1 Coríntios 10.1-14 – Aprendendo com os Exemplos do Passado

APRENDENDO COM OS EXEMPLOS DO PASSADO

Pastor Joaquim José da Costa Dias

 

Texto: 1 Coríntios 10.1-14

1 ¶ Irmãos, eu quero que vocês lembrem do que aconteceu com os nossos antepassados que seguiram Moisés. Todos foram protegidos pela nuvem e passaram pelo mar Vermelho.

2  Como seguidores de Moisés, eles foram batizados na nuvem e no mar.

3  Todos comeram da mesma comida espiritual

4  e beberam da mesma bebida espiritual. Pois bebiam daquela rocha espiritual que ia com eles; e a rocha era Cristo.

5  Mas Deus não ficou contente com a maioria deles, e por isso eles morreram, e os seus corpos ficaram espalhados no deserto.

6 ¶ Tudo isso aconteceu a fim de nos servir de exemplo, para nós não querermos coisas más como eles quiseram,

7  nem adorarmos ídolos, como alguns deles adoraram. Como dizem as Escrituras Sagradas: “O povo sentou-se para comer e beber e se levantou para se divertir.”

8  Não devemos cometer imoralidade sexual, como alguns deles fizeram. E, porque eles fizeram isso, vinte e três mil deles caíram mortos num dia só.

9  Não devemos pôr à prova a paciência de Cristo, como alguns deles fizeram, e por isso foram mortos pelas cobras.

10  Vocês não devem se queixar, como fizeram alguns deles, e por isso foram destruídos pelo Anjo da Morte.

11  Tudo isso aconteceu com os nossos antepassados a fim de servir de exemplo para os outros, e aquelas coisas foram escritas a fim de servirem de aviso para nós. Pois estamos vivendo no fim dos tempos.

12  Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair.

13  As tentações que vocês têm de enfrentar são as mesmas que os outros enfrentam; mas Deus cumpre a sua promessa e não deixará que vocês sofram tentações que vocês não têm forças para suportar. Quando uma tentação vier, Deus dará forças a vocês para suportá-la, e assim vocês poderão sair dela.

14  Por isso, meus queridos amigos, fujam da adoração de ídolos.

INTRODUÇÃO:

                Nas últimas semanas temos estudado e muito a 1ª carta de Paulo aos Coríntios. Quantas lições importantes temos aprendido! Quanta verdades e princípios estamos juntos, aprendendo!

                Agora, deparamo-nos com mais um capítulo que mexe com nossos conceitos e posicionamentos. Desde o capítulo 8, temos aprendido com Paulo que o amor a Deus e ao próximo é o princípio fundamental que deve validar nossas ações. Naquele capítulo 8, Paulo nos falou sobre coisas sacrificadas aos ídolos, nos mostrou como somos livres para agir como quisermos, mas que, nem tudo que podemos fazer, devemos fazer, pois nossa liberdade não pode ser usada para impedir que pessoas sejam salvas escandalizadas com nossas ações. Neste capitulo 10, o assunto das carnes continuam, na próxima semana, veremos alguns motivos mais para não agirmos precipitadamente nestas questões de coisas oferecidas aos ídolos.

                Hoje, temos em nossas mãos um texto muito rico, cujo conteúdo mostra, com muitos exemplos, que temos que viver num compromisso com Deus, sob pena de sermos rejeitados na sua obra. Para entender essa questão, vamos pensar um pouco no que Paulo nos apresenta nestes primeiros 14 versículos.

  1. 1)PRIVILÉGIOS ESPIRITUAIS NÃO GARATEM SUCESSO ESPIRITUAL.

                Paulo vinha terminando o capítulo 9, admitindo que crentes que não se policiam e que não exercitam disciplina em sua vida, poderão acabar mal, sendo desqualificados para a obra do Reino de Deus, perdendo assim a sua recompensa, ou o seu galardão.

                Nos versículos 1 a 6, encontramos o exemplo do povo de Israel, o povo de Deus. Para o apóstolo, Israel foi desqualificado, e portanto, não havia ganhado o prêmio. Ainda assim Paulo nos mostra o contraste da experiência espiritual que tiveram com a resposta em serviço cristão que desenvolveram.

                Alguns privilégios dos judeus se equivalem na nossa experiência espiritual atualmente. Em primeiro lugar Paulo afirma que todos os judeus passaram pela nuvem e pelo mar. Isto indica que todos tiveram uma orientação espiritual (nuvem) e um livramento espiritual (mar vermelho). No verso 2, foram batizados como Moisés, ou seja, tinham um líder dado por Deus para lhes fornecer a liderança espiritual. No verso 3, eles tiveram um alimento sobrenatural. Para o Salmo 78.25, o maná era o pão dos anjos. No verso 5, lemos que Também beberam uma água sobrenatural (espiritual), que Paulo comparou com Cristo, ou que afirmou ser Cristo quem fazia aparecer água no deserto. Ou seja, celebraram sua ceia também.

                Diante desta palavras, diante de tantos privilégios espirituais que os judeus haviam recebido, era de se esperar que obtivessem sucesso na vida espiritual, mas Paulo mostra que a história não foi bem assim. No verso 5, ele deixa claro que Deus não estava satisfeito com eles, e o resultado foi que morreram naquele deserto. A Bíblia registra que da geração de deixou o Egito e peregrinou pelo deserto, apenas Josué e Calebe, foram os que sobreviveram, e deram continuidade a história do povo. Somente eles, foram achados aprovados e merecedores do prêmio.

                No verso 6, Paulo afirma que esta situação veio até nós para nos servir de exemplo. Exemplo de que experimentar privilégios espirituais não é garantia de que somos aprovados por Deus ou de que tenhamos algum tipo de sucesso espiritual.

                Nós também temos recebido orientação espiritual pela Bíblia e pelo Espírito Santo. Também tivemos um livramento espiritual pela nossa salvação. Também fomos batizados e nos tornamos membros do povo de Deus, que é a igreja. Também temos nos alimentado espiritualmente, pela palavra de Deus, pelo cumprimento da ordenanças do batismo e da ceia. Mas ainda assim, algumas práticas pecaminosas podem nos levar à queda e à reprovação espiritual, mesmo depois de termos vivenciado tantas coisas maravilhosas.

                Que práticas são estas? Vejamos:

  1. 2)AS PRÁTICAS PECAMINOSAS QUE NOS LEVAM AO FRACASSO ESPIRITUAL

                No texto, à partir do versículo 6, Paulo nos apresenta a lista de pecados que cometeram os judeus e que os tornou desqualificados para a obra de Deus, além de trazer como consequência a morte física, entre outros problemas. Assim, passo a lista-los abaixo:

  1. 1.V. 6. A cobiça (Números 11.14) – eles cobiçaram as coisas más. Em vários momentos da historia do povo, após sua libertação do Egito, muitos desejavam voltar para ter as coisas que tinham antes, mesmo que isto significasse escravidão novamente. Eles preferiam o alimento do mundo (Egito) do que o alimento de Deus (maná).
  2. 2.V. 7. A Idolatria – (Ex. 32.7-8) – O povo passou a construir e adorar ídolos, desobedecendo às ordens de Deus e de seu líder Moisés.
  3. 3.V. 8. A imoralidade sexual – (Números 25.1-9) – Quando não se tem um entendimento correto de Deus e não se teme a Ele, o povo começa a ter seus próprios conceitos e valores, criam seus deuses (idolatria) e a consequência é sempre a imoralidade.
  4. 4.V. 9. A Presunção – Segundo o Comentário MOODY, “(cons. Nm. 11:4-9; Sl. 78:19); eles se atreveram a duvidar que Deus cumprisse a Sua promessa de discipliná-los se duvidassem da SuaFoi o pecado da “suspeita ingrata”
  5. 5.V. 10. Murmuração – (Nm. 16.41-50) – Os israelitas começaram a reclamar com Moisés porque achavam que não precisavam de um líder e resolveram protestar contra Moisés, o homem que Deus havia escolhido para lidera-los. O resultado foi uma epidemia que matou 14.700 pessoas. Para MOODY, “esta pode ser uma gentil alusão paulina à atitude dos coríntios para com os seus próprios líderes espirituais na questão da carne sacrificada aos ídolos (os outros quatro motivos podem ser ligados a este problema).

                Nos versículos finais, Paulo encerra suas palavras mostrando que tudo o que está na Bíblia foi escrito para servirem de aviso para nós. Deus não deseja que a gente repita as coisas erradas que foram feitas no passado. Ele deseja para nós que vivamos de modo agradável e assim, possamos ser aprovados e abençoados por Ele.

CONCLUSÃO:

                Paulo conclui nossa reflexão, quando deixa duas mensagens importantes, uma para os seguros de si, os que se julgam fortes e que não pensam na consciência dos mais fracos; e também uma mensagem para os desanimados, que acham que a vida cristã é muito difícil e que eles não vão conseguir; as mensagens são:

                Para os fortes: “12 Portanto, aquele que pensa que está de pé é melhor ter cuidado para não cair”.  Cair aqui não se refere à salvação, mas sim à disciplina do Senhor, que pode deixa-los reprovados, como vemos em 9.27.

                A outra para os desanimados: “13 As tentações que vocês têm de enfrentar são as mesmas que os outros enfrentam; mas Deus cumpre a sua promessa e não deixará que vocês sofram tentações que vocês não têm forças para suportar. Quando uma tentação vier, Deus dará forças a vocês para suportá-la, e assim vocês poderão sair dela. 14  Por isso, meus queridos amigos, fujam da adoração de ídolos”.

                Ou seja, Deus sabe que você é humano, não um anjo ou demônio, e ele o trata como pessoa humana. Então Ele vai lhe dar forças para vencer as tentações, forças acima daquelas que você pensa poder. Ele proverá o livramento, a saída, o poder necessário suportar e vencer a tentação. Esta é a promessa gloriosa de Deus para aqueles que estão vivendo na provação.

                Deus nos abençoe.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *