Paulo está pedindo em favor de seus leitores é que “dentro destes corações uma influência controladora seja dinamizada de tal maneira que sejam fortalecidos mais e mais pelo poder do Espírito Santo que lhes foi outorgado [no momento da conversão]; que todos os resplendentes atributos de Deus sejam ricamente aplicados em seu progresso espiritual.” (W. Hendriksen).

Paulo, ainda ora para que:

  1. SEJAM CONHECEDORES DO AMOR DE CRISTO (v.17-19)

Que oração maravilhosa! Paulo afirma que só estamos firmes, quando nossas raízes, nossos alicerces, nossas bases estão no profundo amor de Cristo. Nossa firmeza depende de estarmos construindo nossas vidas no amor de Cristo, que é a nossa rocha.

Parece que aqui Paulo está nos lembrando do nosso compromisso e responsabilidade uns com os outros. A prova de que estamos nos afastando de Deus e do amor de Cristo é quando não mais nos sentimos responsáveis pelo nosso irmão. Em Gênesis 4, temos um registro histórico de um culto entre dois irmãos, Caim e Abel. Ambos cultuaram a Deus juntos, ambos ofereceram o seu melhor, mas, por causa de seu coração e de suas intenções fora da vontade de Deus, Caim e sua oferta foram rejeitados. Caim matou Abel. No verso 9, quando Deus vêm a Caim e pergunta sobre Abel, este diz: “Não sei, sou porventura o responsável pelo meu irmão?”.

Nesta oração, Paulo nos conclama a sermos responsáveis uns pelos outros! Assim como Cristo nos amou com um amor que não pode ser compreendido na totalidade, a nossa comunhão sempre será uma demonstração do poder e da força deste amor de Cristo. John Stott afirmou que “Precisa-se da totalidade do povo de Deus para entender a totalidade do amor de Deus, todos os santos juntos, judeus e gentios, homens e mulheres, jovens e velhos, pretos e brancos, com toda sua diversidade e experiências.” Precisamos ter um grupo de pessoas na igreja com quem tenhamos um relacionamento mais profundo, com quem possamos compartilhar nossas dores, nossos pecados, nossas falhas, para sermos amados e perdoados, e assim, curados.

Este é um texto difícil de ser explicado (altura, profundidade etc.), mas com certeza, Paulo está nos dizendo que, por mais que tenhamos obtido muito do amor de Cristo, ainda haverá muito mais para ser descoberto. O amor de Jesus é inesgotável, enorme.

Paulo também ora para que:

  1. SEJAM CHEIOS DA PLENITUDE DE DEUS (v.19)

John Stott nos explica que “a preposição grega usada aqui é eis, que indica que devemos ser cheios não com a plenitude de Deus, mas sim até ela. É então a plenitude ou perfeição de Deus o padrão ou nível até o qual oramos para sermos enchidos”. Em 1 Pedro 1.15-16 lemos assim: “Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, 16 pois está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo””.

Quando Paulo fala da plenitude de Cristo ou de Deus, eu fico imaginando uma cena muito comum entre nós. A medição que fazemos de nossos filhos regularmente para acompanhar o crescimento deles. Me lembro bem que quando meu filho era bem pequeno, tínhamos um lugar na parede da varanda onde o medíamos. Ele ficava em pé, encostado na parede. Nós colocávamos um lápis na cabeça dele e fazíamos um pequeno rabisco na parede onde pudéssemos depois, com a fita, fazer a medição. Houve uma vez que na medição deu um aumento muito grande na altura dele. A gente ficou feliz, mas assustado com a diferença que não parecia ser verdadeira. Então fomos fazer a medição novamente. Enquanto eu colocava o lápis na cabeça dele, minha esposa reparou que ele havia levantado o calcanhar para parecer mais alto. Tudo estava explicado.

Deus não é uma pessoa humana para que o possamos medir, mas as palavras de Paulo parecem dizer que quando o conhecemos, pela Bíblia, descobrimos o tamanho dele (sua plenitude) e precisamos medir igual a Ele. Ou seja, Deus é o alvo, a meta para o que devemos ser ou a quem devemos imitar. Mais na frente, ele fala disso novamente, como em Efésios 5.1,2 “1 Portanto, sejam imitadores de Deus, como filhos amados, 2 e vivam em amor, como também Cristo nos amou e se entregou por nós como oferta e sacrifício de aroma agradável a Deus.”

CONCLUSÃO:

Paulo encerra sua oração com os versos 20 e 21 dizendo (leiam comigo): “20 Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, 21 a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!”

Com estas palavras finais, há algumas aplicações que quero compartilhar com você, sobre ficar firmes em Cristo:

  1. Não somos capazes de promover transformação alguma em nossas vidas, mas Deus, vivendo em nós e enchendo-nos com Seu Espírito, é capaz de fazer muito mais do que nós podemos sequer pensar em lhe pedir em nossas orações! Sim! Devemos levar tudo à Deus em oração (Fl 4:6), antes porém devemos passá-las pela “peneira” de 1João 5:14 que diz: “14 Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve”!
  2. Quais são suas metas para hoje ou para a sua vida? Deus pode exceder os seus sonhos, se você entregá-los a Ele com o mais sincero, verdadeiro e profundo propósito em seu coração: que tudo o que venha a acontecer em sua vida, seja para promover o Reino de Deus e glorificar o nome Dele!
  3. “Não temos autoridade alguma para orar por qualquer coisa que Deus não revelou (na Bíblia) ser sua vontade. É por isto que a leitura da Bíblia e a oração devem caminhar sempre juntas. É nas escrituras que Deus revelou a sua vontade, e é na oração que pedimos que Ele a realize.” (J. Stott).
  4. Fique firme! Deus o salvou, habita em você pelo Espírito Santo que vai fortalecer sua vida e seu coração, vai lhe ajudar a conhecer o amor de Cristo para que você possa amar outros como ele amou. E vai, ainda, tornar você mais parecido com Jesus, na sua plenitude. Deus nos abençoe.

 

2 comentário em “Efésios 3.14-21 Fiquem Firmes

  • Esse texto falou profundamente comigo e me deu mais direcionamento ainda depois que terminei de ler a revista do Espírito Santo da minha igreja. Sou nova convertida e estou lutando por muitas coisas. Esse texto deu ainda mais embasamento para minhas orações e até mesmo para entender o que Paulo escreveu nas suas Cartas. Obrigada pelo texto, essa será uma oração diária para minha vida.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *