1 Coríntios 15.35-49 CRISTO É O EXEMPLO DE NOSSA RESSURREIÇÃO

1 Coríntios 15.35-49

35 Mas alguém pode perguntar: “Como ressuscitam os mortos? Com que espécie de corpo virão? ” Ez 37:3;

36 Insensato! O que você semeia não nasce a não ser que morra. Jo 12:24;

37 Quando você semeia, não semeia o corpo que virá a ser, mas apenas uma simples semente, como de trigo ou de alguma outra coisa.

38 Mas Deus lhe dá um corpo, como determinou, e a cada espécie de semente dá seu corpo apropriado.

39 Nem toda carne é a mesma: os homens têm uma espécie de carne, os animais têm outra, as aves outra, e os peixes outra.

40 Há corpos celestes e há também corpos terrestres; mas o esplendor dos corpos celestes é um, e o dos corpos terrestres é outro.

41 Um é o esplendor do sol, outro o da lua, e outro o das estrelas; e as estrelas diferem em esplendor umas das outras.

42 Assim será com a ressurreição dos mortos. O corpo que é semeado é perecível e ressuscita imperecível; Dn 12:3; Mt 13:43;

43 é semeado em desonra e ressuscita em glória; é semeado em fraqueza e ressuscita em poder;

44 é semeado um corpo natural e ressuscita um corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.

45 Assim está escrito: “O primeiro homem, Adão, tornou-se um ser vivente”; o último Adão, espírito vivificante. Gn 2:7;

46 Não foi o espiritual que veio antes, mas o natural; depois dele, o espiritual.

47 O primeiro homem era do pó da terra; o segundo homem, do céu.

48 Os que são da terra são semelhantes ao homem terreno; os que são do céu, ao homem celestial.

49 Assim como tivemos a imagem do homem terreno, teremos também a imagem do homem celestial. 2Co 4:11;

Grande Ideia:  O homem cristão tem como futuro ser igual a Jesus.

                Temos meditado nesta 1ª Carta de Paulo aos Coríntios faz algum tempo.  Estamos chegando ao final. Mas uma ideia que vem à mente ao estudarmos esta carta é a de que devemos ser parecidos com Jesus e viver a vida para a glória dele. Cristo é o nosso alvo. Ele é o nosso modelo de vida. Nele todas as coisas existem e subsistem. Mas nesta porção que lemos, Ele afirma ainda que Jesus é o nosso futuro. O nosso fim. Fim no sentido de finalidade, de objetivo, de vida.

                Com a nossa ressurreição, nossa transformação à imagem de Cristo se tornará completa e definitiva. Voltaremos àquilo que Deus fez quando criou o homem. Seremos conforme à imagem de Deus.

                Neste texto, Paulo continua seu desejo de comprovar que a ressurreição é uma realidade. E para isto ele usa ilustrações da natureza. Nesta porção ele faz 3 considerações importantes sobre o assunto:

  1. 1.A RESSURREIÇÃO PODE SER ILUSTRADA COM ELEMENTOS DA NATUREZA (35-41)

35 Mas alguém pode perguntar: “Como ressuscitam os mortos? Com que espécie de corpo virão? ” Ez 37:3;

36 Insensato! O que você semeia não nasce a não ser que morra. Jo 12:24;

37 Quando você semeia, não semeia o corpo que virá a ser, mas apenas uma simples semente, como de trigo ou de alguma outra coisa.

38 Mas Deus lhe dá um corpo, como determinou, e a cada espécie de semente dá seu corpo apropriado.

39 Nem toda carne é a mesma: os homens têm uma espécie de carne, os animais têm outra, as aves outra, e os peixes outra.

40 Há corpos celestes e há também corpos terrestres; mas o esplendor dos corpos celestes é um, e o dos corpos terrestres é outro.

41 Um é o esplendor do sol, outro o da lua, e outro o das estrelas; e as estrelas diferem em esplendor umas das outras.

                Quão difícil é a existência de desvios doutrinários dentro duma igreja. Mesmo depois de tudo que já havia falado sobre ressurreição e como ela é uma realidade. Paulo sabia que muitos, contaminados por ideias distorcidas pelas filosofias e teorias humanas perguntariam? Paulo, se eu acreditar que os mortos ressuscitam, que tipo de corpo eles teriam?

                Para explicar isso, Paulo traz ilustrações da própria natureza. As coisas criadas por Deus já dão um bom exemplo do que acontecerá com o ser humano quando de sua ressurreição. O exemplo de Paulo é que uma semente tem um tipo de corpo e aparência antes de ser plantada. Mas que, depois de ser colocada sob a terra, a semente se dissolve e quando germina, o que se levanta é um corpo totalmente novo. Mas mantendo uma continuidade do que ela era antes.

                Assim, a semente do tomate não dará trigo ou vice-versa. Cada semente, plantada, morrendo na terra, germina e dá vida a uma planta que mantém a identidade da sua semente.

                Barclay chamou isso de dissolução, diferença e continuidade. “Este argumento prova que nossos corpos terrestres serão enterrados e se dissolverão; voltarão a levantar-se, mas o farão com uma qualidade distinta; mas subsiste o fato de que é a mesma pessoa a que ressuscita, por muito distinto que seja seu corpo nesse momento. Poderemos ser dissolvidos pela morte; poderemos mudar ao ressuscitar; mas ainda seremos nós os que existiremos”.

  1. 2.A RESSURREIÇÃO NOS TORNARÁ MELHORES DO QUE SOMOS HOJE (42-49)

42 Assim será com a ressurreição dos mortos. O corpo que é semeado é perecível e ressuscita imperecível; 43 é semeado em desonra e ressuscita em glória; é semeado em fraqueza e ressuscita em poder; 44 é semeado um corpo natural e ressuscita um corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.

45 Assim está escrito: “O primeiro homem, Adão, tornou-se um ser vivente”; o último Adão, espírito vivificante.

46 Não foi o espiritual que veio antes, mas o natural; depois dele, o espiritual. 47 O primeiro homem era do pó da terra; o segundo homem, do céu. 48 Os que são da terra são semelhantes ao homem terreno; os que são do céu, ao homem celestial.

49 Assim como tivemos a imagem do homem terreno, teremos também a imagem do homem celestial.

                Após demonstrar que a natureza exemplifica a ressurreição. Paulo continua afirmando que a ressurreição nos tornará melhores. No livro, Foco em Desenvolvimento – Novo Testamento, Pr. Carlos Oswaldo afirma que “a fraqueza terrena herdada de Adão dará lugar ao poder celeste em Cristo”.

                Paulo apresenta Jesus Cristo como um modelo daquilo que seremos no futuro, após nossa ressurreição. Em outras cartas, Paulo chamou Jesus de “as primícias” simbolizando que Ele foi o primeiro a ser ressuscitado para não mais morrer e indicando que nós também seremos como ele.

                No verso 47, Ele deixa claro que Jesus, o segundo homem criado por Deus, é mais do que um homem, mas é o próprio Deus encarnado. Se herdamos a aparência do primeiro (corpo físico), herdaremos a aparência do segundo (corpo espiritual).

                Neste texto há 4 contrastes que demonstram como seremos após a ressurreição:

  1. 1.O corpo atual se corrompe; o futuro será incorruptível. 42 Assim será com a ressurreição dos mortos. O corpo que é semeado é perecível e ressuscita imperecível. Assim, há o ensinamento de que tudo no mundo se deteriora, mas que na eternidade tudo se torna perfeito.
  2. 2.O corpo presente é de desonra; o futuro será de glória. 43 é semeado em desonra e ressuscita em glória; A desonra aqui, bem poderia ser o pecado, e as coisas vergonhosas que fazemos por causa dele, coisas estas que não existirão na eternidade com Cristo. Seremos usados como instrumentos puros para Deus. Que maior honra há que esta?
  3. 3.O corpo atual é fraco, o do futuro será poderoso. ;(cont. 43) é semeado em fraqueza e ressuscita em poder; Nossas limitações não existirão na eternidade. Em Cristo, seremos poderosos. Quantas vezes descobrimos que não podemos ir além em algum tarefa ou atividade, ou até mesmo em nossos planos e sonhos, devido às limitações de nosso corpo. Em Cristo, isto não existirá. Seremos perfeitos como Ele o é.
  4. 4.O corpo presente é natural; o do futuro será espiritual. 44 é semeado um corpo natural e ressuscita um corpo espiritual. Se aqui nossas imperfeições impedem o Espírito Santo de Deus de agir em nós, na eternidade, Deus nos usará plenamente. Seremos completos do seu Espírito Santo. Nas Palavras de Barclay, “Na vida vindoura poderemos render a adoração perfeita, o serviço perfeito e o amor perfeito, que neste mundo podem ser só uma visão e um sonho”.

 

CONCLUSÃO:

                A ressurreição é uma realidade e ela nos tornará iguais a Jesus. Nosso novo corpo, que receberemos será dotado da perfeição e tudo que fazemos hoje para o nosso Deus de forma imperfeita, nós o faremos com perfeição para que Cristo seja tudo em todos, e a ele seja toda a glória, e honra, e força e poder.

                Deus nos abençoe.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *