1 Coríntios 6:12-20 Escolhendo Certo para glória de Deus

Texto: 1 Coríntios 6.12-20

12 ¶ Alguém vai dizer: “Eu posso fazer tudo o que quero.” Pode, sim, mas nem tudo é bom para você. Eu poderia dizer: “Posso fazer qualquer coisa.” Mas não vou deixar que nada me escravize.

13  Outro vai dizer: “O alimento existe para o estômago, e o estômago existe para o alimento.” Sim, mas Deus acabará com os dois. O nosso corpo não existe para praticar a imoralidade, mas para servir o Senhor; e o Senhor cuida do nosso corpo.

14  Pelo seu poder Deus ressuscitou o Senhor e também nos ressuscitará a nós.

15  Será que vocês não sabem que o corpo de vocês faz parte do corpo de Cristo? Será que eu vou pegar uma parte do corpo de Cristo e fazer com que ela seja parte do corpo de uma prostituta? É claro que não!

16  Ou será que vocês não sabem que o homem que se une com uma prostituta se torna uma só pessoa com ela? As Escrituras Sagradas afirmam: “Os dois se tornam uma só pessoa.”

17  Porém quem se une com o Senhor se torna, espiritualmente, uma só pessoa com ele.

18  Fujam da imoralidade sexual! Qualquer outro pecado que alguém comete não afeta o corpo, mas a pessoa que comete imoralidade sexual peca contra o seu próprio corpo.

19  Será que vocês não sabem que o corpo de vocês é o templo do Espírito Santo, que vive em vocês e lhes foi dado por Deus? Vocês não pertencem a vocês mesmos, mas a Deus,

20  pois ele os comprou e pagou o preço. Portanto, usem o seu corpo para a glória dele.

INTRODUÇÃO:

 

                Alguém interrogou um pastor dizendo: “Pastor, o crente pode pecar?”. O pastor respondeu: “Pode, mas não deve!”.

                Nosso texto de hoje nos faz lembrar que diariamente temos que fazer escolhas. Boas ou ruins, as escolhas são feitas e temos também que arcar com suas consequências.

                Paulo então nos convida a refletir sobre essa liberdade e seus efeitos. E assim nos traz lições importantes, vamos a elas:

  1. 1)PARA FAZER ESCOLHAS CERTAS É PRECISO PRUDÊNCIA E AUTOCONTROLE.

“todas as coisas me são lícitas”; “nem todas convêm”; “não me deixarei dominar”. (v.12).

                Paulo nos ensina que o crente tem liberdade de escolher o que quiser fazer de sua vida. No entanto, o que ele diz no versículo 12 pode ser entendido na seguinte frase: “Todas as coisas estão em meu poder, mas eu não serei colocado sob o poder de nenhuma delas”.

                Nem sempre algo que queremos e podemos fazer é algo conveniente. Nem sempre um ambiente social que queremos frequentar é conveniente ao crente. É preciso sabedoria divina para discernir onde posso ou não ir.

                Muita gente tenta dar algumas receitas simples para nos ajudar nisso. Se vou a um lugar onde minha bíblia não poderia ir, este lugar não serve para mim. Se Cristo não pode ser compartilhado ou pelo menos vivido no ambiente que eu estou, então este não é um lugar conveniente e eu não deveria estar nele.

                Assim, para outras questões da vida, a regra se aplica. Você tem liberdade, mas deve usá-la com responsabilidade. Você tem poder de decisão, mas deve cuidar para que não se torne escravo das escolhas que tem feito.

                Por isso precisamos de prudência, para saber o que escolher e autocontrole, para não cairmos nas armadilhas que nos são preparadas.

                No tempo em que Paulo escreveu esta carta, as pessoas queriam saber: se a comida é feita para o estomago e o estomago para a comida, ou seja, comer é uma necessidade física, então o sexo também era uma necessidade do corpo que devia ser saciada. No entanto, Paulo adverte. O corpo não fora feito para a imoralidade sexual, mas sim para glorificar ao Senhor. A lógica do alimento não se aplicava ao corpo todo.

                Era preciso entender que Deus esperava autocontrole dos seus servos. Não podiam se tornar escravos de paixões pecaminosas, afrontando a santidade de Deus que habita os seus crentes.

                Quer fazer a escolha certa? Seja prudente, observe tudo com cuidado. E controle-se a si mesmo. Esforce-se para fugir do pecado e ser abençoado por Deus por isso.

  1. 2)PARA FAZER ESCOLHAS CERTAS É PRECISO OBSERVAR O RESULTADO FINAL DAS ESCOLHAS.

Do verso 13 ao 17, Paulo nos mostra que as nossas escolhas devem sempre levar em consideração o resultado final de nossas opções. Quando argumentaram com o apóstolo que a comida e o estômago foram feitos um para o outro, Paulo disse que era verdade, mas Deus destruiria os dois.

                No entanto, o corpo é o templo do Espírito Santo, é o local da habitação de Deus neste mundo. Deus, por meio de Jesus Cristo, nos salvou por completo, alma e corpo. Nosso corpo é agora destinado à ressurreição final e à fazer parte do corpo de Cristo, ou seja, somos membros deste corpo de Jesus.

                Se uma escolha poderia nos conduzir à destruição, devemos evita-la a todo custo. Mas se a escolha que tomamos vai nos conduzir à santidade e melhorar nosso relacionamento com Deus, estão devemos prosseguir.

                Não cometer pecados sexuais é entender que meu corpo é habitado pelo próprio Deus. Mas se usa seu corpo para cometer pecados sexuais, deixa de se unir ao Senhor para unir-se a outra pessoa pecadora. Há um distanciamento de Deus.

                Assim Paulo nos relata um verdadeiro mistério. A nossa união espiritual com Deus. No verso 17, ele afirma que quem se une com Deus torna-se um só espírito com ele. Uma das expressões mais fortes sobre a união e segurança da Palavra de Deus. Como um autor já o expôs, “As ovelhas podem se afastar do pastor, o ramo pode ser cortado da videira; o membro pode ser separado do corpo . . , mas quando dois espíritos se unem em um só, quem os separará?” (Arthur T. Pierson, Knowing the Scriptures, pág, 146).

                O resultado final de uma vida cuja escolha resulte em santificação é a garantia de nossa união com o Senhor.

  1. 3)PARA FAZER ESCOLHAS CERTAS É PRECISO DEFINIR QUEM É O SEU SENHOR.

                Nos versos finais do texto que lemos, Somos convidados por Paulo a decidir quem manda em nós – nós mesmos? Ou Deus?

                Nas suas palavras finais seu conselho para evitar o pecado é a fuga. “Fujam da imoralidade”. Corram dela. No original a ideia é: habitue-se a fugir. Fuja sempre. A experiência de José em Gn. 39.1-12 é um bom exemplo disso.

                Quando alguém se une a outra pessoa numa relação imoral, o pecado é feito tanto fora quanto dentro do corpo e tal situação é uma negação da nossa união com Jesus Cristo. Ou seja, rejeita-se a autoridade de Cristo sobre sua vida.

                Paulo nos lembra que a razão para buscarmos a santidade, a pureza moral é o fato de que nosso corpo é o templo do Espirito Santo. Ele habita no corpo daquele que crê. Aqui temos uma base bíblica que mostra que orar pedindo ao Espírito Santo que venha na vida de alguém é sem sentido e contrário ao ensino Bíblico, já que Ele habita o corpo do crente, desde o dia em que creu.

                Paulo continua afirmando que Cristo pagou um preço alto pelo resgate do nosso corpo e alma, de forma que, em última análise, não somos donos de nós mesmos, mas Cristo o é.

                A única conclusão lógica e aceitável para você, crente em Cristo é; glorifique ao Senhor no seu corpo.

CONCLUSÃO:                   

               

                Que escolhas você anda fazendo ultimamente ou tem feito na sua vida? Lembre-se, você pertence a Jesus, pois ele pagou o alto preço na cruz por você. Agora, tendo-o como Senhor, como dono, devemos lhe ser obedientes, fazendo escolhas sábias no nosso dia-a-dia. Devemos ser prudentes e autocontrolados ao tomar decisões, sejam elas quais forem, sempre observando que destino tais decisões nos levarão, buscando em todo tempo, comprovar nos nossos atos que    somos de Jesus e obedecemos à sua vontade soberana.

                Deus te abençoe. 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *