Efésios 1.15-23 Fé em Cristo e amor ao próximo – portas abertas para bênçãos espirituais

FÉ EM CRISTO E AMOR AO PRÓXIMO

PORTAS ABERTAS PARA BÊNÇÃOS ESPIRITUAIS

 

EFÉSIOS 1.15-23

15 Por essa razão, desde que ouvi falar da fé que vocês têm no Senhor Jesus e do amor que demonstram para com todos os santos,

16 não deixo de dar graças por vocês, mencionando-os em minhas orações.

17 Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê espírito de sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento dele.

18 Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos

19 e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, conforme a atuação da sua poderosa força.

20 Esse poder ele exerceu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e fazendo-o assentar-se à sua direita, nas regiões celestiais,

21 muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas nesta era, mas também na que há de vir.

22 Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou como cabeça de todas as coisas para a igreja,

23 que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância.

GRANDE IDEIA: Fé em Cristo e amor ao próximo me ajuda a conhecer mais de Deus e de seu poder que age em meu favor.

 

INTRODUÇÃO:

                Hoje estamos dando início à nossa Campanha de Missões Nacionais com o tema: Multiplique igrejas e discípulos. Mas porque devemos multiplicar igrejas e discípulos? A resposta está no entendimento correto de Deus e do que ele tem feito por nós. Amar a Deus e ao próximo é o resumo que Jesus fez de toda a Bíblia. Pregar o evangelho, e investir para que outros possam fazer esta obra em locais onde não podemos ir, é apenas parte da nossa nobre e gloriosa missão de fazer crescer o reino de Deus pelo mundo.

                Há 15 dias, quando meditamos nos versículos 3 a 14, vimos como Deus tem abençoado aqueles que foram salvos por Jesus. Vimos que fomos escolhidos, adotados, recebemos a redenção e direito à sermos herdeiros com Cristo. Estas bênçãos espirituais são incomparáveis com qualquer outra bênção que este mundo possa oferecer. Por causa destas bênçãos que Deus concede a quem se arrepende do pecado e recebe Jesus como Senhor e Salvador é que Paulo se põe a orar pelos irmãos Efésios. Ele começa nosso texto, no verso 15, com as palavras “por esta razão”. E depois destas palavras, o apóstolo ora a Deus e aprendemos muito com esta oração. Nela, encontramos a motivação, o conteúdo e o propósito da oração intercessória de Paulo.

                Assim, apresento-lhes 3 aspectos da oração:


1.A MOTIVAÇÃO DA ORAÇÃO.

15 Por essa razão, desde que ouvi falar da fé que vocês têm no Senhor Jesus e do amor que demonstram para com todos os santos,

16 não deixo de dar graças por vocês, mencionando-os em minhas orações.

                O que está registrado em Efésios 1.15-23 é a primeira oração de Paulo nesta carta. E me chama atenção que na sua primeira oração está o interesse na vida de outras pessoas. Paulo não orou por questões financeiras, por problemas de saúde física, nem mesmo pela sua condição de prisioneiro, pedindo para ser liberto da prisão. Mas ele orava na cadeia pela igreja. Orava pelos irmãos. Sua alegria estava no fato de que a igreja do Senhor Jesus não pararia porque o apóstolo estava preso. Eles continuariam a levar o evangelho a outros locais e até outros povos.

                Depois de explicar como uma pessoa salva por Jesus é verdadeira abençoada por Deus, ele se alegra em saber da fé que os Efésios tinham em Jesus e do amor que demonstravam para com todos os santos. Conhecer mais de Deus, deu a Paulo a alegria de se importar com os demais. Como era bom conhecer as verdadeiras bênçãos que Deus nos deu em Cristo, mas é melhor ainda saber que outras pessoas estavam usufruindo destas bênçãos.

                As orações de Paulo eram baseadas nas grandezas das bênçãos de Deus sobre todos aqueles que creem em Cristo.

                Querido, qual é a motivação das suas orações. Há algumas semanas atrás vi em um vídeo, um pastor pedindo que as pessoas dessem o valor de um aluguel ou da prestação da sua casa própria para ele, e que isto seria uma semente lançada para que aquele que contribuísse fosse abençoado. Esta ideia não é verdadeira. Não há na Bíblia nada que apoie esta negociação financeira, como modo de forçar a Deus a nos dar o que queremos. Com Deus não se brinca, não se negocia. Ele é Senhor sobre todas as coisas. Nossas orações não podem ser mesquinhas pensando apenas em como vamos obter lucro, mas sim, despretensiosas, como a de Paulo, visando apenas a glória de Deus e o bem do próximo. As verdadeiras bênçãos são a nossa redenção e salvação em Cristo. Dinheiro pode nos ajudar em muitas coisas, mas não pode ser a motivação de nossa vida. Saúde é coisa boa e desejável, mas não pode ser a motivação da nossa vida. A motivação única para a sua vida é Cristo, sua glória e seu reino. Mateus 6.33, Jesus afirmou para buscarmos o reino de Deus em primeiro lugar e não mandou buscar as demais coisas em lugar algum, apenas afirmou que elas, as demais coisas serão acrescentadas.

                Irmãos, o que Paulo fez foi orar pelo benefício dos outros. Ele está te convidando a fazer o mesmo. Estamos em campanha missionária. Estamos precisando de gente que ore pensando na salvação dos outros. Para que mais e mais pessoas seja alcançadas pelo evangelho puro e simples de Jesus, sejam salvas por Cristo e, então, de verdade, sejam abençoadas por Deus.

                Mas há outro aspecto da oração a ser observado, é:


2.O CONTEÚDO DA ORAÇÃO.

17 Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê espírito de sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento dele.

18 Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados,

                Quando lia este texto, me veio à mente a pergunta: O que Paulo estava orando? Qual o conteúdo da sua oração pelos irmãos de Eféso? Paulo afirma nos versos 17 e na primeira parte do 18 que ele pedia que o Deus de Jesus, o glorioso Pai, desse aos irmãos espírito de sabedoria e revelação, no pleno conhecimento dele.

                Esta era a oração de Paulo. Não pedia que os Efésios ficassem mais ricos ou curados de alguma enfermidade. Pedia que Deus Pai lhes desse sabedoria e revelação. O que é isto?

                Paulo desejava que Deus, o Pai, desse um dom especial do Espírito Santo, uma capacidade especial de conhecer mais a Deus. Revelação, no original, significa “tirar o véu”. Tornar compreensível, algo que está obscuro, difícil de entender. Paulo deseja que os salvos de Éfeso tivessem condições espirituais de saber (conhecer mais) e de ter revelação (ou seja, compreender mais) sobre a pessoa de Deus, mas não de forma teórica apenas, mas na prática. Conhecimento baseado na experiência.

                A obra missionária ou seja, obra de evangelização, revela ao não salvos, a pessoa de Jesus, a possibilidade de relacionamento com Deus por meio de Cristo, e a garantia de salvação. Estas revelações somente são possíveis, quando crentes se tornam pessoas dispostas a conhecer mais de Deus por meio da Bíblia e da oração, e também da prática da fé pura e simples.

                Paulo desejava iluminação para os corações. Os efésios eram bons crentes, mas ainda estavam com os corações pouco iluminados, havia muita coisa que eles ainda não compreendiam. Paulo deseja que Deus, pelo Espírito Santo, os ilumine. Que Ele lhes revele sua vontade, sua palavra, tornando-a acessível a todo aquele que se relacione com o Pai, por meio da fé em Cristo.

                Que oração maravilhosa! Quão diferente era a oração de Paulo para as nossas orações interesseiras, voltadas apenas para satisfazer nossas intenções. Hoje você é desafiado à oração pelos outros, tal como Paulo estava fazendo. Para que isto aconteça, você terá que ter sabedoria, revelação e iluminação do Espírito Santo. Esta era a oração de Paulo, esta deve ser a sua oração de agora em diante. Ore para que você tenha um conhecimento grande de Deus, da vontade salvadora dele em Cristo. Ore para que você compreenda sua palavra, a Bíblia, e viva sua vida para a glória de Jesus. Ore também para ter corações iluminados, corações capazes de ver além do visível, além dos interesses terrenos. Para ter coração capaz de ver Jesus e de querer ser parecido com ele. Pessoas nesta cidade estão se perdendo com as drogas, com a homossexualidade e prostituição, com casamentos e famílias desfeitas, com a desgraça de membros de igreja não salvos, que vivem na igreja, mas são mundanos e que servem mais ao diabo do que a Deus. Atrapalham a evangelização com seus maus exemplos. Precisamos de orações voltadas para a salvação de vidas, mas orações feitas por pessoas salvas, compromissadas com uma vida exemplar, onde ninguém nesta região tenha o que dizer de ruim de nós. Você é esta pessoa? Deus espera que você seja! Ainda não é, há esperança para você. Comece a orar e buscar na Bíblia mais conhecimento de Deus. Tenha um relacionamento que te leve a orar pela salvação de outros.

                Mas a oração de Paulo tinha um propósito:


3.O PROPÓSITO DA ORAÇÃO.

18b a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos

19 e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, conforme a atuação da sua poderosa força.

                Paulo estava orando pelos irmãos efésios, mas para que ele orava? Qual era o seu proposito com a oração que fazia e registrava na carta?

                A partir da segunda metade do verso 18, depois das palavras “a fim de”, Paulo estabeleceu 3 propósitos em sua oração:


A. Ele orava para que eles conhecessem a esperança para a qual Deus os chamou. Paulo destaca aqui que os crentes foram chamados para uma esperança. Nossa esperança é Cristo. As vezes somos tentados a achar que temos algo em Deus porque aceitamos a Cristo. Mas nos esquecemos, que se somos crentes, é porque, antes de tudo, fomos chamados. Deus tomou a iniciativa e nos deu esta oportunidade de relacionamento com ele, não somente neste mundo, mas da certeza de que tal relacionamento será eterno com ele no céu. Esta é a nossa esperança.

B.Ele orava para que eles conhecessem as riquezas da gloriosa herança de Deus nos santos. Coisa maravilhosa é saber que quando aceitamos a Jesus nos tornamos herdeiros de Deus, ele nos adotou e nos tornou filhos. Paulo orava para que eles pensassem no futuro glorioso que teriam com Deus no céu. Irmãos, tem muita gente sendo enganada em nosso meio, buscando soluções humanas para tudo na vida. Muitos membros de igreja se mostram gananciosos, sem esperança, desesperados, porque suas vidas, seus olhares estão voltados apenas para este mundo. A oração de Paulo era que a eles olhassem para o futuro. O grande desafio para você hoje é olhar este mundo na perspectiva da eternidade. Valorizando mais as coisas eternas do que as terrenas. Lembra-se de Jesus? Ele dizia, ajuntai tesouros no céu. Onde estiver o vosso tesouro, ai estará também o vosso coração. (Lucas 12.34).

C.Ele orava para que eles conhecessem a incomparável grandeza do poder de Deus para conosco, os que cremos, conforme a atuação da sua poderosa força. No velho testamento, sempre que alguém se referia a uma demonstração poderosa de Deus pelo seu povo, a travessia do mar vermelho, liderada por Moisés vinha a memória. Agora, no Novo Testamento, Paulo está dizendo que a maior prova do poder de Deus, de sua incomparável grandeza é a ressurreição de Jesus Cristo. Fazer o mar abrir pode ser incrível, mas trazer Jesus à vida foi inigualável.

                Mas podemos perguntar, que poder é esse: Veja os versículos finais:

  1. a.É o poder que Deus usou para ressuscitar Jesus dos mortos(v.20)
  2. b.É o poder que Deus usou para fazê-lo governar nas regiões celestes. (v.20)
  3. c.É o poder que Deus usou para coloca-lo acima de todos os governos, autoridades, poder, domínio e todo nome já mencionado ou que venha a existir. (v.21)
  4. d.É o poder que Deus usou para submeter o mundo aos pés de Jesus (v.22)
  5. e.É o poder que Deus usou para coloca-lo como Senhor (cabeça) da igreja. (22)
  6. f.É o poder que Deus usou para tornar a igreja seu complemento (seu corpo) (23).

                Assim, esse incomparável poder está à nossa disposição. Não são as autoridades constituídas, os governantes, os patrões, até mesmo nossos pais que nos governam, mas Cristo. Ele é o nosso cabeça, nosso chefe, nosso senhor. A ele devemos amar. E quando o fazemos, todo o restante do mundo é amado. Quando nos relacionamos bem com Jesus, o poder de Deus que o ressuscitou age em nós, e podemos nos relacionar com as pessoas. Em Cristo, nos tornamos a igreja dele, somos seu corpo. Ninguém pode ficar fora da igreja. Não existe salvo sem igreja. Todos precisamos dela para cumprir a vontade de Jesus. E faremos isto, se fizemos missões, se fizermos mais discípulos. Se levarmos o evangelho aos parentes, aos amigos próximos, aos desconhecidos.

 

CONCLUSÃO:

                 Fé em Cristo e amor ao próximo me ajuda a conhecer mais de Deus e de seu poder que age em meu favor. Mas esta fé e este amor, me levará mais além, me levará a orar pelas pessoas sem Jesus, e a multiplicar discípulos para sua glória. Qual será sua resposta ao convite bíblico de aumentar sua fé e seu amor, conhecendo mais de Deus e seu poder, ao multiplicar discípulos, pregando o evangelho?

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *