O DESAFIO DE CUIDARMOS UNS DOS OUTROS

Vivemos em um mundo onde as pessoas estão cada vez mais dispersas, interagindo com os aparelhos eletrônicos e mais egoístas. A lei de Murici: “cada um cuida de si” cresce exponencialmente. Aumenta a solidão e diminui a solidariedade. Cresce assustadoramente o apego às coisas materiais, diminuindo o relacionamento saudável e o companheirismo. Temos amado mais as coisas e gostado menos das pessoas. Sabemos que as pessoas são muito mais importantes do que as coisas.

Jesus nos ensina a amar o próximo como a nós mesmos. O Sermão do Monte (Mateus 5,6 e 7) é um manual de relacionamento marcado pelo amor, pela sinceridade e  solidariedade.O Senhor Jesus nos ensina a cuidar uns dos outros. Devemos seguir os Seus passos (1 Pe 2.21). Ele sempre olhou as pessoas com compaixão e ternura; graça e perdão; amor e encorajamento. O Reino de Deus é um reino do cuidado mútuo. A mutualidade cristã é o seu relacionamento. O amor é a sua linguagem corrente. O contentamento é a musica dos seus cidadãos. Na sua orientação aos irmãos em Filipos, Paulo diz: “Não façais nada por rivalidade nem por orgulho, mas com humildade, e assim cada um considere os outros superiores a si mesmo. Cada um não se preocupe somente com o que é seu, mas também com o que é dos outros” (2.3,4).

O grande desafio nestes tempos pós-modernos é nos importarmos mais com as pessoas, ouvi-las, orientá-las à luz das Escrituras, encorajá-las e monitorá-las com profundo amor. Cuidar uns dos outros era a máxima da Igreja nascente (At 2.42-47; 4.32-37). O povo de fora ficava impressionado ao observar que os membros da Igreja se amavam e cuidavam uns dos outros. Um belíssimo testemunho do Evangelho. Precisamos de um exército de cuidadores – homens e mulheres de Deus, cheios de amor, sabedoria e compaixão, comprometidos com a Sua Palavra e com a descrição. O Senhor nos ensina a pensar nos outros. Esta é a orientação de Paulo aos irmãos de Colossos: “A Palavra de Cristo habite ricamente em vós, em toda a sabedoria; ensinai e aconselhai uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais, louvando a Deus com gratidão no coração” (3.16). O amor é o vínculo da perfeição (Cl 3.14). É a atitude que nos une visceralmente, que marca a nossa comunhão em Cristo, no Seu corpo. Somos a comunidade terapêutica, comprometida com a saúde espiritual, física, emocional e ética dos seus membros.

Somos seres marcados pela vida em comunidade. O nosso canal de  comunicação é o amor que “tudo sofre; tudo crê; tudo espera e tudo suporta” (1 Co 13.4-8). Que oremos uns pelos outros. Cuidemos uns dos outros com alegria, com o amor de Cristo Jesus. Sejamos pessoas responsáveis pelo bem-estar do próximo. Que o caráter de Cristo seja o caráter dos nossos relacionamentos. Não nos cansemos de fazer o bem, de servir em amor, em nome de Cristo, nosso Senhor. Como obediência a Cristo e para a Glória de Deus Pai, cuidemos uns dos outros.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *