1 Coríntios 12.1-11 – DONS – PROVAS DA PRESENÇA DO ESPÍRITO SANTO

1 ¶ Meus irmãos, quero que vocês saibam a verdade a respeito dos dons que o Espírito Santo dá.

2 Vocês sabem que, quando ainda eram pagãos, vocês eram desviados, de várias maneiras, para a adoração dos ídolos, os quais não têm vida.

3 Por isso precisam compreender que ninguém que diz “Que Jesus seja maldito!” pode estar falando pelo poder do Espírito de Deus. E que ninguém pode dizer “Jesus é Senhor”, a não ser que seja guiado pelo Espírito Santo.

4 Existem tipos diferentes de dons espirituais, mas é um só e o mesmo Espírito quem dá esses dons.

5 Existem maneiras diferentes de servir, mas o Senhor que servimos é o mesmo.

6 Há diferentes habilidades para realizar o trabalho, mas é o mesmo Deus quem dá a cada um a habilidade para fazê-lo.

7 Para o bem de todos, Deus dá a cada um alguma prova da presença do Espírito Santo.

8 Para uma pessoa o Espírito dá a mensagem de sabedoria e para outra o mesmo Espírito dá a mensagem de conhecimento.

9 Para uma pessoa o mesmo Espírito dá fé e para outra dá o poder de curar.

10 Uma pessoa recebe do Espírito poder para fazer milagres, e outra recebe o dom de anunciar a mensagem de Deus. Ainda outra pessoa recebe a capacidade para saber a diferença entre os dons que vêm do Espírito e os que não vêm dele. Para uma pessoa o Espírito dá a capacidade de falar em línguas estranhas e para outra ele dá a capacidade de interpretar o que essas línguas querem dizer.

11 Porém é um só e o mesmo Espírito quem faz tudo isso. Ele dá um dom diferente para cada pessoa, conforme ele quer.

 

INTRODUÇÃO:

 

PROPOSIÇÃO: Para o bem da igreja, cada cristão tem alguma prova da presença do Espírito Santo.

 

                Na semana anterior falamos sobre o que acontecia na celebração da Ceia do Senhor no culto dos crentes coríntios. Agora, embora o assunto seja dons espirituais, o tema continua o mesmo. Paulo está disciplinando o que acontecia nos cultos da igreja.

                Neste período histórico, existiam muitos judeus na região de Corinto. As religiões pagãs deste tempo eram marcadas por manifestações histéricas, auto-engano e enganos totais assim também, segundo barclay, como existiam atos verdadeiros. Paulo tenta mostrar que o Espírito Santo se manifesta de forma verdadeira e com objetivos verdadeiros.

                Nesta porção que escolhemos, há muitas lições bíblicas importantes. Mas Paulo mostra que existe muita coisa errada também acontecendo nos cultos públicos, e algo precisava ser feito. Duas expressões, como que gritos de guerra eram usadas neste tempo: 1. “Jesus é anátema” a outra 2. “Jesus é Senhor”.

                Haviam ainda muitos judeus que não criam em Jesus como Senhor. O imperador romano se intitulava senhor e deus. Quando da perseguição aos cristãos, estes eram obrigados a dizer: “césar é Senhor”. Mas, um cristão verdadeiro e comprometido não diria isso, diria apenas, Jesus é Senhor. Neste caso, chama-lo de Senhor era admitir isso publicamente e colocar a vida em risco. Assim Paulo está admitindo que há coisas que são de Deus e há coisas que não são. Ninguém chamará Jesus de Senhor se não tiver com ele um compromisso de relacionamento e fé. Ninguém, sendo de Deus e com este compromisso, diria que Jesus é uma maldição.

                Com esta ideia em mente, Paulo nos convida a pensar melhor sobre a unidade da igreja e como ela demonstra que é dirigida pelo Espírito Santo. Mostrando o que é de Deus e dando instruções importantes:

 

  1. 1)

                Uma das descobertas mais importantes sobre o Espírito Santo é que ele é Deus. E Paulo afirma, no verso 4, que os diversos dons que podem existir numa igreja vem do Espírito do Santo, ou seja, de Deus.

                Entender que os dons vem de Deus deve causar em nós o interesse em utilizá-los no serviço cristão.

                As vezes achamos que dons são apenas coisas voltadas para as questões intelectuais, mas funções como o artesanato, a habilidade que um pedreiro possui na construção de uma edificação, tudo isto pode ser considerado como vindos de Deus e, portanto, pode ser empregado para glorificação do Senhor e bênção a toda a igreja.

                Assim, se há algo que precisamos aprender sobre dons é a sua origem. Eles vem de Deus, são um presente, algo que não merecemos. A palavra dons nos grego é charisma e vem de charis que significa graça que não merecemos. Os dons também são presentes que não merecemos, mas que Deus nos dá para sermos bênçãos na sua obra, que é a igreja.

                No verso 6, Paulo fala que existem diferentes habilidades para realizar um trabalho, e tudo isto vem do Senhor.

                Mas porque dar dons e habilidades aos membros da igreja? Esta é outra instrução importante.

 

  1. 2)OS DONS SÃO DADOS PARA SERVIRMOS A DEUS E A IGREJA. (5,7)

                Paulo afirma que existem muitas diakonias ou seja, ministérios, serviços. Mas a quem servimos? Na sua afirmação, todos servimos ao mesmo Deus e nunca, jamais, a si mesmo.

                No verso 7, ele explica que a manifestação é dada para o que for útil, ou seja, para o bem de todos.

                Isto deve nortear o uso dos nossos dons espirituais. Ninguém pode considerar que seu dom é apenas para seu engrandecimento pessoal. Toda vez que alguém age na igreja pensando em si mesmo, peca, pois desvia pessoas de glorificarem a Deus, trazendo a glória para si.

                Paulo ensina que estes dons são como uma prova de que temos o Espírito Santo. Desta forma, cada crente tem um dom. Cada crente tem alguma habilidade especial que deve ser consagrada ao Senhor na igreja. Tal atividade que cada um sabe fazer, se utilizada na igreja ajudará na sua construção, edificação e aumento. Deixar de servir na igreja é esconder para si o dom que Deus lhe deu.

                Neste aspecto ainda, não existe um dom mais especial que outro. Todos necessários. Mas na frente, Paulo vai mostrar que os dons são importantes assim como cada parte do corpo humano e importante. Talvez você não seja o coração, um órgão vital, mas ainda que seja um dedo ou orelha, fará falta e tornará o corpo defeituoso se não desenvolver sua função.

 

 

  1. 3)OS DONS DEPENDEM DA VONTADE DO ESPÍRITO SANTO.

                No versículo 11, Paulo afirma que o Espírito Santo distribui os dons conforme sua própria vontade e não segundo a vontade humana. Isto significa dizer que não é você quem escolhe o que vai fazer na igreja, mas Deus é quem capacita você e determina sua função, com base nos dons que o Espírito Santo lhe conceder e pelo tempo que ele julgar necessário.

                Na lista de dons apresentada por Paulo temos algumas considerações a fazer: Paulo começa falando sobre a mensagem de sabedoria. Sabedoria traduz a palavra grega sophia, já conhecida dos filósofos. E o conhecimento que se adquire pela experiência. Tem a ver com alguém que possui um relacionamento íntimo com Deus. A palavra da ciência ou conhecimento traduz a expressão gnosis, e indica conhecimento prático, inteligência, é a sabedoria colocada em prática.

                Em seguida vem a fé, uma capacidade extraordinária de acreditar em algo, a ponto de dar sua vida nisso. Depois, Paulo fala do poder de curar. Informação dão conta que o ambiente de Corinto era marcado por curas milagrosas. Há relatos de curas em todos os templos religiosos pagãos datados daquela época. Um exemplo era o caso do deus grego Esculápio. As pessoas iam no templo deste deus e após passarem uma noite inteira neles, eram curadas de enfermidades diversas. Era uma era das curas espirituais. E não há dúvidas de que acontecesse também na igreja. O uso da expressão “dons de curar” ao invés de “dom” no singular, poderia significar que cada cura em particular fosse um dom de Deus. Mas a palavra grega para cura aqui é iamatw e pode significar um meio de cura e remédio.

                Em seguida, o poder para fazer milagres. É interessante que Paulo separa curas e milagres como coisas diferentes. Alguns eruditos acreditam que se tratavam do exorcismo ou alguma outra manifestação de poder.

                Paulo fala de profecia. A profecia pode ser entendida como a pregação. Muitos falam da profecia apenas como predição do futuro, mas predição de futuro pura e simples é adivinhação, o que é condenado na Bíblia, a predição ou o vaticínio, que fazia parte da revelações dos profetas tinham a ver com o futuro do povo de Deus ou da instauração do seu reino na terra.

                Discernimento de espíritos era uma necessidade em corinto, visto que viviam numa sociedade marcada por curas espirituais por deuses diabólicos, onde toda manifestação anormal era considerada normal, fazia-se necessário saber se algo que acontecia era vindo de Deus ou não.

                Variedades de línguas (glossa) e sua interpretação. Em Corinto, as pessoas entravam em êxtase e começam a pronunciar coisas que ninguém entendia. As vezes, elas mesmas interpretavam, as vezes outro fazia isso. O culto estava desorganizado e a histeria era completa. Paulo sabia da existência do dom, necessário para a proclamação do evangelho a todos os povos, mas era preciso identificar se aquilo procedia de Deus. Para tanto, o capitulo 14 traz suas orientações a respeito.

                Vale ressaltar, entretanto, que a palavra línguas traduz a palavra grega glossa, que quer dizer idioma e não uma linguagem desconhecida da humanidade. É importante destacar ainda que a expressão “estranha” encontrada em algumas bíblias, não consta no original grego, mas foi inserida por se tratar de idiomas desconhecidos de quem falava ou ouvia.

                Moody, afirma que estes dons citados eram dons temporários. Para ele, foram utilizados com a finalidade da implantação da igreja e da canonização das Escrituras. Hoje esta lista não seria necessária. Temos a Bíblia para discernirmos o que acontece, temos o Espirito santo que nos ilumina no seu entendimento. Temos conhecimento dos idiomas para que o evangelho alcance vidas; temos medicina avançada e a fé capaz de manter nosso relacionamento com o Senhor.

                Enfim, o que Paulo nos mostra é que o Espírito Santo é o único capaz de dar os dons e todos os dons são dados para exaltar, edificar a igreja e evangelizar o pecador. Assim, não é melhor que tem mais dons ou determinado dom, como não é pior aquele que tem poucos dons ou um apenas.

 

Conclusão:

                Resumindo. Você tem um dom espiritual e ele será manifestado quando você decidir servir ao Senhor. É servindo a Cristo através da igreja que o dom que você possui será demonstrado. O Espírito Santo só dá dons aos que lhe forem úteis, disse Paulo.

                Seja útil ao Senhor através da igreja. O Senhor o abençoará e usará sua vida para nos abençoar.

                Que assim seja. Amém.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *