Marcos 14.27-31 OS ALERTAS DE JESUS

OS ALERTAS DE JESUS!

MARCOS 14.27-31

27 Disse-lhes Jesus: “Vocês todos me abandonarão. Pois está escrito: ‘Ferirei o pastor, e as ovelhas serão dispersas’. Zc 13:7; Mt 26:31; Jo 16:32;

28 Mas, depois de ressuscitar, irei adiante de vocês para a Galiléia”. Mt 26:32; Mt 28:10; Mc 16:7;

29 Pedro declarou: “Ainda que todos te abandonem, eu não te abandonarei!”

30 Respondeu Jesus: “Asseguro-lhe que ainda hoje, esta noite, antes que duas vezes cante o galo, três vezes você me negará”. Mt 26:34; Lc 22:34; Jo 13:38;

31 Mas Pedro insistia ainda mais: “Mesmo que seja preciso que eu morra contigo, nunca te negarei”. E todos os outros disseram o mesmo. Jo 13:37;

 

GRANDE IDEIA: Os alertas de Jesus trazem esperança para aqueles que o abandonam e o negam diante dos homens.


INTRODUÇÃO:

 

Contar a ilustração: o homem é a ponte com capacidade para 80 kg. Ele se pesa e a ponte cai. Moral: um homem prevenido, vale por 2. Pesou 160kg a ponte não aguentou.

Willian Barclay declarou que: “Algo tremendo a respeito de Jesus é que não havia nada para o qual não estivesse preparado. A oposição, a incompreensão, a inimizade dos religiosos ortodoxos de seus dias, a traição de um dos de seu próprio círculo íntimo, a dor e a agonia da cruz: para tudo estava preparado. Mas possivelmente o que mais lhe doeu foi o fracasso de seus amigos. Quando alguém se encontra em dificuldades, é quando mais necessita de seus amigos, e precisamente nessas circunstâncias foi quando os amigos de Jesus o deixaram sozinho e o abandonaram. Não houve nada em toda a gama da dor física e a tortura mental pela qual Jesus não passasse”.

A passagem que acabamos de ler refletem aqueles momentos finais e dramáticos da vida de Jesus neste mundo. Ele estava na iminência de ser preso, julgado, condenado e morto na cruz. E o pior, tudo isto aconteceria depois de ser abandonado por seus discípulos, seus amigos mais chegados.

Nesta passagem, fica evidente que não podemos condenar Judas sem antes analisar nossas vontades e nossas ações. Pois, os valores declarados nem sempre são os valores vividos. Aquilo que planeja fazer, nem sempre está de acordo com nossa prática.

O texto nos confronta com nossa fraqueza de vontade, com o distanciamento que existe entre nosso discurso e nossa prática. Este é um texto de alerta para mim e para você!

E Nele, temos três alertas de Jesus:

 

1.SOMOS ALERTADOS SOBRE A POSSIBILIDADE DE ABANDONÁ-LO.

27 Disse-lhes Jesus: “Vocês todos me abandonarão. Pois está escrito: ‘Ferirei o pastor, e as ovelhas serão dispersas’. Zc 13:7; Mt 26:31; Jo 16:32;

                Eu posso imaginar a cena. Os discípulos haviam acabado de celebrar a páscoa com Jesus. Naquela noite, Jesus apontou quem era aquele que o estava traindo. De forma clara, Jesus disse que era aquele que colocava a mão no mesmo prato que ele. E sabemos que este era Judas. Judas havia traído Jesus pelo salário de um escravo, 30 moedas de prata. Todos nós apontamos o dedo no rosto de Judas e o acusamos de ganancioso, de traidor, de pecador. E ele era tudo isso. Mas o texto continua, e agora Jesus deixa um forte alerta. – “VOCÊS TODOS ME ABANDONARÃO!”. A ênfase agora é colocada sobre todos. A traição iniciada por Judas, agora era algo comum à todos. Não no mesmo nível, mas não tão diferente assim. No momento mais angustiante, no momento em que Jesus mais necessitou de um amigo, de alguém que estivesse junto, todos o abandonaram. Jesus citava o profeta Zacarias 13.7 que dizia: “Levante-se, ó espada, contra o meu pastor, contra o meu companheiro!”, declara o Senhor dos Exércitos. “Fira o pastor, e as ovelhas se dispersarão, e voltarei minha mão para os pequeninos”.

                Em algumas versões dizem que “todos se escandalizariam nele”. BArclay afirma que “Há uma lição no termo “vos escandalizareis” que Jesus usou. O verbo grego skandalizein vem da palavra skandalon ou skandaletron que significa o sebo de uma armadilha, o pau para o qual era atraído o animal e que soltava a armadilha quando o pisava. De modo que a palavra skandalizein devia significar caçar com armadilha, ou fazer alguém cair por meio de alguma trapaça ou engano”. E, de fato, todos caíram nesta armadilha de abandonar Jesus, de o negar.

                O alerta serve para nós ainda hoje. E a Bíblia tem muitos alertas como estes, para que evitemos abandonar nossa fé, nosso Deus, nossa igreja. Dê uma boa olhada nas suas atitudes e perceba se há algum comportamento, alguma ação que demonstre certo grau de abandono de sua parte para com Cristo e o seu corpo, ou seja, sua igreja. Veja se você não está vivendo um distanciamento entre seu discurso e sua prática. Cuidado para não cair na armadilha de abandonar Jesus.

                Mas há outro alerta no texto:


2.SOMOS ALERTADOS QUE HÁ ESPERANÇA PARA OS QUE AMAM A JESUS.

28 Mas, depois de ressuscitar, irei adiante de vocês para a Galiléia”. Mt 26:32; Mt 28:10; Mc 16:7;

                Depois de demonstrar que é Deus, prevendo o futuro próximo e até mesmo o estabelecendo, Jesus afirma que depois de sua ressurreição, ele irá adiante deles para a Galiléia.

                Vale destacar aqui que Jesus já sabia que ia morrer. Ele não falou da morte claramente, mas falou de forma subentendida, já que a ideia de ressurreição pressuponha que haja uma morte antes. Jesus está mais uma vez avisando seus discípulos que irá morrer e ressuscitar. E depois de ressuscitar ele reassumirá sua condição de supremo pastor na vida de seus seguidores.

                Que palavras alentadoras! Quanta esperança há aqui! Mesmo prevendo a traição, o abandono, a negação, Jesus ainda deixa claro que dará a eles uma nova oportunidade de se tornarem, de verdade, seus seguidores, suas ovelhas.

                É interessante observar que a região da Galiléia foi o lugar onde os discípulos começaram sua vida de serviço e discipulado com Jesus. Jesus está afirmando que depois de sua morte e ressurreição, ainda que tenha sido abandonado, ele estará lá onde tudo começou para começar de novo.

                Este é o Jesus amoroso que a Bíblia nos apresenta. Ele está pronto para nos dar uma nova chance de recomeçar. De abraça-lo novamente. De servi-lo como nunca antes o fizemos. De serem ovelhas deste maravilhoso pastor.

                Ainda que eles o abandonassem Jesus não os abandonou. Esta promessa era para lhes dar esperança. Nela está incluídos o amor e o perdão de Jesus, a oportunidade de começar de novo.

                Há uma aplicação válida para você também aqui. Quando você é de Jesus, quando você o ama, ainda que tenha falhado, ele não te abandona jamais. Paulo afirmou em Romanos 8.38,39 que nada nem ninguém pode nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus.

                Jesus o ama e ele está lhe dando a oportunidade de começar de novo. Aproveite-a.

                Mas há uma 3ª e ultima verdade prática no texto:


3.SOMOS ALERTADOS A TOMAR CUIDADO COM A AUTOCONFIANÇA.

29 Pedro declarou: “Ainda que todos te abandonem, eu não te abandonarei! “

30 Respondeu Jesus: “Asseguro-lhe que ainda hoje, esta noite, antes que duas vezes cante o galo, três vezes você me negará”. Mt 26:34; Lc 22:34; Jo 13:38;

31 Mas Pedro insistia ainda mais: “Mesmo que seja preciso que eu morra contigo, nunca te negarei”. E todos os outros disseram o mesmo. Jo 13:37;

                As palavras e atitudes de Pedro não combinavam. Ele era autoconfiante em demasia. Ele se considerou melhor do que os outros. Nas suas palavras, no verso 29, Pedro deixa claro que pensava de si mesmo, mais do que devia. Ele se achava mais crente, mais forte, mais confiável que seus amigos discípulos.

                Jesus afirmou que todos o abandonariam, mas Pedro queria ser uma exceção. Ele não podia ser igual aos demais. Ele se julgava melhor e superior a eles. Ele chegou ao nível de achar que nunca se escandalizaria em Cristo, nunca o abandonaria, achou até que estava pronto para ir à prisão ou à morte, por causa de Cristo.

                Mas Jesus revelou a Pedro que, dali a poucos momentos, sua fraqueza seria demonstrada, suas promessas seriam quebradas. Aquele que se achava melhor do que os outros era advertido com muito maior severidade. Os outros haviam falhado, mas para Pedro a falta foi maior.

                O apóstolo Paulo exorta: “Aquele, pois, que pensa estar em pé, veja que não caia” (1Co 10.12). A Palavra de Deus alerta: “O que confia no seu próprio coração é insensato” (Pv 28.26).

                Pedro tinha um coração firme. A história bíblica vai registrar seu arrependimento e seu recomeço. Há quem afirme que é melhor ser como Pedro, com um coração cheio de amor, embora falhasse por algum momento, do que ser um Judas, com o coração cheio de ódio.

                Barclay disse: “Aquele que em sua vida nunca quebrantou uma promessa, que nunca faltou a um compromisso em pensamento ou ação, que condene a Pedro. Pedro amava a Jesus, e embora o amor falhou, voltou a renascer”.

                A aplicação disto para você é que não podemos nos considerar melhor do que outros na igreja. Não podemos nos apegar a uma função achando que somente nós temos condições de desenvolver aquele trabalho e que outros não são. Não podemos pensar que somente nós somos melhores crentes, mais fortes, mais dignos, mais comprometidos que os demais. Nas palavras de Eduard Schweizer: “Aquele que se sente seguro e se considera diferente de todos os demais cairá ainda mais profundamente”.


CONCLUSÃO:

                Os alertas de Jesus trazem esperança para aqueles que o abandonam e o negam diante dos homens.

                Deus nos ama. Ele nos dá outra oportunidade. Ele nos leva ao lugar onde começamos, para um novo recomeço. Alguém já disse que há certas coisas que não podemos fazer remendos, é preciso derrubar e começar de novo.

                Se é assim com você. Se você abandonou Jesus algum momento, se o negou em alguma situação da vida, se você se considerou melhor que os demais crentes, você pecou. Mas hoje é a oportunidade para arrepender-se e recomeçar. Há esperança para você. Aproveite os alertas de Jesus, pois, ainda há esperança.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *